Ligue-se a nós

DESPORTO

FERNANDO SANTOS: ‘NINGUÉM TEM DÚVIDAS QUE RONALDO É IMPORTANTE’

O selecionador português de futebol, Fernando Santos, assegurou hoje que o avançado Cristiano Ronaldo “continua a ser importante” para Portugal, que conta com seis novidades para os dois últimos encontros do Grupo A2 da Liga das Nações.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O selecionador português de futebol, Fernando Santos, assegurou hoje que o avançado Cristiano Ronaldo “continua a ser importante” para Portugal, que conta com seis novidades para os dois últimos encontros do Grupo A2 da Liga das Nações.

O ‘capitão’ da equipa das ‘quinas’, que tem sido suplente utilizado nos ingleses do Manchester United, pelo qual ainda não marcou qualquer golo na presente época, continua a merecer a confiança de Fernando Santos.

“Logo vai ser titular no jogo com o Sheriff [para a Liga Europa]. Tenho tido a atenção com ele, e com todos, se jogam ou não jogam, o que está a acontecer. Penso que aqui ninguém tem dúvidas de que [o Cristiano Ronaldo] continua a ser muito importante para seleção”, justificou o selecionador luso, após anunciar o lote de 26 convocados.

Portugal vai defrontar a República Checa, em Praga, no dia 24 de setembro, concluindo a fase de qualificação da Liga das Nações no dia 27, diante da Espanha, em Braga, com a chamada do central Tiago Djaló a destacar-se.

O técnico explicou que a escolha está relacionada com a indisponibilidade de João Cancelo para o primeiro jogo com os checos, devido a castigo.

“O Djaló não é uma novidade, já esteve aqui connosco. É um jogador titularíssimo [no Lille] e tem uma característica importante para este jogo também, por causa da questão do Cancelo. Ia ficar só com um jogador [Diogo Dalot] para a lateral direita [contra os checos]. Tendo grande qualidade, tem essa possibilidade de jogar várias posições, que nesta convocatória é muito importante”, argumentou.

Além de Djaló, Fernando Santos efetuou outras cinco alterações, fazendo regressar os defesas Rúben Dias, o médio João Mário e os avançados Pedro Neto, João Félix e Rafa, em detrimento de David Carmo, Domingos Duarte, João Moutinho, Otávio, que foi dado como inapto, André Silva e Gonçalo Guedes.

Elaborar uma lista com os 26 melhores foi “verdadeiramente difícil”, segundo o selecionador, que enumerou vários nomes que poderiam constar no lote, casos de “Florentino, Pedro Gonçalves, Francisco Trincão, António Silva e Vitinha [do Sporting de Braga]”.

A pouco mais de dois meses do Mundial no Qatar (20 de novembro a 18 de dezembo], Fernando Santos disse que essa é “uma questão que vem depois”, mas deixou claro que está “atento” e que vai “tentar ser justo” na convocatória.

“Não vou responder a questões do Mundial porque isto é para a Liga das Nações. A questão do Mundial vem depois. Há muitos que mostram que têm capacidade, que podem chegar à seleção, e nós estamos todos atentos. Quem vai dizer quem vai ao Mundial depois sou eu, mas depende muitos dos jogadores também. O mês de outubro vai ser muito decisivo para isso”, finalizou.

Após concluídas quatro jornadas, os lusos estão no segundo posto do Grupo A2, com sete pontos, depois de terem superado a Suíça (4-0) e a República Checa (2-0), em Lisboa, empatado em Sevilha, com a Espanha (1-1), e perdido em Genebra, perante os helvéticos (1-0).

A Espanha é quem lidera a ‘poule’, com oito pontos, enquanto a República Checa é terceira, com quatro, e a Suíça a última, com três.

A formação das ‘quinas’, vencedora da primeira edição da Liga das Nações, em 2019, precisa de vencer o agrupamento para chegar à ‘final four’ da terceira edição, sendo que a segunda foi conquistada pela França, numa final com a Espanha, em 2021.

Os quatro vencedores dos grupos da Liga A qualificam-se para a fase final, que inclui meias-finais, final e partida de atribuição do terceiro lugar. A ‘final four’ da terceira edição da prova será realizada em junho de 2023.

DESPORTO

PORTUGAL JÁ NÃO PERDE COM A ESPANHA HÁ MAIS DE UMA DÉCADA

A seleção portuguesa de futebol está invicta face à Espanha há mais de uma década e os últimos quatro encontros acabaram empatados, mas a desvantagem luso, no total de todos os duelos, ainda é ‘imensa’.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A seleção portuguesa de futebol está invicta face à Espanha há mais de uma década e os últimos quatro encontros acabaram empatados, mas a desvantagem luso, no total de todos os duelos, ainda é ‘imensa’.

