Connect with us

REGIÕES

EM ÉVORA OS “QUARTOS PARA ESTUDANTES” CHEGAM AOS 375 EUROS

A presidente da Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE) alertou hoje para a diminuição do número de quartos para estudantes e aumento das rendas na cidade, em que os preços podem chegar a 375 euros/mês.

Data:

em

A presidente da Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE) alertou hoje para a diminuição do número de quartos para estudantes e aumento das rendas na cidade, em que os preços podem chegar a 375 euros/mês.

Os alunos e os pais procuram “muito aflitos” a associação académica, porque “não encontram quartos e nós também não temos uma solução”, afirmou a presidente da AAUE, Ana Rita Silva, em declarações à agência Lusa.

Segundo a dirigente estudantil, a AAUE, à semelhança de anos anteriores, elaborou uma bolsa de quartos disponíveis para estudantes, mas, este ano, teve “imensa dificuldades” e conseguiu uma “lista reduzida” de “16 casas ou nem chega a isso”.

“Noutros anos, tivemos bem mais do dobro”, notou, frisando que, a par da falta de quartos, “os preços também subiram”, com as rendas a poderem chegar a “375 euros” por mês, quando, no ano passado, “facilmente se arranjava entre 150 e 250 euros”.

Ana Rita Silva realçou que, tal como noutras cidades, os proprietários de Évora estão a “apostar no turismo” e a optar por transformar as suas casas em alojamento local, pedindo que “as câmaras ou o Governo” façam “alguma coisa”.

Também a reitora da Universidade de Évora (UÉ), Ana Costa Freitas, em declarações à Lusa, mostrou-se preocupada com a redução do número de quartos para estudantes e o aumento dos preços, garantindo que a academia está “em alerta” e a “tentar resolver” o problema.

Atualmente, “temos 550 camas” nas residências universitárias, mas “esperamos poder arranjar, nos próximos meses, mais 250 camas aproximadamente”, o que “já seria bastante bom”, indicou a reitora da academia alentejana.

Ana Costa Freitas adiantou que este aumento de camas vai resultar da construção de uma nova residência, adaptação de um edifício da academia em residência e da disponibilização de casas por parte da câmara e da Santa Casa da Misericórdia de Évora.

A nova residência vai ser construída num terreno situado próximo das piscinas municipais, fruto de uma parceria com um privado, e uma outra vai “nascer” da adaptação de um edifício da Rua das Alcaçarias, estando a UÉ a tentar obter financiamento para as obras, disse.

A reitora assinalou também que já foi assinado um protocolo com um hostel da cidade para disponibilizar quartos para estudantes a preços acessíveis e com recibo, estando em negociações um acordo com uma outra unidade de alojamento deste género.

A Universidade de Évora registou este ano um aumento de 2,5% de novos alunos colocados na 1.ª fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, face ao ano passado, acolhendo mais de mil novos estudantes.

Após a conclusão da 3.ª fase do concurso nacional de acesso e das restantes vias de ingresso no ensino superior, a academia estimou que o total de novos estudantes inscritos em licenciaturas, mestrados e doutoramentos seja “superior a dois mil”.

LUSA

AS MAIS LIDAS