REGIÕES

AÇORES: FALHA DE ENERGIA NAS ILHAS AFETADAS PELO FURAÇÃO LORENZO

A passagem do furacão “Lorenzo” nos Açores deixou hoje algumas freguesias de cinco ilhas sem eletricidade, sendo que parte da vila das Lajes, nas Flores, está sem energia, segundo a elétrica regional.

Após ponto de situação às 09:00 de hoje (mais uma hora em Lisboa), fonte da Eletricidade dos Açores (EDA) adiantou à Lusa que na ilha Graciosa (grupo Central) a freguesia da Guadalupe “ainda não tem energia”.

Também no grupo Central, na ilha de São Jorge, a freguesia do Topo “ainda não tem energia” e na ilha do Pico a zona mais afetada é o concelho da Madalena, de acordo com a mesma fonte.

Já na ilha do Faial, na freguesia da Feteira e em parte das freguesias de Castelo Branco e Cedros ainda não foi reposta a energia.

Segundo a mesma fonte, nas ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira e Corvo a energia elétrica “está em funcionamento normal”.

A empresa avança estar a desenvolver “todos os esforços para a rápida reposição do fornecimento de energia elétrica às populações”, adiantando que a operação “apenas está a ser dificultada pelas condições atmosféricas que ainda se fazem sentir nas várias ilhas”.

O número de pessoas desalojadas nos Açores devido à passagem do furacão “Lorenzo” aumentou para 39 e o número de ocorrências para 127, anunciou hoje a Proteção Civil regional.

“Foram realojadas 39 pessoas, na sua maioria na ilha do Faial, tenho esta sido uma das mais afetadas, não se tendo registado, no entanto, qualquer vítima”, avançou o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, em comunicado de imprensa.

Na zona costeira do concelho das Lajes na ilha do Pico foram ainda retiradas “cerca de 100 pessoas”, por precaução.

Segundo a entidade, durante o período da madrugada “foram registadas 127 ocorrências, nomeadamente, duas na ilha do Corvo, 21 nas Flores, 46 na ilha do Faial, 20 no Pico, 19 de São Jorge, oito na Graciosa, nove na Terceira, e duas em São Miguel”.

“Estas ocorrências estão, sobretudo, relacionadas com obstruções de vias, danos em habitações, quedas de árvores, inundações e galgamentos costeiros”, avançou a Proteção Civil açoriana.

A entidade recomenda à população que “evite circular e que esteja atenta às informações e indicações da Proteção Civil, adotando as medidas de autoproteção”.

A rajada de vento máxima registada pelo IPMA foi de 163 km/h, às 08:25, no Corvo.

VEJA AINDA:

ALFÂNDEGA DA FÉ: NÃO HÁ REGISTO DE NOVOS CASOS COVID-19 NAS ESCOLAS

Lusa

VILA VIÇOSA: 14 INFETADOS COM COVID-19 NOS SERVIÇOS DA MISERICÓRDIA

Lusa

AVEIRO: 13 ANOS DE PRISÃO PARA HOMEM QUE MATOU A MÃE

Lusa

AÇORES: SITUAÇÃO DE CALAMIDADE PROLONGADA ATÉ 23 DE OUTUBRO

Lusa

MONTIJO: INCÊNDIO NUMA EMPRESA CAUSA DOIS FERIDOS

Lusa

ALVAIÁZERE: SETE UTENTES E DOIS FUNCIONÁRIOS DE LAR INFETADOS COM COVID-19

Vítor Fernandes