Connect with us

ECONOMIA & FINANÇAS

CENTENO DEIXA “NO AR” MAIS IMPOSTOS

Centeno deixa no ar subida de impostos indirectos em 2017. Ministro das Finanças assume que a ideia é que os impostos directos baixem, mas no caso dos restantes não será assim no próximo ano. Orçamento do Estado está a ser preparado. Vê mais aqui. Partilha com os teus amigos !

Data:

em

CENTENO DEIXA "NO AR" MAIS IMPOSTOS

Há poucos dias, o ministro das Finanças disse que os impostos iam baixar em 2017, mas agora dividiu as águas, dizendo que isso acontecerá com os directos, mas abrindo a porta à subida dos indirectos em 2017. Estando o Orçamento do Estado a ser preparado, o ministro das Finanças esteve no Parlamento para responder aos deputados sobre o que aí vem.

Mário Centeno assumiu que nos impostos indirectos o movimento será contrário ao dos directos.

“O balanceamento de impostos directos versus impostos indirectos vai prosseguir no Orçamento de 2017”.

Entre os primeiros, estão o IRS – o Governo já disse que e o IRC; entre os segundos, o IVA, o Imposto Único de Circulação (IUC), o Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP), que este ano já subiu com o actual Governo, ou o imposto de selo.

“Acreditamos que a forma de recuperar rendimentos é reduzir os impostos directos”, disse Mário Centeno, em resposta à deputada do CDS-PP Cecília Meireles, na comissão de Orçamento e Finanças.

“Vamos ter em 2017 uma redução da carga fiscal e as alterações fiscais que existirem terão o mesmo padrão que no orçamento de 2016”.

LUSA

AS MAIS LIDAS