RIO AVE: ENCERRAMENTO DA BANCADA TERÁ PREJUÍZOS

António Silva Campos, presidente do Rio Ave, reconheceu esta quarta-feira que os problemas estruturais numa das bancadas do estádio do clube têm causado “prejuízos bastante elevados”.

António Silva Campos, presidente do Rio Ave, reconheceu esta quarta-feira que os problemas estruturais numa das bancadas do estádio do clube têm causado “prejuízos bastante elevados”.

“Temos uma perda de receita, principalmente nos jogos com os grandes, mas temos que conviver com esta realidade. Não vale a pena dramatizar. Contabilizámos os prejuízos e são bastante elevados, mas temos que encarar a situação, demolindo a bancada e construindo uma nova”, assumiu o dirigente.

Desde o início do campeonato que os responsáveis do emblema vila-condense decidiram interditar ao público, por razões de segurança, a bancada nascente do estádio, anunciando, em setembro, a demolição da mesma no final desta época, o que faz com que durante esta temporada o recinto tenha apenas uma bancada disponível para receber os adeptos.

“A bancada já tinha 35 anos e, depois de ver os relatórios, não tínhamos outra solução que não o encerramento. A outra bancada [poente] ultrapassa os cinco mil lugares e depois das experiências que fizemos nos jogos com Vitória de Guimarães e F. C. Porto, os nossos sócios podem ficar tranquilos com a segurança, pois não correm risco que haja conflitos”, garantiu Silva Campos.

O presidente do Rio Ave fez, ainda, uma análise ao arranque de temporada da equipa, falando num “desempenho positivo e dentro projeções”, que dão azo a que o líder vila-condense assuma uma candidatura a uma vaga nas competições europeias da próxima época.

“Não queremos colocar muita pressão, mas se estivermos na parte superior da classificação podemos pensar em lugares europeus. Com este plantel e esta estrutura somos candidatos. Se não acontecer não nos vamos sentir defraudados, pois sabemos que é muito difícil”, afirmou António Silva Campos.

O dirigente mostrou-se satisfeito, mas cauteloso, quanto a uma possível presença na ‘inal-four da Taça da Liga, depois da equipa ter ganhado o primeiro jogo da fase de grupos, frente ao Sporting.

“Por termos ganhado ao Sporting ainda não conquistámos nada. Temos que vencer o jogo com o Portimonense e depois frente ao Gil Vicente para conseguirmos esse objetivo”, vincou o presidente do Rio Ave.

António Silva Campos teceu estas declarações à margem da apresentação de uma parceria do clube com o “Projecto 24+24 – Realiza Sonhos”, uma iniciativa de cariz solidário, organizada por quatro pilotos de automobilismo.

Os pilotos vão participar na prova 24 Horas TT Vila de Fronteira, organizada pelo Automóvel Clube de Portugal, utilizando o seu veículo para a divulgação do trabalho realizado por instituições de cariz social como a ACREDITAR, a Operação Nariz Vermelho ou o Instituto Português do Sangue e da Transplantação, que terão as suas cores a decorar o carro.

O clube vila-condense, através do projeto ‘Rio Ave Social’, também terá os seus logótipos no veículo, ajudando a dar mediatismo ao projeto.

“O Rio Ave tem uma imagem muito forte e sentimos um grande orgulho em ajudar estas instituições”, disse António Silva Campos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.