Em 42 encontros, entre oficiais e particulares, a ‘roja’ lidera claramente, com 17 vitórias — mas outros tantos empates -, contra apenas oito lusas, duas nem reconhecidas pela FIFA, devido à Guerra Civil espanhola, e mais 31 golos marcados (79 contra 48).

A superioridade assenta, sobretudo, nos jogos disputados em solo espanhol (11 triunfos, contra um), sendo que, em matéria de jogos oficiais, também só há registo de uma vitória de Portugal contra quatro da Espanha, mais cinco empates.

O encontro de sábado, o 43.º entre as duas seleções, é, porém, em solo luso, onde Portugal lidera o histórico, com mais uma vitória (seis contra cinco), em 19 jogos, não incluindo nestes contas o 1-0 em ‘campo neutro’ (Alvalade) no Euro2004.

A formação das ‘quinas’ tem vantagem em casa e está também, estatisticamente, invicta desde o desaire por 1-0, selado por um golo de David Villa, nos oitavos de final do Mundial de 2010, precisamente a edição que a Espanha arrebatou.

Na ‘ressaca’ desse encontro, meses volvidos, Portugal goleou na Luz por 4-0, com um ‘bis’ de Hélder Postiga e tentos de Carlos Martins e Hugo Almeida, seguindo-se cinco igualdades, ainda que a primeira tenha redundado numa derrota lusa nos penáltis.

Em 2012, nas meias-finais do Europeu, num embate disputado em Donetsk, os 120 minutos chegaram sem golos, ficando para a estatística uma igualdade, mas quem seguiu para a final foi a Espanha, ao impor-se por 4-2 na ‘lotaria’.

Os quatro últimos encontros não tiveram tempo extra ou penáltis e acabam mesmo empatados, o primeiro dos quais na estreia das duas formações no Europeu de 2018, em Sochi, na Rússia, marcado por um ‘hat-trick’ de Cristiano Ronaldo.

Num encontro frenético, com seis golos, Portugal esteve a vencer por 1-0 e 2-1, mas Diego Costa respondeu a Ronaldo e Nacho selou a reviravolta, antes do ‘capitão’ luso ter a última ‘palavra’, aos 88 minutos, empatando o jogo de livre direto.

Em contraste com este ‘jogão’, os dois confrontos que se seguiram acabaram como começaram, com empates a zero, o primeiro em Alvalade, em 07 de outubro de 2020, e o segundo no Wanda Metropolitano, em Madrid, em 04 de junho de 2021.

O derradeiro jogo entre as duas seleções aconteceu em 02 de junho de 2022 e acabou empatado a um, na primeira jornada do Grupo A2 da edição 2022/23 da Liga das Nações.

No Estádio Benito Villamarín, em Sevilha, a casa do Betis, os espanhóis adiantaram-se no marcador aos 25 minutos, por Álvaro Morata, mas a formação lusa ainda conseguiu resgatar a igualdade, com um tento do suplente Ricardo Horta, aos 82.

Caso volte a empatar com a Espanha, na terça-feira, Portugal segue para a ‘final four’ da Liga das Nações 2022/23, repetindo o que conseguiu em 2019. Então, em solo luso, a seleção das ‘quinas’ impôs-se (3-1 à Suíça e 1-0 aos Países Baixos).

Em matéria de jogos em casa com os espanhóis, e antes do 4-0 de Alvalade, em 2010, Portugal venceu por 1-0 em 1938, 4-1 em 1947, 3-1 em 1956, 2-1 em 1964 e 2-0 em 1981, sempre em particulares.

Há ainda a registar o triunfo, por 1-0, conseguido também na casa do Sporting, na terceira e última jornada da fase de grupos do Europeu de 2004, que é considerado, estatisticamente, como sendo disputado em campo neutro.

Em 20 de junho, num embate decisivo, a formação comandada por Luiz Felipe Scolari levou a melhor, seguindo para os quartos de final, graças a um golo do suplente Nuno Gomes, que, aos 57 minutos, bateu Casillas com um remate de fora da área.

O 43.º encontro entre Portugal e Espanha, e 11.º oficial, da sexta e última jornada do Grupo A2 da Liga das Nações 2022/23, está marcado para terça-feira, no Estádio Municipal de Braga, a partir das 19:45, com arbitragem do italiano Daniele Orsato.

