RÁDIO REGIONAL
ECONOMIA & FINANÇAS

COVID-19: EMPRESAS COM APOIO À RETOMA CAEM QUASE 60% EM SETEMBRO PARA 2.168

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O número de empresas a beneficiar do apoio à retoma está em queda há cinco meses e em setembro caiu quase 60% face a agosto, para 2.168, revelam as estatísticas mensais publicadas pela Segurança Social.

Também o número de trabalhadores abrangidos pelo apoio à extraordinário à retoma progressiva registou uma queda de 59,1% em setembro face ao mês anterior, para 13.816.

Por sua vez, o valor pago às empresas caiu 58,2%, totalizando 6,54 milhões de euros em setembro.

Os dados disponibilizados mostram ainda que o número de empresas abrangidas pelo apoio à retoma progressiva está em queda desde abril, mês em que a medida abrangia 27.939 empresas e 190.547 trabalhadores.

Desde o início do ano, foram abrangidas pelo apoio à retoma mais de 40 mil empresas e cerca de 295 mil trabalhadores, a que corresponde o montante global de 47,59 milhões de euros pagos.

Em agosto, foi publicado um decreto-lei que mantém em vigor o apoio à retoma até ao final do mês em que vigorem restrições à atividade associadas à pandemia.

O apoio extraordinário à retoma progressiva é uma medida adotada pelo Governo para mitigar o impacto da pandemia de covid-19 e destina-se às empresas com uma quebra de faturação igual ou superior a 25%, permitindo reduzir o horário dos trabalhadores.

A partir de outubro, as empresas que acederem ao apoio passam a estar impedidas de proceder a despedimentos no prazo de 90 dias após a cessação do apoio (contra os anteriores 60 dias).

VEJA AINDA:

MERCADO AUTOMÓVEL RECUA 5,9% EM PORTUGAL ATÉ JULHO — ACAP

Lusa

SÓ 20% DA POPULAÇÃO DA ZONA EURO POUPOU MAIS DURANTE A PANDEMIA

Lusa

MARCELO PEDE ÀS EMPRESAS COM LUCROS EXTRAORDINÁRIOS MEDIDAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

Lusa

INFLAÇÃO SOBE PARA 9,1% EM JULHO E ATINGE MÁXIMO DESDE NOVEMBRO DE 1992 – INE

Lusa

DEPOIS DA GALP A SHELL TRIPLICOU OS LUCROS EM ‘TEMPOS DE GUERRA’

Lusa

INCÊNDIOS E SECA AGRAVAM INFLAÇÃO E DIFICULTAM AS CONTAS DO GOVERNO

Lusa