UNIVERSIDADE DO MINHO ASSUME O ESPÓLIO DE AFONSO MANUEL BRAGA DA CRUZ

A Universidade do Minho vai ficar com o espólio bibliográfico de Afonso Manuel Braga da Cruz, considerado “a mais importante biblioteca particular sobre Braga”, um “honra” para o reitor daquela academia que realça o “potencial de estudo” da colecção.

Em declarações à Lusa, Rui Vieira de Castro explicou que da colecção, que ficará a cargo da Universidade do Minho (UMinho), fazem parte mais de 20 mil obras, “muitas delas raras” e que desta forma poderão ser vistas, consultadas pelo público, naquela que “é também uma missão da universidade, a de conservação de novas obras e enriquecimento do espólio” da Biblioteca Pública de Braga.

Segundo referiu o reitor, “é um acervo riquíssimo do ponto de vista histórico e que pode dar uma visão única para entender a sociedade ao longo de várias épocas, nomeadamente em Braga, seja do ponto de vista económico ou social”.

Da biblioteca privada da família Braga da Cruz fazem parte manuscritos, folhetos e fólios de 1528 até à actualidade, incluindo um importante núcleo referente à história da cidade de Braga, publicações ligadas à literatura, com destaque para a camoniana e camiliana, à história de Portugal, genealogia e heráldica, numismática, arte e azulejaria, matemática, física, química, ciências naturais, agricultura e vinhos.

“Além de todo o conhecimento sobre a área geográfica onde estamos e sobre o país, fruto da vivência da própria família, há que destacar a possibilidade de também conhecer através daquele espólio a realidade de S. Tomé e Príncipe e ainda outras antigas colónias portugueses”, apontou Rui Vieira de Castro.

A biblioteca congrega ainda um leque de publicações referentes ao direito romano, civil, administrativo, penal, comercial e canónico, monografias de Lisboa, Porto, Coimbra, Guimarães, Barcelos, Gerês e Galiza, congregando constituições, vários sermões e livros ascéticos, assim como manuais sobre música sacra e profana, revistas dos séculos XIX e XX e vários dicionários.

O novo espólio da UMInho vai ficar instalado em duas salas, na zona onde se encontram acondicionadas as coleções particulares da Biblioteca Pública de Braga, no complexo do Largo do Paço.

“A nossa missão também é esta. Enriquecer o património da cidade, conservá-lo, dá-lo a conhecer ao público e também estudá-lo. Para a família é uma forma de garantir a salvaguarda de todo o espólio e que o acesso a ele seja mais livre e fácil. É uma relação de dias vias”, apontou o reitor.

Manuel António Braga da Cruz, pai de Afonso Manuel Braga da Cruz, nasceu em Tadim, Braga, em 1897. Terminou o liceu em 1915 e formou-se em Matemática em 1919. Casou em 1929 com Alice de Araújo Afonso, de quem teve sete filhos. Cedo optou pelo ensino, tendo sido professor em liceus nos Açores, em Viana do Castelo e, por fim, em Braga, no Liceu Sá de Miranda. Foi um homem de cultura, bibliófilo, apaixonado e possuidor da mais importante biblioteca particular sobre Braga. Insigne bibliófilo e estudioso da história da cidade e da região, faleceu em Braga em 1982.

A cerimónia de assinatura da passagem do espólio da família para a UMinho será sexta-feira às 18:00, no Largo do Paço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.