TOMAR, TORRES NOVAS E ENTROCAMENTO REDUZEM TARIFAS DOS TRANSPORTES

Os transportes urbanos de Torres Novas, Tomar e Entroncamento (distrito de Santarém) sofrem, a partir de segunda-feira, reduções entre os 22% e os 64%, no âmbito do Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART).

Os transportes urbanos de Torres Novas, Tomar e Entroncamento (distrito de Santarém) sofrem, a partir de segunda-feira, reduções entre os 22% e os 64%, no âmbito do Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART).

Em comunicado, a Câmara de Torres Novas afirma que o desconto nos seus transportes urbanos será de cerca de 22% em todas as tipologias de passe, com exceção do passe Estudante, em que a redução é de cerca de 64%.

Também os tarifários dos TUTomar – Transportes Urbanos de Tomar vão sofrer reduções a partir de segunda-feira, que variam conforme os tipos de passes, atingindo, no caso dos estudantes, os 60%, refere uma nota deste município.

A partir de abril, os passageiros regulares dos TUTomar vão pagar 8,50 euros pelo passe normal, 5,95 euros pelo passe CCD (menos 30%) e 5,00 euros pelo passe Estudante / 3.ª Idade / Mobilidade Condicionada. Os utilizadores dos passes 4_18 também vão ter descontos, no caso do escalão A de 60% (passa para 3,40 euros), tendo os restantes alunos desconto de 25% (6,40 euros).

A autarquia lembra que os descontos para o passe 4_18@escola.tp são definidos pelo Instituto da Mobilidades e dos Transportes.

No caso do Entroncamento, o Passe Jovem e Cidadão Portador de Deficiência passa a estar isento de tarifa nos TURE – Transportes Urbanos do Entroncamento, sendo de 60% a redução na tarifa do Passe Sénior (reduz de 7,5 para 3 euros) e do Passe Geral (de 15 para 6 euros).

“Esta medida irá abranger, aproximadamente, 95.650 passageiros que anualmente viajam nos transportes urbanos” da cidade, afirma uma nota do município.

A Câmara de Abrantes remeteu para mais tarde a divulgação das reduções a aplicar nos transportes urbanos da cidade, assegurando que entrarão em vigor na segunda-feira.

Os quatro concelhos integram a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, que anunciou, na passada segunda-feira, uma redução da ordem dos 40% nas assinaturas dos transportes públicos na região, a entrar em vigor a 1 de abril para os rodoviários e a 1 de maio para os ferroviários.

Anabela Freitas, presidente da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, e o secretário executivo da CIMT, Miguel Pombeiro, anunciaram que cerca de 90% dos 870.984 euros do programa de redução tarifária nos transportes públicos alocados à região se destinam a reduzir os custos dos passes sociais e dos bilhetes nos transportes a pedido.

Este serviço, que assegura a ligação das freguesias às sedes do concelho, é alvo de uma simplificação dos escalões tarifários, passando de quatro para três, com redução média global de 35% das tarifas, destinando-se os 10% restantes da verba à extensão da rede ao sul do concelho de Tomar e ao município de Vila de Rei, que vai testar uma ligação intermunicipal do transporte a pedido.

A redução vai abranger não só os transportes públicos dentro da área da CIMT, mas também na ligação a regiões vizinhas (Lezíria, Leiria, Coimbra e Beira Baixa) e os que são usados nas ligações pendulares a Lisboa, incidindo nos passes normais e jovens.

Na nota divulgada hoje, o presidente da Câmara do Entroncamento, Jorge Faria, sublinha que os utentes do percurso ferroviário Entroncamento-Lisboa vão poder, já a partir de segunda-feira, combinar o passe regional até Vila Franca de Xira (164,20 euros) com o da Área Metropolitana de Lisboa (40,00 euros), “o que representa uma redução substancial em relação aos 252,90 euros pagos atualmente por quem conjuga a assinatura da CP com o passe do Metropolitano de Lisboa”.

“A partir de 1 de maio, o custo mensal para estes utilizadores será ainda menor, com a aplicação das reduções negociadas pela CIMT com a CP”, medida que “terá influência sobre as cerca de 13.000 assinaturas do serviço ferroviário, considerando as assinaturas dos trajetos entre concelhos do Médio Tejo e Lisboa e entre esses mesmos concelhos”, adianta.

“As reduções poderão ascender aos 40% nas assinaturas normais, acrescidas de 25% de desconto suplementar nas assinaturas jovens”, afirma a nota.

O PART conta com 104 milhões de euros do Fundo Ambiental, através do Orçamento do Estado, e terá a comparticipação de 12 milhões de euros dos municípios, cabendo a cada Comunidade Intermunicipal (CIM) definir, a nível local, qual será o valor da redução no preço das viagens.

LUSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.