RÁDIO REGIONAL
ECONOMIA & FINANÇAS

CRISE: TURISMO FLUVIAL NO DOURO RECUPERA 23% EM 2021 FACE A ANO DIFÍCIL DE 2020

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A Via Navegável do Douro (VND) recebeu 279.151 passageiros em 2021, uma recuperação de 23,34% face a 2020, ano com quebras acentuadas devido à covid-19, segundo a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Segundo dados disponibilizados na página da Internet pela gestora da VND, a APDL, no ano passado o turismo fluvial no rio Douro registou uma recuperação de 23% face a 2020, ano em que este segmento sofreu um duro golpe por causa da pandemia de covid-19 e se contabilizou uma quebra de 86,24% comparativamente com 2019.

Em 2021, viajaram na via navegável 279.151 passageiros, 160.897 (58%) dos quais em cruzeiros na mesma albufeira e noturnos, 74.438 em cruzeiros de um dia (27%), 33.307 em barcos-hotel (12%) e 10.151 (4%) em embarcações de recreio.

No ano de 2020, em que devido à pandemia de covid-19 as embarcações estiveram paradas entre março e junho/julho, transitaram no rio Douro 226.333 passageiros, menos 86,24% do que em 2019, ano em que viajaram naquela via 1.644.937 turistas, mais 26,92% do que em 2018.

De acordo com os dados da gestora da via navegável, em 2021 foram 98 os operadores com registo de atividade no rio Douro e 205 as embarcações que estiveram em operação, com uma lotação de 11.718 passageiros.

No ano passado, os melhores meses para o turismo fluvial foram agosto (21,2%), seguido de setembro (16,6%), julho (15%) e outubro (12,9%), tendo sido praticamente residual no primeiro trimestre.

Em 1990, com a inauguração dos 210 quilómetros da VND entre o Porto e Barca d´Alva, abriu-se uma porta ao turismo que foi, depois, consolidada em 2001 com a classificação do Douro como Património Mundial da UNESCO.

Quanto ao transporte de mercadorias na via navegável, segundo a APDL, no ano passado foram transportadas 20.545 toneladas, o que representa uma quebra de 50,32% face a 2020 (41.357 toneladas).

Em 2020, dos dois portos comerciais existentes no rio Douro (Sardoura e Várzea), só se verificou atividade no porto comercial da Várzea.

Em 2019, dos dois portos foram transportadas 44.706 toneladas de mercadorias, um crescimento de 32,15% face ao ano anterior.

A covid-19 provocou pelo menos 5,723 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, divulgado no sábado.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 20.222 pessoas e foram contabilizados 2.915.971 casos de infeção, segundo dados de hoje da Direção-Geral da Saúde.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

A variante Ómicron, que se dissemina e sofre mutações rapidamente, tornou-se dominante do mundo desde que foi detetada pela primeira vez, em novembro, na África do Sul.

VEJA AINDA:

COMBUSTÍVEIS: PESADOS DE MERCADORIAS COM DESCONTO EXTRAORDINÁRIO NO GASÓLEO

Lusa

MOODY’S DIZ QUE ‘RÚSSIA PREGOU O CALOTE’ MAS MOSCOVO NEGA

Lusa

GOVERNO VAI ALARGAR POR MAIS TRÊS MESES APOIO AO CABAZ ALIMENTAR

Lusa

PORTUGUESES ENTRE OS MAIS ALARMADOS COM IMPACTO DA GUERRA – ESTUDO

Lusa

RÚSSIA: MAIS DE 90% DO GÁS NATURAL EXPORTADO É PAGO EM RUBLOS – KREMLIN

Lusa

CRISE: FAMÍLIAS POBRES MAIS PENALIZADAS PELA INFLAÇÃO

Lusa