DESPORTIVO DE CHAVES NÃO ACEITA CRÍTICAS E ‘RESPONDE’ AO SINDICATO (ÁUDIO)

Depois do Belenenses SAD e o Grupo Desportivo de Chaves SAD recorrerem ao ‘lay-off’, o Sindicato dos Jogadores de Futebol liderado por Joaquim Evangelista não demorou a reagir e lançou um comunicado no qual faz violentas críticas ao Belenenses SAD e ao Desportivo de Chaves, considerando que “os clubes podem e devem adotar medidas que não envergonhem o futebol” diz este sindicato.

Joaquim Evangelista vai mais longe e faz violentas críticas ao Desportivo de Chaves, afirmando que “envergonha os transmontanos“, como se pode ouvir aqui;

No comunicado “O Sindicato dos Jogadores condena, além desta falta de respeito para com os profissionais de futebol, uma atitude egoísta que lesa todos os portugueses, porquanto se pretende, requerer os cortes salariais e os apoios da Segurança Social, à semelhança da esmagadora maioria das empresas portuguesas em agonia. É manifestamente um abuso de direito, uma atitude oportunista dos clubes de futebol ao colocarem-se nesta posição”, pode ler-se.

Numa altura em que se sabe que as operadoras televisivas cumpriram as obrigações respeitantes ao mês de março, em que o governo do futebol está a fazer um esforço para encontrar soluções e os jogadores mostraram disponibilidade para uma negociação séria, é escandaloso que alguns clubes procurem recorrer aos apoios estatais desta forma” remata o Sindicato dos Jogadores de Futebol.

ESPECIALISTAS EM DIREITO DESPORTIVO COMENTAM A SITUAÇÃO;

João Leal Amado, professor de Direito Desportivo, não considera exequível o recurso ao “lay-off” e não acredita que os clubes evoquem a quebra de actividade nem a suspensão do contrato dos trabalhadores, como se pode ouvir aqui;

Alexandre Mestre, professor de Direito Desporto e ex-secretário de Estado do Desporto, diz que não é possível aos clubes evocarem para já a quebra de receitas de 40%, e considera ainda que este precedente abre porta a todos os clubes de ligas inferiores recorrem ao mesmo ‘expediente’, como se pode ouvir aqui;

Ainda sobre o ‘precedente’ que se abre a todos os restantes clubes de ligas inferiores, Alexandre Mestre comenta assim;

 

GRUPO DESPORTIVO DE CHAVES ‘RESPONDE’ E DIZ QUE O SINDICATO ESTÁ A ‘ENROLAR’;

Francisco Carvalho, presidente do Grupo Desportivo de Chaves SAD, não aceita as críticas do Sindicato dos Jogadores de Futebol. O líder dos “valentes transmontanos” diz que se trata de um momento de força maior, e que não está escrito em lado algum que os clubes de futebol não possam recorrer ao “lay-off”.

O Presidente do emblema nortenho contradiz os “comentadores” e informa que as receitas das operadoras foram pagas aos clubes título de adiantamento, pelo que esse valores serão descontados aos clubes já em Abril, esclarecendo que não é verdade que não haja quebra efectiva nas receitas. Lembra ainda que o Desportivo de Chaves é uma empresa e por isso contribui com centenas de milhares de euros de impostos todos os meses, por isso pretende manter todos os postos de trabalho.

Joaquim Evangelista acusou o Desportivo de Chaves de “envergonhar os transmontanos”, o emblema nortenho devolve as críticas e diz que “vergonha é não chegar acordo com a liga e assim prejudicar todos os jogadores de futebol“. Relembra ainda que todas as SAD’s podem ir para “lay-off” e que o Desportivo de Chaves assegura os salários muito para lá dos 1905 euros a que o lay-off obriga.

Em entrevista à Rádio Regional, Francisco Carvalho esclarece o “lay-off” e responde ao Sindicato dos Jogadores de Futebol, que pode ouvir aqui:

 

Um comentário em: “DESPORTIVO DE CHAVES NÃO ACEITA CRÍTICAS E ‘RESPONDE’ AO SINDICATO (ÁUDIO)

  1. A confirmar-me que o G.D.Chaves tem direito a recorrer ao lay off são abusivas as declarações proferidas pelo Presidente do Sindicato dos Jogadores de Futebol!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.