Ligue-se a nós

DESPORTO

RODRIGO KOXA BATEU O RECORDE DE MCNAMARA (vídeo)

O brasileiro Rodrigo Koxa bateu o recorde de maior onda surfada, na Praia do Norte, na Nazaré, superando em 61 centímetros o anterior registo do havaiano Garrett McNamara, de acordo com a Liga Mundial de Surf (WSL).

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O brasileiro Rodrigo Koxa bateu o recorde de maior onda surfada, na Praia do Norte, na Nazaré, superando em 61 centímetros o anterior registo do havaiano Garrett McNamara, de acordo com a Liga Mundial de Surf (WSL).

Na gala de atribuição dos prémios de ondas gigantes (XXL), Koxa venceu o prémio para a maior do ano, com a onda surfada em 8 de novembro de 2017, que o painel calculou ter 24,38 metros de altura, mais 61 centímetros do que o anterior máximo, de 23,77 metros, também na Nazaré e que estava na posse de McNamara.

De acordo com a WSL, o registo de Koxa passa a integrar o livro dos recordes do Guinness, substituíndo o anterior, que remontava a 01 de novembro de 2011.

Das dez ondas nazarenas nomeadas para os galardões, entre as 30 candidatas, além do prémio arrebatado por Koxa para a maior, foi ainda premiada a queda do ano (‘wipeout’) de Andrew Cotton, em 08 de novembro de 2017, na qual o britânico fraturou uma vértebra.

O vencedor do Nazaré Challenge, etapa portuguesa do circuito mundial de ondas gigantes, o brasileiro Lucas Chianca venceu o prémio de melhor desempenho global masculino, enquanto o galardão feminino foi entregue pela terceira vez à havaiana Paige Alms, superando a candidatura nazarena da brasileira Maya Gabeira.

Com uma só onda, em Jaws, no Havai, o havaiano Ian Walsh conseguiu juntar os prémios de melhor onda surfada e melhor tubo.

O também havaiano Aaron Gold arrecadou o troféu para melhor onda após remada, no mesmo local, batendo Lucas Chianca, que estava entre os nomeados para a categoria, com uma onda na Praia do Norte.

A Nazaré contava com outras nomeações, incluindo duas para melhor onda surfada (Ross Clarke-Jones e Sebastian Steudner), outras três para a maior (Ross Clarke-Jones, Sebastian Steudner e Benjamim Sanchis) e uma queda (Owen Schultz).

VER AQUI O VÍDEO:

PUBLICAÇÃO INSTAGRAM:

#respost @wsl #KoxaBOMB💣 #GoBIGGER Hoje à noite saberemos o resultado oficial do OSCAR das ONDAS GIGANTES da WSL… SUPER ENERGIZADO aqui na CALIFÓRNIA e honrado por estar nesta disputa mais uma vez… A partir da MEIA NOITE 12:00am no horário de Brasília vai começar a transmissão “AO VIVO” do #WslBigWaveAwards 2018 e conto com a TORCIDA DOS MEUS AMIGOS para que vença A MAIOR ONDA da categoria #XXLBIGGESTWAVE In CALIFORNIA #SantaMonica the transmission will be at 20:00 direct by the WSL website…”LIVE” Obrigado a suporte de todos🙏🏼 Obrigado @sergiocosmico MEU PARCEIRO PORTUGUÊS que me colocou nesta onda, vc é um GIGANTE MEU IRMAOZÃO… Vamos contudo e ACREDITO com FÉ EM DEUS que vai dar tudo certo.. #DeusNoCOMANDO TMJ @koxabomb💣 @blams.bls @travelace_br @akiwas @silversurfsurfboards @sposurf @delirionatural @tomihamanderson @massokheir @crossfit_enseada 👊🏼 VALEU PELO VÍDEO @muriongofilms🎥 @carlosmuriongo Vamos torcer para o BRASIL também com @MAYA Na melhor PERFORMANCE FEMININA… e para o @lucaschumbo na CATEGORIA “Paddle Awards” Yeahhh OBRIGADO e #TksGOD🙏🏼

Uma publicação partilhada por Rodrigo Koxa (@rodrigokoxa) a

DESPORTO

FERNANDO SANTOS SOMA MAIS UMA DERROTA QUE VALE 4 MILHÕES AO FISCO

O Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD) indeferiu o pedido de Fernando Santos sobre o enquadramento fiscal do seu contrato com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), confirmaram esta segunda-feira à Lusa o selecionador e a FPF, em comunicado.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD) indeferiu o pedido de Fernando Santos sobre o enquadramento fiscal do seu contrato com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), confirmaram esta segunda-feira à Lusa o selecionador e a FPF, em comunicado.

Fernando Santos pediu a clarificação sobre o regime fiscal aplicado ao contrato firmado pela sua empresa com a FPF, em 2014, sobre o qual havia sido pago IRC e IRS, tendo em vista a devolução dos montantes já liquidados a título de IRS relativo a 2016 e 2017, que rondam os quatro milhões de euros.

Em comunicado, o selecionador dá conta da decisão do CAAD, relativamente ao enquadramento fiscal desta relação contratual, lembrando que foram declarados todos os rendimentos.

