Ligue-se a nós

REGIÕES

MURÇA: POPULARES PREPARAM-SE PARA O PIOR, RETIRAM LENHA E REGAM QUINTAIS

No bairro de São José, na vila de Murça, populares estavam esta tarde a retirar lenha de garagens e a regar quintais por precaução devido ao incêndio que desde domingo atinge o concelho.

Online há

em

No bairro de São José, na vila de Murça, populares estavam esta tarde a retirar lenha de garagens e a regar quintais por precaução devido ao incêndio que desde domingo atinge o concelho.

“Este terreno está por limpar, apesar do nosso terreno mais em baixo, que pertence à família, estar tratado. Se calha cair aqui uma faúlha mais forte, pode ser perigoso. Nós temos ali lenha guardada para o inverno que é um perigo”, explicou à agência Lusa uma moradora do bairro que não se quis identificar.

Segundo contou, “no espaço de uma hora ficou tudo cheio de fumo” devido a um reacendimento do fogo que lavra neste concelho do distrito de Vila Real desde domingo.

O incêndio, segundo esta moradora, lavra no monte em frente, conhecido localmente como “Ursa”, mas as preocupações estão centradas no vento forte que se faz sentir.

Conjuntamente com os pais e com a ajuda de carretas, estavam a transportar para uma carrinha para a retirarem daquela garagem.

Publicidade

Ao lado, várias pessoas estavam a regar um quintal.

Manuel Ângelo está com outros populares na estrada a observar o fogo que lavra na serra.

“Estamos aqui todos com o coração nas mãos. Estou preocupado sim. Admite-se dar cabo do país assim?”, salientou.

Junto à vila de Murça, mas em pontos opostos, a estrada nacional 15 (EN15), de ligação ao Pópulo, e a estrada municipal 314 (EM314) estão cortadas ao trânsito por precaução.

Publicidade
Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

VILA REAL: IDOSA MORRE EM INCÊNDIO NUMA HABITAÇÃO EM VILARINHO

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Online há

em

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Orlando Matos afirmou à agência Lusa que a irmã da vítima ficou em estado de choque, foi considerada ferida ligeira e transportada para observação ao Hospital de Vila Real.

O comandante referiu que a vítima mortal tem uma idade compreendida entre os 70 e os 80 anos e que o óbito foi declarado no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), do INEM.

O alerta para o incêndio foi dado pela irmã da idosa pelas 01:30 e, segundo Orlando Matos, quando os meios chegaram ao local a habitação estava tomada pelas chamas.

O fogo, acrescentou, terá tido início no quarto da vítima, onde esta foi encontrada pelos bombeiros, e as causas que estiveram na sua origem vão ser investigadas pela Polícia Judiciária (PJ), que esteve no local durante a madrugada.

Publicidade

Para o combate ao incêndio foram mobilizados 16 bombeiros da Cruz Branca, com cinco viaturas, e ainda militares da GNR.

A aldeia de Vilarinho pertence à União de Freguesias de Pena, Quintã e Vila Cova, no concelho de Vila Real.

LER MAIS

REGIÕES

MIRANDELA: ACIDENTE DE TRABALHO MATA HOMEM “SOTERRADO” EM BETÃO

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

Online há

em

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

“Foi um acidente de trabalho às 15:12. Era um trabalhador da fábrica Pavimir. Supostamente terá caído numa máquina de receção de betão, tendo ficado submerso. Aliás, o alerta foi para um soterrado, o trabalhador ficou submerso com o betão”, indicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Mirandela, Luís Soares.

O comandante adiantou ainda que foram os colegas a encontrar o homem, que estranharam a ausência prolongada da vítima. À chegada do socorro, o trabalhador foi retirado da máquina pelos bombeiros, já em paragem cardiorrespiratória.

O óbito foi declarado ainda na empresa pela equipa médica do helicóptero do INEM de Macedo de Cavaleiros, chamada também para a ocorrência.

Luís Soares explicou ainda que se trata de uma estrutura recetora de betão, com alguma dimensão.

Publicidade

Foi ativado apoio psicológico para colegas e familiares.

A Guarda Nacional Republicana esteve local, tendo comunicado os factos ao tribunal e à Autoridade para as Condições de Trabalho.

LER MAIS

MAIS LIDAS