COMO “RESPONDER” SEM “BAIXAR O NÍVEL”

Há pessoas que têm o dom de nos tirar do sério, mas saber responder à medida são 10 pontos a favor.

Há pessoas que têm o dom de nos tirar do sério, mas saber responder à “à letra” e sem “baixar o nível” é muito importante. Ora veja aqui algumas boas sugestões.

Insultos, ‘bocas foleiras’ ou outros já toda a gente ouviu na vida, no entanto, há maneiras de responder sem ter de recorrer a palavreado menos digno – ainda que dê vontade e que só mereçam isso. Saber responder de forma educada e inteligente vai-lhe dar ainda mais prazer, já para não falar que irá sair ‘por cima’ da situação. Saiba algumas das formas que pode adotar para sair de uma situação desagradável de forma airosa, adequando as mesmas a situações específicas da sua vida.

HUMOR
Responder com um sorriso, uma gargalhada ou uma pitada de sarcasmo é excelente para apanhar o outro de surpresa. Na senda, os ânimos deste até poderão ficar um pouco mais relaxados e o ambiente mais leve. Pode inclusivamente rir-se e concordar com o assunto que o está a infligir e adicionar uma pitada de sarcasmo.

MANTER O SANGUE FRIO
Nunca ouviu dizer que a pior coisa que se deve dizer a uma pessoa exaltada é para ter calma?! Pois bem, uma vez que o intuito do “agressor” é atacá-lo de maneira a que “exploda”, não lhe dê esse prazer. Manter a calma não é fácil, é certo, mas respire fundo, fale calmamente e não entre em reações mais violentas ou desculpas embaraçosas. Isto vai fazer com que o outro fique desencorajado a prosseguir.

RACIONALIDADE
Caso seja um caso onde efetivamente haja razão naquilo que lhe está a ser dito, mas as palavras são ofensivas ou agressivas, respire e, calmamente, explique que entende o ponto de vista e pede desculpas pelo sucedido. Assim, irá demonstrar que consegue ser racional e manter um discurso construtivo, contrariamente ao interlocutor que é guiado pela emoção. Cortesia e gentileza nunca fizeram mal à ninguém e são uma mais-valia face a quem não se rege por elas.

CORTESIA
Conforme referido acima, a cortesia é uma excelente arma. Quando aliada à paciência, melhor ainda! Quando alguém o “ataca” não está de todo à espera de uma comunicação mais amigável e com paciência para lidar com a situação.

TENTAR PERCEBER
Adotar uma posição condescendente também é uma hipótese. Aliás, se imaginar o outro como um pequeno animal assustado, é mais fácil compreender a situação. Faça perguntas certeiras por forma a minimizar a raiva instalada, isto é, prestar atenção às causas, ao facto da reação não ter a ver com a situação propriamente dita, etc… “Estás a ter um dia difícil?”, “Estás a agir assim porquê?” são alguns dos exemplos.

IGNORAR
Se sente que não consegue lidar, de todo, com a pessoa em questão corte o mal pela raiz. Principalmente se são pessoas que nem sequer quer manter no seu círculo ou nem fazem parte dele. Ainda que à primeira vista possa parecer que é por não ter resposta, para os mais inteligentes é alguém bem sucedido e resolvido que não está para perder tempo com chatices nem com coisas insignificantes. Já para não falar do facto que escusa de ‘descer ao nível’ do outro e que é uma excelente forma de se proteger emocionalmente. Assim, basta não demonstrar nenhum tipo de emoção e ignorar completamente, afastando-se da situação.

FORMAL
Os motivos nem sempre são lógicos, têm justificação ou são apresentados de forma adequada. Assim sendo, adotar uma linguagem mais direta, formal, seca e ‘não sair desse guião’ é uma solução.

DIZER A VERDADE
Toda a gente diz que prefere a verdade, mas nem toda a gente gosta de a ouvir ou tem poder de encaixe. Assim, nada como redirecionar a atenção para quem o está a atazanar. É certo que a resposta também será emocional, mas se for dita com calma ou em tom de brincadeira, não necessita de ser indelicada. Qualquer coisa como “Ser agressivo não te favorece.” ou “O que vale é que tens sempre algo de mal a dizer, não é?” são alguns dos exemplos.

STRAZZERA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.