CIÊNCIA & TECNOLOGIA

CIENTISTAS DESCOBREM COMO PRODUZIR ENERGIA A PARTIR DA HUMIDADE DO AR

Cientistas na Universidade de Massachussets, Estados Unidos, descobriram uma maneira de criar eletricidade a partir da humidade no ar, uma tecnologia que propõem para o futuro das energias renováveis.

Segundo um estudo publicado hoje na revista científica Nature, o método envolve nanotubos de uma proteína condutora, produzida por um micróbio, que converte em eletricidade o vapor de água que existe naturalmente na atmosfera.

Os nanotubos formam uma película à qual são ligados elétrodos que captam a corrente gerada pela reação da proteína com a humidade do ar.

“Estamos literalmente a tirar eletricidade do ar”, afirmou o engenheiro eletrotécnico Jun Yao, em cujo laboratório foi testado o “Air-gen”, que é não poluente, renovável e de baixo custo, podendo ser usado mesmo em condições de baixa humidade.

Ao contrário de outras formas de gerar eletricidade, não precisa de vento ou de luz solar e pode mesmo ser utilizado em ambientes interiores, afirmou o microbiólogo Derek Lovley, que há mais de trinta anos descobriu o micróbio Geobacter no rio Potomac, nos Estados Unidos.

Por agora, o Air-gen é capaz de manter a funcionar pequenos aparelhos eletrónicos, mas os criadores pretendem alargar a sua capacidade, criando pequenas películas de nanotubos que poderão ser usadas para alimentar monitores de dados vitais ou relógios, que deixariam de precisar de pilhas.

Também esperam conseguir adaptar o Air-gen aos telemóveis, para que deixe de ser necessário carregar os aparelhos.

VEJA AINDA:

COVID-19: OMS DESACONSELHA REABERTURA DE ESCOLAS EM PAÍSES COM ELEVADO CONTÁGIO

Lusa

COVID-19: APLICAÇÃO PARA RASTREAR CONTACTOS DE INFEÇÃO DISPONÍVEL DENTRO DE DIAS

Lusa

CRISE: OURO VOLTA A BATER NOVOS MÁXIMOS AO CHEGAR A 2.034,20 DÓLARES A ONÇA

Lusa

FUTEBOL: CLUBES ALEMÃES ACORDAM PROPOSTA PARA REGRESSO DOS ADEPTOS AOS ESTÁDIOS

Lusa

TRÊS HOMENS RESGATADOS DE ILHA DO PACÍFICO APÓS ESCREVEREM SOS NA AREIA

Lusa

AMÁLIA RODRIGUES RECORDADA NO “FESTIVAL FADO MADRID” EM SETEMBRO

Lusa