DESTAQUE REGIÕES

BRAGANÇA VÊ PREÇO DO IMOBILIÁRIO DESCER EM OUTUBRO

Os valores praticados no mercado imobiliário revelam um sector de incontornável importância para a economia nacional cuja resiliência tem provado, ao longo do tempo, estar à altura dos enormes desafios que atualmente se apresentam.

Ao assistirmos ao indubitável impacto da pandemia em tantas áreas de negócio, é com relativo otimismo e até surpresa de muitos que os valores globais praticados no mercado de venda se têm revelado estáveis e, inclusive, com algumas subidas consideráveis a reportar.

No que se refere a Bragança, porém, outubro não revela esse fator positivo e assistimos a uma revisão em baixa do preço médio praticado no mercado de venda. Já no arrendamento, a variação mensal é igualmente comedida, mas esconde uma quebra muito acentuada quando olhamos para o panorama do último ano.

Segmento de Venda Saudável

Tal como indicado, os preços médios de venda no principal portal imobiliário português revelam um aumento de 1,12% entre setembro e outubro deste ano.

Em termos práticos, o valor médio de venda praticado a nível nacional era de €338.826 e é agora de €342.621. Bragança vê praticados valores bastante respeitáveis, sendo que os mesmos eram em média de €216.906 e a quebra mensal de -1,23% a que assistimos colocam-se agora em €214.245.

Esta variação não é de todo preocupante, uma vez que os valores praticados no distrito revelam um cenário de estabilidade e continuidade que não diverge em muito do desempenho a nível nacional, ainda que o mesmo se vá alterando ligeiramente refletindo os diversos cenários que temos enfrentado ao longo deste ano.

Arrendamento Compromete

É no segmento do arrendamento que assistimos a algumas das mais acentuadas variações de valores praticados.

Outubro revela que os distritos onde é mais dispendioso arrendar casa voltaram a registar subidas no preço médio praticado, sendo Lisboa de longe o distrito onde este valor é mais elevado. Com €1.339 (comparativamente com €1.322 no mês anterior), o crescimento registado é na ordem dos 1,29%.

No extremo oposto, Bragança é atualmente um dos distritos onde é mais económico arrendar casa. Com uma variação mensal de -1,09%, o valor de setembro que se fixava nos €366 é agora de €362. Oferecendo valores tão acessíveis, seguramente após uma visita a este encantador distrito, talvez encontre motivos mais que suficientes para ali se estabelecer.

Tal como indicávamos, o cenário é bem mais negro ao observarmos o período homólogo, uma vez que o valor médio do arrendamento há apenas um ano era de €510. Esta quebra acentuada na ordem dos -29,02% é de longe a mais expressiva a nível nacional e poderá, a médio prazo, vir a penalizar o preço praticado no mercado de venda.

Perspetiva Futura

Num ano tão atípico em que a única certeza é a da resiliência deste segmento de atividade económica. Ainda que esta não seja tomada como garantida para meses vindouros, o desempenho do mercado durante a fase mais acentuada da pandemia deu alguma segurança a investidores e interessados.

É, porém, incerto para já colocar previsões uma vez que o inverno de 2020 e primeiros meses de 2021 terão ainda desafios muito específicos pela frente.

Ao mesmo tempo, a tendência de adoção do teletrabalho e outros serviços que podem ser providenciados de forma remota poderão ser um fator vital para os distritos do interior em que os preços quer de venda, quer do arrendamento mais revelam um êxodo da população ali fixada.

VEJA AINDA:

BARCELOS: LARES DA MISERICÓRDIA COM 74 INFETADOS POR COVID-19

Lusa

HUNGRIA E POLÓNIA CONFIRMAM VETO AOS ORÇAMENTOS EUROPEUS

Lusa

COVID-19: NOVOS CASOS DE INFEÇÃO AUMENTARAM MAIS DE 30% EM 21 CONCELHOS DO NORTE

Lusa

BLOCO DE ESQUERDA QUESTIONA PAGAMENTO DE 11 MILHÕES AO WEB SUMMIT

Lusa

CRISE: NORTE COM MAIS 28.685 DESEMPREGADOS INSCRITOS COMPARATIVAMENTE A FEVEREIRO

Lusa

TROFA: 12 INFETADOS E UM MORTO NO LAR DA IMACULADA CONCEIÇÃO – COVID-19

Lusa