CIBERATAQUE AO FACEBOOK

A Kaspersky Lab identificou um ataque de malware que afectou cerca de 10 mil utilizadores do Facebook no mundo inteiro. Os dispositivos foram infectados depois de receberem mensagem a indicar que um amigo os tinha mencionado num comentário da rede social.

O objectivo, segundo a empresa, era roubar contas do Facebook e depois espalhar a infecção por meio dos amigos da vítima e possibilitar outras actividades maliciosas. Os países da América do Sul, Europa, Tunísia e Israel foram os mais atingidos. O Brasil foi o país com o maior número de infectados.

Entre 24 e 27 de Junho, milhares de pessoas receberam mensagens de amigos do Facebook, dizendo que tinham sido mencionados num comentário. Na verdade, a mensagem era enviada por invasores e desencadeava um ataque em duas fases.

Na primeira fase, era descarregado um trojan para o computador do utilizador, que instalava, entre outras coisas, uma extensão maliciosa do navegador Chrome. Em seguida, era activada a segunda fase em que o atacante ficava com o controlo da conta, após a vítima aceder à rede social usando o navegador comprometido.

Nos ataques bem-sucedidos, o agente da ameaça conseguia alterar configurações de privacidade, extrair dados e muito mais, possibilitando a disseminação da infecção por meio dos amigos no Facebook ou a realização de outras actividades maliciosas, como envio de spam, roubo de identidades e produção de likes e partilhas fraudulentas.

O malware tentava proteger-se colocando determinados sites, como os de fornecedores de software de segurança, em listas negras de acesso.

A Kaspersky Security Network registou cerca de 10 mil tentativas de infecção em todo o mundo. Os países mais afectados foram Brasil, Polónia, Peru, Colômbia, México, Equador, Grécia, Portugal, Tunísia, Venezuela, Alemanha e Israel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.