Connect with us

REGIÕES

GUARDA INVESTE 7,5 MILHÕES NAS REDES DE ÁGUA E SANEAMENTO

A Câmara da Guarda e a empresa Águas do Vale do Tejo prevêem investir 7,5 milhões de euros até final do ano em obras de ampliação da rede de água e de saneamento básico, foi hoje anunciado.

RÁDIO REGIONAL

Data:

em

A Câmara da Guarda e a empresa Águas do Vale do Tejo prevêem investir 7,5 milhões de euros até final do ano em obras de ampliação da rede de água e de saneamento básico, foi hoje anunciado.

O vice-presidente da autarquia da Guarda, Sérgio Costa (PSD), disse à agência Lusa que, em 2013, o município delineou um plano de investimento a médio e longo prazo, que inclui a ampliação da rede de água e de saneamento nas aldeias do concelho.

“Estamos a falar em 11 aldeias que, neste momento, estão com obras em abastecimento de água e 16 em saneamento básico que, até final do ano, se prevê que esteja concluído”, disse o autarca.

Segundo Sérgio Costa, até ao fim do ano a autarquia e a Águas do Vale do Tejo admitem concluir obras que correspondem a um investimento global de cerca de 7,5 milhões de euros.

“Naturalmente que a maior parte deste montante é financiado, porque, de facto, sem este financiamento, sem o mesmo estar assegurado, não conseguiríamos fazer face a tantas redes de saneamento”, observou.

Em relação ao abastecimento de água, o vice-presidente da Câmara Municipal da Guarda lembra que, em 2013, quando o atual executivo social-democrata tomou posse, existiam cerca de 40 aldeias sem rede de água ao domicílio.

“Cinco anos volvidos, em 2018, já só tínhamos 20 aldeias. E tudo isto com meios próprios do município. Obras por administração direta. Com os nossos funcionários, conseguimos reduzir para metade o número de aldeias sem abastecimento de água”, declarou.

O autarca diz que a perspetiva da autarquia é a de que “até ao final deste mandato todas as aldeias do concelho tenham água ao domicílio”.

“É este o nosso plano de investimento para o abastecimento de água”, assegura, explicando que, em simultâneo, é feita a conservação e a manutenção das redes existentes.

A intervenção nas redes de água tem sido feita em conjugação com a empresa Águas do Vale do Tejo, “que tem ajudado a resolver problemas estruturais que havia de falta de água em algumas aldeias, como a Vela, Castanheira [o novo reservatório de água vai ser inaugurado na quarta-feira, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Ambiente], Marmeleiro ou Codesseiro, por exemplo”, disse.

Quanto ao saneamento básico, segundo o vice-presidente do município da Guarda, em 2013 um total de 90 aldeias do concelho não tinham rede de saneamento.

“Em 2018 este número foi reduzido para 86. E, no final deste ano de 2019, este número já só será apenas de 70” povoações rurais sem saneamento, vaticina Sérgio Costa.

O autarca garante que a Câmara Municipal da Guarda vai “continuar a procurar o financiamento que a União Europeia possa dar” para prosseguir com os investimentos nas localidades rurais do concelho.

Na fotografia, a ETA do Caldeirão, Guarda.

LUSA









LINHA CANCRO
MUSIC BOX
WEB-SUMMIT

AS MAIS LIDAS