Connect with us

DESPORTO

BRASIL E PANAMÁ: UM EMPATE ENTRE ‘DAVID E GOLIAS’

O Brasil empatou com o Panamá, por 1-1, num jogo amigável realizado no Estádio do Dragão.

Data:

em

O Dragão vestiu-se a rigor de “verde e amarelo” para receber o jogo amigável entre o Panamá e o Brasil. Mais de 39 mil espectadores rumaram ao “ninho do dragão” em clara e esmagadora maioria apoiante da selecção brasileira.

O Brasil entrou a todo o gás neste jogo amigável, logo na primeira dezena de minutos instalou-se no meio-campo do Panamá, circulando a bola, e, criando situações de perigo na baliza adversária. Só aos 12 minutos é que o Panamá seu sinal de vida, e conseguiu invadir o meio-campo brasileiro mas sem criar problemas à canarinha.

No minuto 17 grande oportunidade para o Brasil depois de uma boa jogada de Alex Telles, na “sua casa” fez o que melhor sabe, cruzou para a área e Roberto Firmino a cabecear por cima da baliza de Luis Mejía.

O jogo do Brasil maioritariamente incidia sobre o lado direito, tentavam cruzamentos para a área mas a defensiva do Panamá esteve sempre bem ao limpar de forma segura os lances de perigo.

Perto da meia hora de jogo o Panamá teve o primeiro pontapé de canto no entanto José Rodríguez após o cruzamento de Armando Cooper, rematou torto ao lado da baliza de Ederson. Mas “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura” e finalmente o Brasil conseguiu inaugurar o marcador aos 32 minutos, Lucas Paquetá, o médio do AC Milan, a responder bem a um cruzamento do lado direito, de primeira junto à pequena área empurrou a bola para o fundo da baliza do Panamá.

Numa das raras idas do Panamá ao meio-campo adversário, conquistam uma falta e do livre batido por Eric Davis, o capitão do Panamá Adolfo Machado com um excelente cabeceamento a bater de forma exímia Ederson Moraes aos 36 minutos, golo no entanto contestado por possível fora-de-jogo pelos canarinhos.

Em resumo uma primeira parte dominada pelo Brasil onde construiu as suas jogadas de ataque predominando o corredor direito com Arthur e Richarlison muito participativos no processo ofensivo.

O Panamá foi aguentando as investidas do Brasil cortando para longe da sua área os lances de perigo onde por consequência raramente conseguiu ultrapassar o meio-campo contrário.

Mais Brasil com diversas oportunidades de golo, onde pecaram na eficácia e também do GR Luis Mejía que esteve bem na sua baliza.

Foto by FC Porto

Já na segunda parte os selecionadores a optarem por manter os mesmos “onzes”, a formação do Panamá a equilibrar um pouco mais o jogo, tendo sido a primeira a rematar com perigo nos instantes iniciais da segunda parte, Jose Rodríguez, a obrigar Ederson Moraes a uma excelente defesa, a bola ia com selo de golo.

Na resposta Richarlison a rematar à trave do GR Luis Mejía depois de uma boa combinação com Fagner.

Ao minuto 60, Tite promove duas alterações de uma assentada, as entradas de Éverton e Gabriel Jesus em detrimento de Lucas Paquetá e Roberto Firmino.

O Panamá continuava a surpreender, e Harold Cummings que o diga ao cabecear à trave depois de um cruzamento de Eric Davis; dava empate nesta altura também nos “ferros” das duas balizas. Depois de Richarlison agora seria a vez do central Cummings que actua na MLS cabecear, novamente à trave.

O Panamá com o decorrer do jogo voltou à sua estratégia conservadora, abdicando de ultrapassar o meio-campo, o Brasil com mais bola como seria de esperar e com a inspiração de Richarlison, o jogador que está ao serviço do Everton de Marco Silva, através de jogadas individuais ou com combinações com os seus colegas de equipa a proporcionar aos espectadores jogadas bonitas.

Casemiro com duas situações consecutivas de perigo, na primeira um cabeceamento à trave, na segunda um pontapé livre onde desferiu um remate potente que acabou nas mãos de Luis Mejía.

O tempo de jogo ia avançando e o selecionador Brasileiro a promover mais uma alteração com a saída de Arthur a dar lugar a Felipe Anderson, o Panamá também mexeu no onze com as entradas de Jose Fajardo e Ernesto no lugar de Gabriel Torres e de Armando Cooper.

Nesta fase, só dava Brasil, que insistia em chegar novamente à vantagem.

A 5 minutos do final, o selecionador do Panamá a promove mais duas alterações, desta feita as entradas de Omar e César Blackman para os lugares de Alberto Quintero e Michael Murillo.

O Brasil continuava a tentar chegar ao golo a pressionar cada vez mais os Panamenhos mas, a defensiva das “terras do caribe” ia-se aguentando, o empate avizinhava-se e, para o Panamá seria um excelente resultado, frente a uma seleção pentacampeã do mundo e actualmente no 3º lugar do ranking FIFA.

Resultado Final: Brasil 1 vs 1 Panamá com golos de Lucas Paquetá (32′ 1-0) e de Adolfo Machado (36′ 1-1)

Momento final de união da Selecção do Panamá. Foto by FC Porto.

Em resumo foi um jogo claramente dominado pelo Brasil, com diversas oportunidades de golo para os canarinhos, em destaque Richarlison que foi o jogador mais inconformado (e inspirado) a tentar colocar o Brasil na frente do marcador.

Em destaque também Éder Militão, jogador que actua no FC Porto que também teve algumas oportunidades para visar a baliza de Luis Mejía, através de cabeceamentos e Alex Telles que tirou bons cruzamentos para os seus companheiros do ataque finalizarem.

O Panamá por vezes surpreendia a defensiva brasileira, regra geral em respostas de contra-ataque, e por três vezes rematou com perigo na direção da baliza de Ederson.

No final, a estatística não engana, com o Brasil a marcar 59% de posse de bola contra os 41% do Panamá; já nos remates o Brasil foi também superior. O Brasil marcou 12 cantos contra um solitário do Panamá.

Em suma, foi o Brasil que mais fez pela vitória, apesar o resultado de 1-1; com Neymar assistir de camarote.

Nota positiva para a equipa de arbitragem do internacional portugal João Pinheiro, da Associação de Futebol de Braga.

Bruno Marques

Neymar que neste confronto foi apenas espetador.

AS MAIS LIDAS