AÇORES: MAIS TURISMO TROUXE MAIS LIXO PARA SÃO MIGUEL

A produção de resíduos urbanos nos Açores tem vindo a registar, desde 2016, aumentos anuais na ordem dos 4%, devido sobretudo ao crescimento do turismo em quase todas as ilhas, mas essencialmente em São Miguel, segundo o executivo açoriano.

A produção de resíduos urbanos nos Açores tem vindo a registar, desde 2016, aumentos anuais na ordem dos 4%, devido sobretudo ao crescimento do turismo em quase todas as ilhas, mas essencialmente em São Miguel, segundo o executivo açoriano.

“Tivemos três anos consecutivos, 2013, 2014 e 2015, com redução na produção de resíduos e a partir de 2016 há uma inversão desta tendência. Registámos aumentos ligeiros a partir daquele ano e um pouco mais significativos em 2017 e 2018”, disse o diretor regional do Ambiente, em declarações à agência Lusa.

De acordo com o mais recente relatório de gestão dos resíduos urbanos de 2018, a produção nos Açores aumentou 3,4%, mas o arquipélago manteve no ano passado o melhor desempenho do país na sua gestão, com uma taxa de valorização de 54,6%.

“Por exemplo, a ilha de São Miguel tem aumentos sucessivos da produção nos últimos quatro anos, enquanto a ilha Terceira e o Pico nos últimos dois anos”, disse Hernâni Jorge, acrescentando que os incrementos anuais na produção de resíduos urbanos registados em 2017 e 2018 se situaram “na ordem apenas dos 4%”.

Segundo o diretor regional do Ambiente, esses aumentos “são naturalmente imputáveis ao incremento da população flutuante, sobretudo nalgumas ilhas”.

São Miguel, por exemplo, “já vai no quarto ano com um aumento na produção” e é expectável que neste ano “ocorra o mesmo e eventualmente ainda em 2020, com ligeiros crescimentos na produção” de lixo.

Os relatórios dos resíduos, elaborados com base nos dados do Sistema Regional de Informação sobre Resíduos (SRIR), são disponibilizados anualmente, no mês de fevereiro.

Hernâni Jorge referiu que “a indicação dada pelos sistemas” é de que se nota a sazonalidade nesta área.

“Os meses de época alta e verão são aqueles em que há maior produção de resíduos, com predomínio em julho e agosto”, sublinhou o diretor regional do Ambiente.

Neste contexto, têm sido intensificadas as campanhas de sensibilização ambiental e medidas de prevenção da produção de resíduos — por exemplo, decorre “desde há cerca de um ano uma campanha diária na televisão publica nos Açores direcionada para a redução da produção de resíduos, com ênfase na obtenção de produtos descartáveis de uso único”.

Alem disso, a Direção Regional do Ambiente, na dependência da Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo, desenvolve ao longo do ano um conjunto de campanhas e ações de sensibilização regulares nas escolas.

De 16 a 24 de novembro será realizada a Semana dos Resíduos dos Açores, que tem como lema” mude os seus hábitos e reduza os seus resíduos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.