“No decurso das sessões no CAAD resulta demonstrado, como não podia deixar de ser, que a minha empresa já existia quando eu treinava na Grécia pelo que não é nem fictícia nem se criou com o propósito de eu vir a ser selecionador nacional”, afirmou Fernando Santos, assumindo-se aliviado pelo esclarecimento agora conhecido: “Só a existência dessa dúvida – felizmente ultrapassada – me deixou magoado e profundamente ofendido. Violaria todos os princípios com que sempre guiei e guio a minha vida”.

O técnico, de 67 anos, considera que “ficou evidente” que não tentou, nem a FPF, “criar um esquema através do qual se sonegasse informação ou se iludisse a Autoridade Tributária (AT) ou qualquer outra autoridade”.

“A minha empresa (FEMACOSA) e eu declarámos à AT integral e pontualmente todos os pagamentos realizados e os correspondentes rendimentos auferidos. Face à interpretação que a AT sustentou, foi logo pago o imposto (IRS) exigido adicionalmente, pelo que não devo e nunca devi um cêntimo à AT”, rematou o técnico.

Já a FPF reiterou o seu apoio a Fernando Santos, elogiando a conduta do treinador.

“Fernando Santos teve sempre, desde que foi convidado para assumir o cargo de selecionador nacional, uma conduta irrepreensível do ponto de vista ético, moral e desportivo. A existência de um contrato único para os serviços de toda a equipa técnica nacional foi opção da FPF, com o propósito de evitar constrangimentos se e quando existissem rescisões (como as que tinham ocorrido com outros selecionadores e respetivas equipas técnicas)”, explicou fonte federativa.

Face a esta interpretação do CAAD, tanto Fernando Santos como a FPF reservam-se o direito de avançar com “eventuais ações legais que possam vir a justificar-se”.

LER MAIS

DESPORTO

O ‘POLÉMICO’ FAMALICÃO VENCE POR GOLEADA O BOAVISTA (VÍDEO)

O Famalicão somou hoje o segundo triunfo na I Liga, depois de três derrotas consecutivas, ao golear em casa o Boavista por 4-0, em encontro da oitava jornada.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O Famalicão somou hoje o segundo triunfo na I Liga, depois de três derrotas consecutivas, ao golear em casa o Boavista por 4-0, em encontro da oitava jornada.

Ivo Rodrigues, aos 25 minutos, o panamiano Puma Rodríguez, aos 44, o francês Zaydou, aos 52, e o brasileiro Gustavo Assunção, aos 85, apontaram os tentos do conjunto comandado por João Pedro Sousa, em estreia na sua segunda passagem pelo clube.

Com esta vitória, o Famalicão saltou para o 15.º lugar, com sete pontos, enquanto o Boavista, que vinha de três vitórias seguidas, manteve-se com 15, ainda no quarto lugar, que pode perder na segunda-feira para o Casa Pia.

video
play-rounded-fill
LER MAIS

DESPORTO

VITÓRIA QUEBRA INVENCIBILIDADE DO BENFICA NUM EMPATE A ZERO (VÍDEO)

O líder Benfica cedeu hoje os primeiros pontos na edição 2022/23 da I Liga, depois de sete vitórias, ao empatar a zero no reduto do Vitória de Guimarães, em encontro da oitava jornada.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O líder Benfica cedeu hoje os primeiros pontos na edição 2022/23 da I Liga, depois de sete vitórias, ao empatar a zero no reduto do Vitória de Guimarães, em encontro da oitava jornada.

Num jogo com raras oportunidades de golo, os ‘encarnados’ falharam também aquela que seria a sua 14.ª vitória consecutiva em todas as competições a abrir a temporada.

A formação de Roger Schmidt passa a contar 22 pontos, mais três do que o FC Porto, que ascendeu ao segundo posto, ao vencer por 4-1 na receção ao Sporting de Braga, agora terceiro, também com 19. O Vitória é novo, com 11.

video
play-rounded-fill
LER MAIS

DESPORTO

VIZELA BATE PORTIMONENSE E SOMA PRIMEIRO TRIUNFO EM CASA (VÍDEO)

O Vizela conseguiu hoje a primeira vitória caseira na I Liga portuguesa de futebol, e segunda na prova, depois de seis jogos sem ganhar, ao bater o Portimonense por 1-0, em encontro da oitava jornada.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O Vizela conseguiu hoje a primeira vitória caseira na I Liga portuguesa de futebol, e segunda na prova, depois de seis jogos sem ganhar, ao bater o Portimonense por 1-0, em encontro da oitava jornada.

Um golo do central brasileiro Anderson, aos 14 minutos, selou o triunfo do conjunto comandado por Álvaro Pacheco, que só tinha triunfado na ronda inaugural (1-0 em Vila do Conde).

A formação da casa passou a somar oito pontos, juntando-se no 11.º lugar a Desportivo de Chaves e Arouca, enquanto o Portimonense, que tinha vencido cinco dos últimos seis jogos, manteve-se com 15, na quinta posição.

video
play-rounded-fill
LER MAIS

MAIS LIDAS

Hide picture