NACIONAL

DETIDO SUSPEITO DE ATEAR FOGO NO ALVÃO

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um pastor que está “fortemente indiciado” pela prática de um crime de incêndio florestal que ocorreu em Janeiro, na Serra do Alvão, em Vila Real.

A detenção do homem, de 53 anos, foi feita pela Unidade Local de Investigação Criminal da PJ de Vila Real, com a colaboração do Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente (SEPNA), da GNR.

Segundo explicou a Judiciária, em comunicado, o incêndio ocorreu no dia 17 de Janeiro, cerca das 17:00, e consumiu uma área de 250 hectares de mancha florestal, constituída por mato e pinheiro bravo de regeneração natural.

A PJ referiu ainda que o fogo colocou em perigo as habitações da aldeia de Cravelas, localizada na serra do Alvão.

Este incêndio mobilizou perto de uma centena de operacionais, que contaram com o apoio de 26 viaturas. O vento forte e o mato seco dificultaram o combate às chamas e foi já, durante a madrugada, que as baixas temperaturas ajudaram a apagar o fogo.

O detido vai ser presente a interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coação.

VEJA AINDA:

MACEDO DE CAVALEIROS: DOIS MORTOS EM SURTO COM 27 INFETADOS EM CASA DE REPOUSO

Lusa

ÉVORA: SOBE PARA QUATRO TOTAL DE MORTES NO SURTO LIGADO À MISERICÓRDIA DE VILA VIÇOSA

Lusa

FARO: LIGAÇÃO FLUVIAL LUSO-ESPANHOLA PELO GUADIANA INTERROMPIDA

Lusa

COVID-19: REGIÃO NORTE PODERÁ ATINGIR OS SETE MIL CASOS DIÁRIOS NOS PRÓXIMOS DIAS

Lusa

MATOSINHOS: CENTROS COMERCIAIS VÃO ENCERRAR ÀS 21 HORAS

Lusa

FUNDÃO: LAR DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA COM 40 INFETADOS DE COVID-19

Lusa