RÁDIO REGIONAL
INTERNACIONAL

UCRÂNIA: RÚSSIA CONFIRMA QUE NAVIO MOSKVA AFUNDOU NO MAR NEGRO

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O cruzador de mísseis Moskva, a principal embarcação da frota russa no mar Negro que as forças ucranianas asseguram ter atacado, afundou enquanto estava a ser rebocado durante uma tempestade, adiantou esta quinta-feira o Ministério da Defesa da Rússia.

“Durante o reboque do cruzador Moskva para o porto de destino, o navio perdeu a estabilidade devido a danos no casco sofridos no incêndio decorrentes da detonação de munições”, noticiou a agência estatal TASS.

O Ministério de Defesa russo tinha indicado anteriormente que o fogo a bordo do navio estava “controlado” e que o cruzador tinha mantido a sua “flutuabilidade”, enquanto anunciava uma investigação às causas do desastre.

As autoridades russas tinham também indicado que o reboque do navio estava a decorrer e que a tripulação, de várias centenas de pessoas, tinha sido retirada para outros navios da frota russa no mar Negro.

A Ucrânia, pelo seu lado, tinha reivindicado o ataque ao cruzador, atingido por mísseis Neptuno.

Durante a madrugada de quarta para quinta-feira, o governo russo reconheceu danos significativos no navio.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou quase dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A guerra causou a fuga de mais de 11 milhões de pessoas, mais de 4,5 milhões das quais para os países vizinhos.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

VEJA AINDA:

PUTIN RESPONDE À NATO E SOBRE A UCRÂNIA ASSEGURA QUE ‘NADA MUDOU’ – GUERRA

Lusa

KIEV SAÚDA ‘POSIÇÃO LÚCIDA’ DA NATO SOBRE A RÚSSIA

Lusa

UCRÂNIA PODE CONTAR COM APOIO DA NATO ‘O TEMPO QUE FOR NECESSÁRIO’ – STOLTENBERG

Lusa

CRESCIMENTO DA AQUICULTURA LEVA PRODUÇÃO A NÍVEL RECORDE EM 2020

Lusa

LIMITAR AQUECIMENTO GLOBAL A 1,5 GRAUS REDUZIRÁ SIGNIFICATIVAMENTE RISCOS PARA HUMANOS

Lusa

STOLTENBERG: ‘FINLÂNDIA E SUÉCIA TORNARÃO A NATO MAIS FORTE’

Lusa