Connect with us

DESPORTO

BENFICA: NUM MAR VERMELHO OS ADEPTOS JÁ FESTEJAM O TÍTULO

Os milhares de adeptos que se encontram hoje junto ao Estádio da Luz estão confiantes que o título de campeão nacional de futebol já não foge ao Benfica e o ambiente é de festa, apesar de algumas cautelas.

Data:

em

Os milhares de adeptos que se encontram hoje junto ao Estádio da Luz estão confiantes que o título de campeão nacional de futebol já não foge ao Benfica e o ambiente é de festa, apesar de algumas cautelas.

“Fazemos sempre o nosso piqueniquezinho. Hoje é leitão à campeão”, afirmou à agência Lusa Rui Ferreira, benfiquista de Ansião, Leiria, que veio a Lisboa com mais cinco amigos para assistir ao vivo ao último jogo do campeonato do Benfica, frente ao Santa Clara, que pode dar o título às ‘águias’.

A confiança é enorme entre os adeptos das mais variadas latitudes que vieram várias horas antes do jogo para a Luz, trazendo os seus petiscos e bebidas favoritas.

“Estamos com fome de golos. Nós temos que fazer o nosso trabalho, mais nada. Eu sou um apologista disso. Nós temos que trabalhar, eu trabalho todos os dias, a não ser hoje, mas todos os dias que trabalho é como deve ser e acho que o Benfica tem que fazer o trabalho dele”, lançou Domingos, oriundo de Fontanelas, Sintra.

E se as mesas estão bem compostas com queijos, enchidos, pão e até caracóis, as bebidas alcoólicas também não faltam, com o vinho e a cerveja a escorrerem em doses generosas.

“Hoje vão entrar mais minis do que golos. Mais minis do que golos! Aquilo não é o Nacional [o Benfica venceu 10-0], é o Santa Clara. Fica 3-0”, previu bem-disposto Nuno Encarnação, que integra um grupo numeroso que vem de Massamá numa carrinha, mas que conta com uma arma secreta: um condutor 100% ‘cool’ que os vai transportar para o Marquês de Pombal no final do jogo, caso a vitória sorria aos ‘encarnados’.

Já Edgar, de 78 anos, é o dono de uma banca de venda de cachecóis e bandeiras, e mostra-se ainda mais entusiasmado com o futebol do que com o negócio num dia de enchente na Luz.

“Tem-se estado a vender mais ou menos. O dia é bom para o negócio, é uma final. [O título já não escapa?] Não, não escapa, nem pensem nisso. A confiança é máxima mesmo, é 100%”, disse.

Uma certeza partilhada por Herlander Ribeiro, antigo presidente da Casa do Benfica de Fornos de Algodres, que vai ver o jogo com a mulher, que assume ser “de quem ganha” para nunca ficar chateada.

“O título fica na Luz, com certeza. É preciso é que ganhem. Este é um bom ambiente e nós temos que nos juntar, sem aqueles arruaceiros que às vezes há”, destacou Herlander, acrescentando, contudo, que “cautela e caldos de galinha não fazem mal a ninguém”.

Por seu turno, Keyla, de 22 anos, não tem bilhete para o jogo decisivo da temporada, mas veio com uma amiga equipada a rigor para participar na festa benfiquista em torno da Luz.

“Aposto num resultado de 2-1. É para sofrer, mas para ganhar mesmo”, sublinhou, enquanto se aproxima o ‘Chico’, de Torres Novas, que consegue tocar um dos temas favoritos do Benfica apenas com os lábios e que se junta a João Policarpo, que toca acordeão com mestria, num dueto improvável, que mexe com a multidão e mete toda a gente a cantar bem alto o famoso “SLB, SLB, SLB, glorioso SLB, glorioso SLB”.

João Policarpo, que vem num autocarro proveniente de Torres Novas, junta-se ao coro de adeptos, garantindo à Lusa que o título vai mesmo ficar na capital. “Está no papo. O Benfica tem a faca e o queijo na mão. O queijo vem dos Açores e a faca é de cá”, atirou divertido.

O jogo entre Benfica e Santa Clara tem o início marcado para as 18:30 e, para já, a única certeza é que vai haver casa cheia na Luz.









LINHA CANCRO
MUSIC BOX
WEB-SUMMIT