RÁDIO REGIONAL
INTERNACIONAL

O FACEBOOK TAMBÉM FOI “USADO” PARA O BREXIT

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A Cambridge Analytica, acusada de recolher dados pessoais de 50 milhões de utilizadores do Facebook, teve um “papel decisivo” no referendo sobre o ‘Brexit’, afirmou hoje o ex-funcionário da empresa Christopher Wylie.

Numa entrevista a vários jornais europeus, Wylie, que denunciou a polémica, foi questionado sobre se a saída do Reino Unido da União Europeia teria sido aprovada pelos eleitores britânicos em 2016 sem a interferência da Cambridge Analytica.

“Não, eles tiveram um papel decisivo, tenho a certeza”, disse Wylie, que foi director de pesquisa na empresa, numa entrevista de que publicam hoje diferentes excertos os jornais franceses Libération e Le Monde, alemão Die Welt, espanhol El Pais e italiano La Repubblica, entre outros.

Na entrevista, o denunciante afirma que a empresa canadiana Aggregate IQ (AIQ) trabalhou com a Cambridge Analytica para ajudar a campanha a favor do ‘Brexit’, “Leave EU”.

“Sem a Aggregate IQ, a campanha do ‘Leave’ não teria conseguido ganhar o referendo, que foi decidido por menos de 2% dos votos”, disse.

Wylie defende que “é preciso arranjar o Facebook, não eliminá-lo” e recusa a opinião daqueles que aconselham os utilizadores a apagar a conta na rede social: “Tornou-se impossível viver sem estas plataformas, mas é preciso enquadrá-las”.

O ‘whistleblower’ (expressão inglesa que designa aqueles que denunciam ilegalidades em nome do interesse público) conta por outro lado as circunstâncias da sua contratação em 2013 pela SCL, a “casa-mãe” da Cambridge Analytica para cuja criação contribuiu.

Segundo contou ao Le Monde, descobriu mais tarde que o seu antecessor “morreu em condições não explicadas no seu quarto de hotel em Nairobi, quando trabalhava para Uhuru Kenyatta”, o atual presidente do Quénia.

Wylie reitera por outro lado o envolvimento com a empresa britânica de Steve Bannon, antigo conselheiro do presidente norte-americano, Donald Trump, e antigo director do ‘site’ de extrema-direita norte-americano Breitbart. “Ele [Bannon] vinha a Londres pelo menos uma vez por mês”, disse ao Líbération.

VEJA AINDA:

FACEBOOK E INSTAGRAM FORAM BLOQUEADOS NA RÚSSIA

Lusa

RÚSSIA ANUNCIA RESTRIÇÃO ÀS REDES SOCIAIS EM NOME DA ‘LIBERDADE’

Lusa

DONA DO FACEBOOK APRESENTA SUPERCOMPUTADOR PARA PESQUISA DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Lusa

A EMPRESA PROPRIETÁRIA DO FACEBOOK MUDA DE NOME E VAI CHAMAR-SE: ‘META’

Lusa

O FACEBOOK É A REDE SOCIAL DOMINANTE ENTRE OS PORTUGUESES – ESTUDO

Lusa

FACEBOOK EXPANDE POLÍTICAS CONTRA ASSÉDIO DE FIGURAS PÚBLICAS

Lusa