REGIÕES

SINDICATO DOS MÉDICOS DIZ QUE FALTAM MEIOS DE PROTEÇÃO NO HOSPITAL PRISIONAL

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) escreveu à ministra da Justiça a denunciar a falta material de proteção individual contra o coronavírus para os profissionais de saúde do Hospital Prisional de São João de Deus, em Caxias.

Na carta, enviada à agência Lusa, o SIM diz saber que “existe grande carência de material de proteção” para os profissionais de sáude e que as máscaras com viseira e luvas que há no hospital “são desadequadas” e que “não há praticamente soluções antisséticas de base alcoólica (SABA), nomeadamente junto do registo biométrico”.

“Sendo um local de risco acrescido e com o disparar de casos positivos e suspeitos de médicos e enfermeiros, urge conter a propagação munindo os profissionais de saúde dos equipamentos de proteção individual (EPI) adequados”, sublinha o médico.

O plano de contingência da pandemia por covid-19 refere que está reservada uma enfermaria do hospital prisão para os reclusos que possam ser infetados pelo novo coronavírus.

Segundo a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) já foram distribuídos “por todos os serviços clínicos dos Estabelecimentos Prisionais “Kit” de Equipamentos de Proteção Individual” e na segunda-feira ficou concluído “o este processo de recolha das máscaras existentes no sistema prisional e a sua redistribuição pelas unidades orgânicas”.

Segundo o sindicato, no hospital prisional de Caxias “continua-se a dizer não ser necessário andar de máscara, exceto no contacto direto com os doentes”, mesmo depois dos “conselhos internacionais, de demais colegas, e da possibilidade de transmissão por casos assintomáticos”.

Por tudo isto, lê-se na carta enviada à ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, o SIM “exige medidas concretas” e apela a entidades e instituições, como a Câmara Municipal de Oeiras, que ajude a proteger a população e os profissionais de saúde.

As últimas estatísticas da DGRSP apontam para a existência de 11.863 detidos a 15 de março.

Em Portugal registaram-se 30 mortes, mais sete do que na segunda-feira, e 2.362 infeções confirmadas.

Dos infetados, 203 estão internados, 48 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram.

Portugal, cujo primeiro caso de contágio confirmado foi conhecido no dia 02, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 17 mil.

VEJA AINDA:

BEJA: SOBE PARA 43 NÚMERO DE INFETADOS NO SURTO EM OURIQUE

Lusa

BRAGANÇA: LAR DO CONCELHO DE VIMIOSO REGISTA 37 CASOS DE COVID-19

Lusa

TONDELA: 12 EMPRESAS ANUNCIAM INVESTIMENTOS DE 95 MILHÕES DE EUROS

Lusa

AÇORES: EMPRESÁRIOS QUEREM LAY-OFF SIMPLIFICADO NO TURISMO

Lusa

MAU TEMPO: 309 OCORRÊNCIAS ATÉ ÀS 18:00 DE HOJE DEVIDO AO MAU TEMPO

Lusa

DEPRESSÃO PAULETTE PROVOCA AGRAVAMENTO DO TEMPO NOS AÇORES NAS PRÓXIMAS HORAS

Lusa