RÁDIO REGIONAL
ECONOMIA & FINANÇAS

COMBUSTÍVEIS: REEMBOLSOS DO AUTOVOUCHER SUPERARAM OS 66 MILHÕES DE EUROS

nbsp| RÁDIO REGIONAL

Os reembolsos efetuados através do Autovoucher atingiram os 66,89 milhões de euros, tendo o número de adesões ao programa superado os 2,8 milhões, indicou hoje o Ministério das Finanças.

Do montante total de 66.893.075 euros já transferidos para as contas dos consumidores que aderiram ao Autouvoucher, quase dois terços (40 milhões de euros) foram pagos desde o dia 04 de março, data em que foi anunciado que o apoio mensal atribuído através deste programa iria aumentar de cinco para 20 euros.

Tal como sucedeu em março, também em abril os consumidores aderentes vão receber um reembolso de 20 euros (apoio equivalente a 40 cêntimos por litro até ao limite de 50 litros mensais) após realizarem o primeiro abastecimento do mês.

Lançado no início de novembro, o Autovoucher começou por consistir na atribuição de um reembolso de 10 cêntimos por litro até ao limite de 50 litros mensais de combustível aos consumidores registados na plataforma IVAucher, sendo o valor (equivalente a cinco euros) pago com o primeiro abastecimento do mês.

A medida foi desenhada para durar durante cinco meses – de novembro de 2021 a março de 2022 –, tendo ficado definido que, caso o consumidor não faça qualquer abastecimento num mês, o apoio previsto ‘desliza’ e acumula com o valor do(s) mês(es) seguinte(s).

Porém, perante a escalada de preços registada após a invasão da Ucrânia pela Rússia, o Governo decidiu reforçar de 10 para 40 cêntimos (ou de cinco para 20 euros) o valor do subsídio atribuído em março e abril.

VEJA AINDA:

COMBUSTÍVEIS: PESADOS DE MERCADORIAS COM DESCONTO EXTRAORDINÁRIO NO GASÓLEO

Lusa

AMBIENTALISTAS SAÚDAM FIM DOS MOTORES DE COMBUSTÃO A PARTIR DE 2035

Lusa

MOODY’S DIZ QUE ‘RÚSSIA PREGOU O CALOTE’ MAS MOSCOVO NEGA

Lusa

GOVERNO VAI ALARGAR POR MAIS TRÊS MESES APOIO AO CABAZ ALIMENTAR

Lusa

PARLAMENTO CHUMBA LEI QUE ACABAVA COM AS ISENÇÕES FISCAIS DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Lusa

PORTUGUESES ENTRE OS MAIS ALARMADOS COM IMPACTO DA GUERRA – ESTUDO

Lusa