INEM: VIA VERDE CORONÁRIA JÁ ‘SALVOU’ 676 DOENTE COM ENFARTE

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) encaminhou no ano passado 676 doentes com enfarte agudo do miocárdio, através da Via Verde Coronária, a maioria (540) homens, segundo dados divulgados pelo organismo.

Os distritos com maior número de doentes encaminhados pelo INEM, através da Via Verde Coronária, foram Porto (171) e Lisboa (145), adiantam os dados divulgados a propósito do Dia Nacional do Doente Coronário (14 fevereiro) e hoje publicados na Newsletter do INEM.

O Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto (105), Hospital de Braga (83), Centro Hospitalar Lisboa Central — Hospital de Santa Marta (73), Centro Hospitalar Universitário do Algarve — Hospital de Faro (64) e o Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho (51) foram as unidades de saúde que receberam o maior número de casos.

“Em 74,11% dos casos decorreram menos de duas horas entre a identificação dos sinais e sintomas e o encaminhamento da vítima através desta Via Verde, enquanto que em 19,53% o processo foi efetuado entre as duas horas e as doze horas de evolução da sintomatologia”, segundo o instituto.

Os dados adiantam ainda que 1,63% dos casos dizem respeito “a situações com mais de doze horas de evolução”.

“Para melhorar esta situação é essencial que os cidadãos conheçam os sinais e sintomas de alerta do enfarte agudo do miocárdio e saibam como utilizar o Número Europeu de Emergência (112)”, defende o INEM.

“Está demonstrado que o contacto com o 112 reduz o intervalo de tempo até ao início da avaliação, diagnóstico, terapêutica e agilização do transporte para a unidade hospitalar mais adequada, fundamentais para garantir o sucesso das medidas terapêuticas atuais”, sublinha.

Dor no peito de início súbito, com ou sem irradiação ao braço esquerdo, costas ou mandíbula, suores frios intensos, acompanhados de náuseas e vómitos, são alguns dos sinais que podem indicar um enfarte agudo do miocárdio.

O INEM encaminha as vítimas para os hospitais adequados através desta Via Verde, permitindo “um tratamento mais rápido e eficaz nas unidades de cuidados intensivos coronários ou salas de hemodinâmica”.

O encaminhamento é feito com base em critérios clínicos específicos, visando o rápido tratamento de determinados tipos de enfarte agudo do miocárdio, particularmente nos casos em que existe indicação para cateterismo cardíaco, procedimento realizado nas salas de hemodinâmica.

O enfarte agudo do miocárdio é uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção súbita do fluxo de sangue nas artérias do coração (coronárias).

A realização de exames médicos de rotina, os hábitos de vida saudáveis, a prática de desporto de forma regular, evitar o tabaco e a vida sedentária são algumas das formas de prevenção da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.