RÁDIO REGIONAL | PORTUGAL
seslendirme santral anons santral seslendirme

Moschee Teppich

Moschee teppiche werden nicht kurzfristig gewechselt, d.h. das ein Moschee teppich sehr hohe Anforderungen erfüllen muβ. Speziell entworfene Moschee Teppiche zeichnen sich durch Design und Farben aus. Mit der Weiterentwicklung der Technologie werden heute Tausende von Farben und Modellen in Teppichen hergestellt, die mit Moscheen kompatibel sind.

100% Reine Schurwollteppich kaufen: Schurwollteppiche sind Schwerentflammbar, Robust, Strapazierfahig, Antibakteriel und Schmuzabweisend.

Shell Shockers Unblocked Atari Breakout Play Snake Friv Canlı Maç Sonuçları iqoskits.com Düğün Paketleri
ECONOMIA & FINANÇAS

CRISE: RETORNO DO TURISMO AOS NÍVEIS PRÉ-PANDEMIA SÓ EM 2023

nbsp| RÁDIO REGIONAL | PORTUGAL

O turismo só deverá voltar aos níveis anteriores à pandemia de covid-19 em 2023, de acordo com um relatório da consultora EY hoje divulgado, que salienta o apoio público ao setor.

“Em linha com o que os líderes do setor têm vindo a indicar, parece-nos prudente considerar que uma certa normalização e o retorno aos níveis de atividade pré-pandemia só acontecerá a partir de 2023”, pode ler-se no estudo “Conhecer os desafios ajuda a encontrar o caminho?”, hoje divulgado pela EY.

Segundo a consultora, “o principal desafio para a recuperação do turismo é o receio de viajar, agravado com as sucessivas mutações dos vírus e os avanços e recuos nas políticas de restrições de viagens”.

O texto presente no estudo, assinado por Luís Rosado, sócio e líder da EY para o imobiliário, hospitalidade e construção, salienta ainda que “a robustez financeira de algumas empresas e as soluções de apoio público têm sido fatores fundamentais para a sobrevivência das empresas” do setor.

“Parece consensual que o avançar do processo de vacinação dará confiança aos viajantes e resultará em políticas mais revisíveis, com a disponibilização de certificados digitais e a manutenção de processos de testagem massiva a contribuírem para um aumento gradual da mobilidade”, antevê ainda a EY.

No entanto, há uma “expectativa de que a recuperação do turismo seja bastante mais demorada do que noutras atividades”, o que “vai implicar enormes desafios em matéria de solvabilidade e liquidez, tornando essencial a continuidade de apoios públicos ao setor até haver uma retoma firme”.

A consultora considera ser importante “assegurar a manutenção de capacidade – empresas e recursos especializados – que permitam aproveitar ao máximo o regresso dos turistas internacionais”.

Quanto a outras questões no setor, a EY aponta ao “crónico problema de qualificação, atração e retenção de talento” no turismo, apelando para uma “concertação do setor no sentido da criação de um ‘talent hub’ [centro de talento], com a maior qualificação a permitir reter recursos e, igualmente importante, a aumentar o nível geral da qualidade da oferta e apoiar a consequente subida de preços e do valor acrescentado pelo setor”.

A EY denota também que continuou o “movimento de concentração de negócios e crescimento inorgânico dos grandes grupos empresariais no setor do turismo, sendo mesmo potenciado pela menor robustez financeira de algumas empresas que acabaram por ser transacionadas”.

“Por outro lado, a importância da estratégia de diversificação de risco das empresas do setor, nomeadamente da hotelaria, saiu reforçada no contexto da pandemia através da atribuição de usos diversos aos edifícios”, como por exemplo através de espaços de trabalho (‘co-work’).

É também referido o tema da sustentabilidade, que “exige uma colaboração entre políticas públicas e agentes privados em que evitem as tentações de foco nos ganhos imediatos e todos atuem no sentido da criação de valor a longo prazo”.

“O final da pandemia está no horizonte, mas o setor do turismo será talvez aquele em que a recuperação será mais lenta. A existência de medidas de apoio ao setor será fundamental para assegurar a existência de capacidade no pós-pandemia e o reforço da competitividade do setor”, conclui o texto da EY.

VEJA AINDA:

PORTUGAL DEVE TER ‘PRODUÇÃO RECORDE’ DE AZEITE NA CAMPANHA DE 2021/2022

Lusa

COVID-19: ‘TASK FORCE’ APELA A DOENTES RECUPERADOS PARA SE VACINAREM

Lusa

COVID-19: GOVERNO ACABA COM RECOMENDAÇÃO DO TELETRABALHO

Lusa

COVID-19: USO DE MÁSCARAS NOS RECREIOS DAS ESCOLAS DEIXA DE SER OBRIGATÓRIO – GOVERNO

Lusa

COVID-19: CERTIFICADO DIGITAL DEIXA DE SER EXIGIDO EM RESTAURANTES E HOTÉIS

Lusa

COVID-19: HOSPITAIS DAS FORÇAS ARMADAS ACOLHERAM 1092 DOENTES

Lusa