Ligue-se a nós

REGIÕES

FUNDÃO: ‘FUND’ARTE’ LEVA A ARTE ÀS ALDEIAS

Quatro aldeias do concelho do Fundão vão inspirar e acolher dez intervenções de arte urbana que vão ser criadas no âmbito no ‘Fund’Arte – Aldeias Criativas’, projeto que resulta de uma parceria entre a câmara local e a Fundação EDP.

Online há

em

Quatro aldeias do concelho do Fundão vão inspirar e acolher dez intervenções de arte urbana que vão ser criadas no âmbito no “Fund’Arte – Aldeias Criativas”, projeto que resulta de uma parceria entre a câmara local e a Fundação EDP.

“Trata-se de um projeto com duração de sensivelmente um ano, que pressupõe a transformação, a requalificação e a beneficiação dos quatro postos de transformação da EDP nestas quatro localidades, mas também intervenções no espaço público”, especificou hoje o vice-presidente da Câmara do Fundão, Miguel Gavinhos, na sessão de apresentação do projeto.

O vice-presidente desta autarquia do distrito de Castelo Branco destacou a importância deste projeto, quer em termos de “dimensão artística”, quer ao nível da “dimensão turística”, e explicou que o objetivo é o de que as obras venham a integrar um roteiro de arte urbana que englobe outras intervenções de arte urbana já existentes no concelho.

Este ano, o projeto será implementado nas freguesias em Alcaria, Capinha, Pero Viseu e Vale de Prazeres, e também integra a realização de assembleias comunitárias, que juntarão artistas e população local.

Aos artistas caberá desmitificar o papel da arte, enquanto a população será desafiada a dar sugestões e a partilhar as histórias e costumes da terra que podem servir de fonte de inspiração para as criações.

Estas assembleias decorrem nos dias 5 e 7 de julho e devem repetir-se em setembro, altura em que os artistas já vão apresentar propostas de intervenção para os espaços selecionados, conforme explicou Sandra Santos, da Fundão EDP.

Esta responsável lembrou que o “Fund’Arte – Aldeias Criativas” encaixa no programa “Arte Pública”, que a Fundação EDP tem vindo a promover em várias regiões e localidades do país com o objetivo de “democratizar o acesso à arte” e permitir o “envolvimento da população em novas experiências culturais”.

No caso do Fundão, o programa vai prolongar-se, previsivelmente, até ao início da primavera de 2020, altura em que serão apresentados os trabalhos realizados.

Nuno Cunha, artista plástico que tem desenvolvido trabalhos de curadoria, e Guga Liuzzi, que iniciou a carreira no Rio de Janeiro, no Brasil, e que tem experimentado vários estilos nas artes plásticas e de rua, são os dois artistas já confirmados para este projeto.

Vão juntar-se-lhes outros dois criadores, cuja escolha será feita no âmbito do concurso “Ilustra a Tua Terra”, que arrancou hoje e que convida os interessados a apresentarem as respetivas candidaturas até ao dia 20 de junho, na página oficial da Fundação EDP. Os vencedores deste concurso serão conhecidos no dia 28 de junho.

O “Fund’Arte – Aldeias Criativas” tem um orçamento de 50 mil euros, sendo que 90% são suportados pela Fundação EDP e os restantes dez serão assegurados pela autarquia fundanense.

O programa “Arte Pública” Fundação EDP, iniciado em 2015, utiliza a arte como instrumento de inclusão social, estando já presente em 40 localidades – no Algarve, Alentejo, Ribatejo, Médio Tejo, Trás-os-Montes e Minho – com obras de mais de 35 artistas, como Xana, Alexandre Farto aka Vhils, Mariana A Miserável ou Manuel João Vieira.

LUSA

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

AÇORES: ÁGUA DO MAR PODERÁ ULTRAPASSAR OS 26 GRAUS – IPMA

A temperatura da água do mar deverá estar excecionalmente quente durante a próxima semana no arquipélago dos Açores, segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para valores acima dos 26 graus.

Online há

em

A temperatura da água do mar deverá estar excecionalmente quente durante a próxima semana no arquipélago dos Açores, segundo previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que apontam para valores acima dos 26 graus.

“Prevê-se que a partir da próxima semana se verifique um aumento da temperatura da água do mar na região dos Açores, que poderá atingir valores superiores a 26ºC, em particular nas ilhas dos Grupos Ocidental [Corvo e Flores] e Central [Pico, Faial, São Jorge e Terceira]”, pode ler-se num comunicado do IPMA.

“A situação de anomalia positiva da temperatura da superfície do oceano, que se tem verificado nos últimos meses nesta região, resulta da posição e intensidade do Anticiclone dos Açores”, explica o IPMA no comunicado, dando como exemplo a anomalia que em junho “variou entre 0,8 e 1,6°C nos grupos Oriental [Santa Maria e S. Miguel] e Central e entre 1,6 e 2,4°C no Ocidental”.

O Anticiclone dos Açores deverá localizar-se a sudoeste do arquipélago, apresentando um vasto campo de ação, ao qual estarão associados ventos muito fracos à superfície.

Estas condições de vento fraco irão, por um lado, limitar a mistura de água nas camadas mais superficiais do oceano e, por outro, reduzir o transporte de poeiras do deserto do Sahara sobre a região subtropical do Atlântico, deixando a atmosfera mais limpa, permitindo que a radiação solar incidente sobre o oceano seja mais eficiente, refere o comunicado.

Devido à conjugação destes fatores, o IPMA prevê “um aquecimento anormalmente elevado da temperatura da água do mar no arquipélago dos Açores”.

Durante a próxima semana, acrescenta, preveem-se também valores da temperatura do ar acima dos 28°C, com a ocorrência de noites tropicais (temperatura mínima superior a 20°C), juntamente com valores elevados da humidade relativa do ar.

O IPMA deverá assim, oportunamente, emitir avisos meteorológicos de tempo quente para o arquipélago dos Açores.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: SETE ANOS DE PRISÃO POR ESFAQUEAR UM HOMEM NA DISCOTECA

O homem que esfaqueou outro à porta de uma discoteca no Porto em fevereiro de 2023 foi hoje condenado a sete anos de prisão no Tribunal São João Novo, no Porto.

Online há

em

O homem que esfaqueou outro à porta de uma discoteca no Porto em fevereiro de 2023 foi hoje condenado a sete anos de prisão no Tribunal São João Novo, no Porto.

Durante a leitura do acórdão, a presidente do coletivo de juízes referiu que o arguido, em prisão preventiva, mostrou “frieza e falta de afetividade pelo ser humano”.

“Espero que retire alguma lição daqui para a frente”, atirou a magistrada.

Além disso, a juíza frisou que os problemas não se resolvem à facada.

Em fevereiro de 2023, o arguido de 26 anos, agora condenado, esfaqueou cinco vezes, duas das quais em órgãos vitais, um homem à porta de uma discoteca no Porto.

O arguido e o ofendido integravam um grupo de seis pessoas que se juntou com o propósito de comprar o acesso à área reservada da discoteca, dividindo entre todos a despesa, tendo estado na origem das agressões uma discordância quanto ao valor cobrado pelo ofendido.

“Uma discussão sobre cinco euros deixou o ofendido entre a vida e a morte, algo que é desprezível”, frisou a magistrada.

A juíza recordou que a vítima, jogador de futebol de 21 anos, teve de ser reanimado e operado de urgência após o esfaqueamento.

LER MAIS

MAIS LIDAS