ECONOMIA & FINANÇAS

BLACK FRIDAY: ASAE RECEBEU QUEIXAS DE IRREGULARIDADES

A Deco, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, anunciou hoje que denunciou à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) “várias irregularidades e violações à lei” que detetou durante a ‘Black Friday’.

Em comunicado, a Deco refere que encontrou vários produtos que não respeitaram a lei dos saldos e das promoções durante a ‘Black Friday’, que ocorreu na última sexta-feira.

“O vendedor não exibia o novo preço e o preço anteriormente praticado ou, em alternativa, a percentagem da redução”, exemplifica a associação.

Outra irregularidade detetada pela Deco foi a não “redução real” do preço, uma vez que “o produto esteve 60 dos últimos 90 dias com um preço abaixo do preço normal”, ou seja, daquele que “deve funcionar como referência para o conceito de preço mais baixo anteriormente praticado”.

“Desde 13 de outubro que um comerciante só pode fazer saldos e promoções se praticar um desconto sobre o preço mais baixo a que o produto foi vendido nos 90 dias anteriores, na mesma loja, e sem contar com eventuais períodos de saldo ou promoção”, explica a Deco.

A Associação Portuguesa de Defesa do Consumidor conclui a nota referindo que já

VEJA AINDA:

MULHERES GANHAM MENOS 14% QUE HOMENS E QUADROS SUPERIORES GANHAM MENOS 26,1%

Lusa

CRISE: HOTELARIA QUER MAIS APOIOS E ‘PRORROGAÇÃO’ DAS MORATÓRIAS – AHP

Lusa

PORTUGAL ESTÁ EM 10.º LUGAR NA TABELA DOS SALÁRIOS MÍNIMOS DA UE

Lusa

COVID-19: MUSEUS E MONUMENTOS NACIONAIS PERDERAM 70% DOS VISITANTES EM 2020

Lusa

IMPOSTOS: GEL DESINFETANTE PASSA A ‘CONTAR’ COMO DEDUÇÃO NO IRS

Lusa

CONFINAMENTO: APOIO AOS PAIS É CALCULADO COM BASE NO SALÁRIO DE DEZEMBRO

Lusa