HOJE É SEXTA 13

A superstição que nos leva a associar a Sexta-feira 13 a um dia de azar tem origens muito remotas. Esta superstição é relatada em diversas culturas muito antes de Cristo e faz parte da mitologia nórdica e alemã.

O número 13 é associado à má sorte. Na numerologia, o número 12 é o da completude (12 meses do ano, 12 tribos de Israel, 12 apóstolos de Jesus ou os 12 signos do Zodíaco).

Já o número 13 é visto como um número irregular, sinal de infortúnio. Sexta-feira é tido como o dia em que Jesus Cristo foi crucificado e, por isso, é encarado como o mais azarado dos dias.

Em relação à sexta-feira, diversas culturas consideram este dia como um dia de mau agouro. Alguns historiadores acreditam que o Grande Dilúvio se deu numa sexta-feira; que a morte de Cristo aconteceu numa sexta-feira; os marinheiros ingleses não gostam de andar no mar à sexta-feira; 13 pessoas sentaram-se à mesa na Última Ceia. Na Roma pagã, a sexta-feira era o dia das execuções públicas.

Muitos mitos urbanos estão associados ao número 13.

O medo irracional da Sexta-feira 13 afecta actualmente mais de 60 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com o jornal inglês “The Mirror”. Muitas delas têm medo de sair da cama, conduzir ou até ir trabalhar.

Um dos mitos urbanos associados ao número 13 relata que se 13 pessoas se sentarem à mesa, uma delas morrerá dentro de um ano.

A aversão dos turcos ao número 13 é tão grande que a palavra treze foi eliminada do vocabulário em 1894.

Muitas cidades nos Estados Unidos não usam o número 13 para nomear ruas e avenidas. O mesmo se aplica a prédios, que não têm um décimo terceiro andar.

Outro mito urbano diz que fazer a cama de lavado numa Sexta-feira traz pesadelos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.