PIRATAS ‘ROUBAM’ MEIO MILHÃO POR MÊS ÀS OPERADORAS DE CABO

As operadoras oficiais de televisão por cabo perdem cerca de 600 mil euros por mês devido à oferta de sistemas de televisão pirata, instalados através de boxes ilegais. Atualmente, serão já 300 mil casas equipadas com estes equipamentos.

As operadoras oficiais de televisão por cabo perdem cerca de 600 mil euros por mês devido à oferta de sistemas de televisão pirata, instalados através de boxes ilegais. Atualmente, serão já 300 mil casas equipadas com estes equipamentos.

De acordo com o Jornal de Notícias, que avançou a notícia neste fim-de-semana, a estimativa das operadoras aponta para um rombo nas contas das operadoras oficiais que cobram cerca de 80 euros por um serviço de televisão mensal, enquanto que a televisões piratas cobram cerca de 7 euros também mensais.

Tal como explica o JN, tratam-se de sistemas ilegais de IPTV que usam apenas a Internet para transmitir um sinal de televisão pago. Quanto aos custos, um sistema legal custa mais de dez vezes o valor pago pelo sinal pirata.

“São publicitados através da Internet, em alguns sítios perfeitamente legais, e das redes sociais. O problema que se coloca atualmente é a dificuldade que o consumidor tem em identificar se se trata de um serviço legal ou não”, afirma Paulo Santos, diretor-geral da Associação Portuguesa de Defesa das Obras Audiovisuais, ao Correio da Manhã.

No ano corrente, serão já 300 mil as casas equipadas com diversos sistemas de televisão ilegais, nota o diário, dando conta que muito dos anúncios de venda surgem através Internet e das redes sociais.

Ainda segundo o matutino, a Associação Portuguesa de Defesa das Obras Audiovisuais estimava em cerca de 220 mil o número de lares que em Portugal estavam equipados com algum tipo de sistema de boxes ilegais. Em apenas um ano, o número terá disparado para 300 mil, o que significa um acréscimo de 36%.

ZAP | CM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.