TAÇA DE PORTUGAL: CHAVES GUERREIRO VENCEU O BOAVISTA (2-1)

Um golo de Medina, em tempo de descontos, permitiu hoje ao Desportivo de Chaves, da II Liga, eliminar o Boavista (I Liga) na terceira eliminatória da Taça de Portugal em futebol, ao derrotar os ‘axadrezados’ 2-1, após prolongamento.

Depois de uma igualdade sem golos no tempo regulamentar, os flavienses adiantaram-se no marcador aos 101 minutos, através de André Luís, e o Boavista ainda chegou à igualdade, com um golo de Bueno, aos 117, mas Medina, no segundo minuto de descontos (120+2), anotou o tento da vitória da equipa de Chaves.

Com o afastamento dos boavisteiros, sobe a seis o número de equipas eliminadas nesta ronda da Taça, juntando-se a Sporting, Vitória de Guimarães, Tondela, Desportivo das Aves e Portimonense.


A CRÓNICA DO JOGO:

Após o 0-0 no final do tempo regulamentar, no encontro realizado em Chaves, a equipa da casa marcou primeiro, por André Luís, na recarga a uma grande penalidade defendida por Helton, aos 101 minutos.

Aos 117, o avançado Bueno ainda empatou para o Boavista, mas, no último lance do desafio, aos 120+2, o defesa Medina fez o golo da vitória.

Sem competição desde 27 de setembro, os ‘axadrezados’ entraram com ‘fome de bola’, tendo o técnico Lito Vidigal apresentado mesmo a equipa que tem sido utilizada regularmente na I Liga, à exceção da troca na baliza, com Helton a ser chamado à titularidade pela primeira vez esta época.

Os flavienses podiam ter chegado ao golo, primeiro por Fatai, isolado por Wagner, aos 25 minutos, mas Helton saiu dos postes para resolver a jogada, e aos 35, após canto, com Wagner a falhar junto ao segundo poste um primeiro desvio de Diego Galo.

O equilíbrio manteve-se no segundo tempo com as defensivas a superiorizarem-se aos ataques e o técnico Lito Vidigal, que aos 81 minutos foi expulso por duplo amarelo, refrescou o ataque com as entradas de Cassiano e Bueno.

O conjunto de Chaves esteve mais perto do golo na reta final, tendo por três vezes criado situações para se adiantar.

No prolongamento, Helton ia segurando o empate, mas, aos 100 minutos, o recém-entrado Platiny conquistou uma grande penalidade por falta de Neris e André Luís fez o golo, na recarga após defesa de Helton (101).

Apenas em desvantagem os boavisteiros assumiram por completo o comando da partida e, em jogada de insistência, chegaram ao empate, aos 117 minutos, com Bueno a concluir em plena grande área, de cabeça.

Mas o jogo decidiu-se nos descontos do prolongamento, com Babanco a bater um livre, aos 120+2 minutos, e o defesa Medina, completamente sozinho na área, fez um ‘chapéu’ a Helton e deu a vitória aos transmontanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.