RÁDIO REGIONAL | PORTUGAL
REGIÕES

BRAGANÇA: CDU CONFIRMA CANDIDATURA DE ANTÓNIO MORAIS À AUTARQUIA

A cerca de quatro meses das eleições autárquicas, a CDU é a única força política com candidatura confirmada à Câmara de Bragança, liderada há quase 24 anos pelo PSD e disputada por seis candidatos há quatro anos.

António Morais, cabeça de lista da CDU, é o único candidato anunciado num ano eleitoral em que nem o atual presidente da Câmara, o social-democrata Hernâni Dias, ainda confirmou se concorre a um terceiro e último mandato. O autarca reagiu com “estupefação”, quando, em março, o PSD nacional anunciou a lista dos atuais presidentes de Câmara do partido que apoiaria como recandidatos, uma decisão que considerou “precipitada” e, desde então, não voltou a pronunciar-se sobre o assunto.

O PSD tem atualmente cinco dos sete vereadores do executivo municipal — os outros dois são do PS — e há várias eleições que repete maiorias absolutas em Bragança.

A Câmara de Bragança teve quatro presidentes desde as primeiras eleições autárquicas livres, com o PSD a contabilizar o maior número de anos de poder no executivo. CDS-PP e PS também tiveram a liderança do município transmontano, mas há cinco eleições autárquicas que os social-democratas seguram a presidência da câmara da capital de distrito.

O maior concelho do Nordeste Transmontano tinha, em 2019, 33.597 habitantes, segundo a Pordata — Base de Dados Portugal Contemporâneo. A maior parte da população concentra-se na cidade e a restante está dispersa pelas aldeias do concelho, com 1.173,6 quilómetros quadrados, o que faz de Bragança um dos municípios portugueses com maior área, segundo dados da Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes, da qual faz parte.

A agricultura, com destaque para o castanheiro e a castanha, das culturas mais rentáveis da atualidade, cresce no concelho, onde o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) é dos principais motores económicos e sociais, resumido pelo antigo presidente da instituição Sobrinho Teixeira como o equivalente “a 100 empresas com 100 trabalhadores cada”. Da parceria entre o politécnico e o município, entre outras entidades, surgiu o Brigantia Ecopark, onde estão instaladas 52 empresas de base tecnológica, com 260 trabalhadores, uma taxa de ocupação “superior a 84%”, segundo a autarquia.

A maior empresa instalada no concelho é a fábrica de componentes para automóveis da multinacional Faurecia, que atraiu outros investimentos completares à atividade, mas que atualmente tem em curso um processo de rescisão por mútuo acordo de alguns dos mais de mil trabalhadores que já empregou.

No concelho de Bragança, o ganho médio mensal dos trabalhadores por contra de outem era, em 2018, de 980 euros, abaixo dos 1.168 euros da média nacional, mas o número de empresas por habitantes era superior às contas nacionais, com 0,18 contra 0,12, respetivamente, de acordo com dados da EyeData, uma ferramenta de análise de dados estatísticos, criada pela Social Data Lab para a agência Lusa.

A disparidade salarial entre sexos era menos de metade da taxa nacional, concretamente 4,3%, contra 9,4%.

O número de beneficiários de prestações sociais como o Rendimento Social de Inserção era, em 2019, quase metade da taxa nacional.

Numa região onde a saúde é apontada como um dos principais problemas, por falta de especialidades, os dados estatísticos (2019) revelam que o número de camas em hospitais por 1.000 habitantes no concelho é de 12,4, enquanto a nível nacional é de três. Em 2019 registavam-se 5,33 médicos por 1.000 habitantes (a nível nacional o valor era de 5,39). Em 2011, Bragança tinha 39,6 centros de saúde por 100 mil habitantes, contra os 15,3 nacionais.

De acordo com os dados de 2019, 25% da população do concelho tinha então 65 ou mais anos, enquanto a nível nacional o valor era de 21,9%.

O poder de compra aproxima-se da média nacional e as rendas são quase metade dos valores médios nacionais, numa região onde a taxa de mortalidade infantil é zero, contra os 2,8% do país.

Os nascimentos estão longe de compensar o número de óbitos, com um saldo populacional natural por 10 mil habitantes negativo de 71,7% em Bragança e de 24,5 a nível nacional.

As eleições autárquicas ainda não têm data anunciada, mas, por lei, realizam-se entre setembro e outubro.

VEJA AINDA:

BRAGANÇA: ALEGADA MENSAGEM DE GIOVANI SURPREENDE JULGAMENTO

Lusa

ALERTA DE MAU TEMPO PARA SEIS DISTRITOS ATÉ ÀS 21 HORAS

Lusa

DEZ DISTRITOS SOB AVISO AMARELO DEVIDO À CHUVA, GRANIZO E TROVOADA

Lusa

BRAGANÇA: JOSÉ MORENO DELEGADO DE SAÚDE EM PRISÃO DOMICILIÁRIA

Lusa

PSP FAZ BUSCAS EM RESIDÊNCIAS EM VÁRIOS DISTRITOS RELACIONADAS COM GRUPO CRIMINOSO E VIOLENTO

Lusa

BRAGANÇA: DOIS MÉDICOS E SETE AGENTES FUNERÁRIOS DETIDOS POR FALSIFICAÇÃO

Lusa