Connect with us

DESPORTO

FC PORTO VENCE O JÁ DESPROMOVIDO NACIONAL DA MADEIRA

O FC Porto ascendeu hoje, provisoriamente, à liderança da I Liga portuguesa de futebol, ao golear fora por 4-0 e despromover o Nacional, em encontro da 33.ª e penúltima jornada.

RÁDIO REGIONAL

Data:

em

O FC Porto ascendeu hoje, provisoriamente, à liderança da I Liga portuguesa de futebol, ao golear fora por 4-0 e despromover o Nacional, em encontro da 33.ª e penúltima jornada.

Com golos na primeira parte, de Alex Telles e Óliver, e na segunda, por Corona e Marega, este de penálti, o FC Porto ainda acalenta esperanças de chegar ao título. Por seu turno, o Nacional com esta derrota, confirmou a descida à II Liga.

Numa partida crucial para ambas as formações, embora por razões diametralmente opostos, foi o Nacional a entrar melhor e, aos 12 minutos, a desperdiçar soberana ocasião de golo, por Brayan Riascos que, na sequência de uma má abordagem de Éder Militão, fintou Vaná e, de baliza aberta, atirou às malhas laterais.

Na resposta, o FC Porto adiantou-se no marcador, na cobrança irrepreensível de um livre direto, por Alex Telles. Os ‘dragões’ ganharam, então, mais confiança e passaram a criar muitos problemas à defesa dos madeirenses.

Aos 28 minutos, os forasteiros dilataram a sua vantagem, por Oliver, que recolheu um mau passe de Alhassan, ganhou metros e rematou fora do alcance de Daniel Guimarães.

O Nacional não baixou os braços e, aos 41 minutos, Brayan Riascos, numa boa iniciativa individual, rematou junto ao poste.

Ainda antes do intervalo, Marega, por duas ocasiões, esteve perto do golo, primeiro num remate, aos 44 minutos, que proporcionou uma boa intervenção a Daniel Guimarães e, depois, nos descontos, num remate cruzado que saiu junto ao poste.

O FC Porto regressou das cabinas mais solto e, aos 48 minutos, Jesus Corona surgiu em boa posição, mas disparou para fora. As ocasiões de perigo eram agora mais frequentes e colocavam à prova os recursos de Daniel Guimarães.

O Nacional tentava sempre a profundidade, procurando explorar a velocidade dos seus homens mais adiantados, nomeadamente Brayan Riascos.

Até que aos 59 minutos, Corona sentenciou em definitivo, se dúvidas ainda havia, o vencedor, correspondendo da melhor forma a uma solicitação de Marega, que, pouco depois, surgiu isolado, mas não acertou no alvo.

O Nacional ainda tentou reduzir e, aos 85 minutos, Bryan Rochez rodou no interior da área, mas o remate saiu ao lado.

Contudo, foi o FC Porto a chegar novamente ao golo, na conversão de uma grande penalidade, por Marega marcava o cronómetro o minuto 88.

RESUMO DO JOGO:









LINHA CANCRO
MUSIC BOX
WEB-SUMMIT

AS MAIS LIDAS