Ligue-se a nós

REGIÕES

BRAGANÇA: CEMITÉRIOS VÃO TER LIMITAÇÃO DE ACESSO E PERMANÊNCIA

A Câmara de Bragança informou esta quarta-feira que os dois cemitérios da cidade vão manter-se abertos no Dia de Todos os Santos, com limitação de pessoas e de tempo de permanência, e outras medidas sanitárias.

Online há

em

A Câmara de Bragança informou esta quarta-feira que os dois cemitérios da cidade vão manter-se abertos no Dia de Todos os Santos, com limitação de pessoas e de tempo de permanência, e outras medidas sanitárias.

O município informa, em comunicado, que “decidiu reforçar as medidas excecionais de prevenção à pandemia (de Covid-19), sem impedir, porém, o acesso a estes espaços de homenagem a entes queridos já falecidos para ocasião dos Fiéis Defuntos”.

Porém, o acesso e permanência nos cemitérios do Toural (velho) e do Santo Condestável vão ter regras entre os dias 31 de outubro e 02 de novembro com a lotação reduzida a 300 pessoas no primeiro e a 150 pessoas no segundo.

O horário será entre as 08:00 e as 18:30 e a ocupação fica limitada a “uma pessoa por oito metros quadrados de área útil” e a permanência no local será “pelo tempo estritamente necessário, num máximo de 30 minutos”.

O município informou que os acessos, assim como os circuitos de entrada e saída, estarão assinalados “para melhor controlo da lotação do espaço”.

A autarquia destaca ainda a “obrigatoriedade do cumprimento das recomendações definidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nomeadamente a obrigatoriedade do uso de máscaras e de distanciamento físico de dois metros entre os visitantes”.

Será ainda obrigatória a desinfeção das mãos à entrada dos cemitérios e proibida a “partilha de materiais de limpeza, a não ser que sejam manuseados com luvas”.

As casas de banho públicas existentes nos cemitérios estarão fechadas.

A Câmara de Bragança sublinha que “estas medidas preventivas são de âmbito municipal, podendo as mesmas ser alteradas/revertidas em caso do agravamento da situação pandémica ou por determinação das entidades competentes”, nomeadamente da Autoridades de Saúde e Governo.

A autarquia apela “ao máximo respeito e cumprimento das normas estabelecidas, lembrando que o sentido de responsabilidade e comportamento individuais são o melhor fator de segurança da comunidade”.

O concelho de Bragança é o mais populoso do distrito de Bragança, com cerca de 30 mil habitantes, e o que apresenta o maior número de casos ativos de infeção pelo novo coronavírus. O surto nos lares da Santa Casa da Misericórdia de Bragança representa quase metade dos 377 casos confirmados.

Este surto é também dos que tem mais peso nos 51 óbitos associados à Covid-19 registados na região, desde o início da pandemia, 18 dos quais na Misericórdia de Bragança.

Desde março, o número total de infetados nos 12 concelhos do distrito de Bragança é de cerca de 1.250, mais de metade dos quais já recuperaram.

Portugal contabiliza pelo menos 2.229 mortos associados à Covid-19 em 106.271 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

REGIÕES

CARRAZEDA DE ANSIÃES: HOMEM CONSTITUÍDO ARGUIDO POR PROVOCAR INCÊNDIO

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou hoje a autoridade.

Online há

em

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou hoje a autoridade.

O caso remonta a 16 deste mês, no distrito de Bragança. A investigação conduzida pela GNR permitiu perceber que a ignição aconteceu durante a realização de atividades agrícolas com uma motorroçadora, de forma negligente, num terreno junto a uma mancha florestal.

A GNR conseguiu identificar o responsável pelos trabalhos que estavam em curso, onde não foram mantidos os cuidados necessários de vigilância. Os factos foram remetidos para o tribunal de Vila Flor.

A Guarda relembrou que a Linha SOS Ambiente e Território – 808 200 520 – funciona em permanência, para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

LER MAIS

REGIÕES

COIMBRA: RECLUSOS VÃO TRABALHAR PARA AJUDAR OS SERVIÇOS AUTÁRQUICOS

A Câmara de Coimbra e a prisão local vão celebrar um protocolo de colaboração para que reclusos em regime aberto possam trabalhar em várias áreas do município, como espaços verdes ou resíduos urbanos.

Online há

em

A Câmara de Coimbra e a prisão local vão celebrar um protocolo de colaboração para que reclusos em regime aberto possam trabalhar em várias áreas do município, como espaços verdes ou resíduos urbanos.

O protocolo de colaboração foi hoje aprovado por unanimidade na reunião do executivo camarário, perspetivando a integração laboral de reclusos do Estabelecimento Prisional de Coimbra em várias unidades orgânicas da autarquia.

“A Câmara de Coimbra pretende contribuir, assim, para a ressocialização e para a promoção da reinserção social, familiar e profissional desses reclusos, com vista à sua autonomização progressiva”, salientou o município.

O protocolo prevê que os presos possam trabalhar em tarefas como limpeza de matas e caminhos florestais, jardinagem e manutenção de espaços verdes, limpeza urbana, recolha de resíduos urbanos e obras de reparação e manutenção de edifícios, entre outras.

“Poderão, ainda, ser acrescentadas outras áreas de intervenção, consideradas necessárias e oportunas pela autarquia e passíveis de resposta pelos reclusos do Estabelecimento Prisional de Coimbra”, acrescentou a autarquia.

Os trabalhos irão ocorrer em locais definidos pelos serviços municipais e dentro de um horário estabelecido.

Segundo o município, os presos terão direito a receber da autarquia “uma bolsa de ocupação mensal de montante igual ao valor do Indexante dos Apoios Sociais [cerca de 500 euros] e um subsídio de alimentação referente a cada dia de atividade, de valor correspondente ao atribuído à generalidade dos trabalhadores que exerçam funções públicas”.

O protocolo prevê ainda que os participantes possam integrar ações de formação.

Os reclusos que poderão trabalhar na autarquia serão selecionados pela Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

LER MAIS

MAIS LIDAS