LER MAIS

DESPORTO

LIGA NAÇÕES: PORTUGAL VENCE REPÚBLICA CHECA E LIDERA GRUPO A2

A seleção portuguesa ascendeu hoje à liderança do Grupo A2 da Liga das Nações 2022/23, ao golear a República Checa por 4-0, em Praga, em encontro da quinta e penúltima jornada.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A seleção portuguesa ascendeu hoje à liderança do Grupo A2 da Liga das Nações 2022/23, ao golear a República Checa por 4-0, em Praga, em encontro da quinta e penúltima jornada.

Diogo Dalot, aos 33 e 52 minutos, Bruno Fernandes, aos 45+2, e o suplente Diogo Jota, aos 82, marcaram os tentos da formação das ‘quinas’, enquanto Patrik Schick falhou um penálti para os checos, aos 45+6, após mão na bola de Cristiano Ronaldo.

Face ao triunfo helvético em Saragoça (2-1), Portugal voltou ao comando do Grupo A2, com 10 pontos, contra oito da Espanha, seis da Suíça e quatro da República Checa, pelo que rumará a ‘final four’ se não perder terça-feira com a Espanha, em Braga.

LER MAIS

DESPORTO

LIGA DAS NAÇÕES: HISTÓRICO DE RESULTADOS É FAVORÁVEL A PORTUGAL

A seleção portuguesa de futebol venceu os últimos três encontros com a República Checa, o derradeiro já no Grupo A2 da Liga das Nações, sendo que jogará sábado pela primeira vez como visitada, em Praga.

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A seleção portuguesa de futebol venceu os últimos três encontros com a República Checa, o derradeiro já no Grupo A2 da Liga das Nações, sendo que jogará sábado pela primeira vez como visitada, em Praga.

Depois do fim da Checoslováquia, que se dividiu em República Checa e Eslováquia, em 1992, Portugal caiu no primeiro embate com os checos, por 1-0, nos quartos de final do Europeu de 1996, disputado em Inglaterra, mas depois respondeu com duas vitórias, também em fases finais do campeonato da Europa.

Os comandados do brasileiro Luiz Felipe Scolari triunfaram por 3-1 na segunda jornada da fase de grupos do Euro2008, na Suíça, e, quatro anos depois, o conjunto liderado por Paulo Bento ganhou por 1-0 nos ‘quartos’, na Polónia.

Depois destes três encontros em fases finais de Europeus, as duas formações só se voltaram a encontrar na atual edição da Liga das Nações e Portugal somou o terceiro triunfo consecutivo, ao vencer em Alvalade por 2-0, em 21 de junho.

Em encontro da terceira jornada da fase de grupos, e após um empate em Espanha (1-1) e uma goleada à Suíça (4-0), o ‘onze’ de Fernando Santos venceu os checos sem problemas, com dois golos de ‘rajada’ ainda na primeira parte.

João Cancelo inaugurou o marcador, aos 33 minutos, e Gonçalo Guedes fechou o resultado, aos 38, sendo que nenhum dos dois jogadores poderá jogar no sábado em Praga, o primeiro devido a castigo (dois amarelos) e o segundo porque não foi convocado.

Portugal alinhou com Diogo Costa na baliza, uma defesa com João Cancelo, Pepe, Danilo Pereira e Raphaël Guerreiro, um meio-campo com Rúben Neves, William Carvalho e Bernardo Silva e um ataque com Gonçalo Guedes, Diogo Jota e Cristiano Ronaldo.

Foi o quarto jogo com os checos, num duelo que começou da pior forma para a formação das ‘quinas’, em 1996, num célebre encontro decidido por um ‘chapéu’ do ex-benfiquista Karol Poborsky.

Na primeira aparição da ‘geração de ouro’ do futebol luso – os campeões mundiais de juniores de 1989 e 1991 – numa fase final, Portugal ultrapassou a fase de grupos, perante Croácia, Dinamarca e Turquia, e encontrou a República Checa nos ‘quartos’.

Em Birmingham, em 23 de junho de 1996, os comandados de António Oliveira não conseguiram, porém, evitar a eliminação e a culpa principal foi de Poborsky, que, aos 53 minutos, fez um magnífico ‘chapéu’ a Vítor Baía, afastando Portugal.

Portugal ‘tombou’ dessa vez, face a um conjunto que acabaria por perder a final com a Alemanha (1-2, com um ‘golo de ouro’ de Oliver Bierhoff), mas ‘respondeu, e em dose dupla, batendo os checos nos Europeus de 2008 e 2012.

Em 2008, o encontro aconteceu na segunda jornada da fase de grupos, em Genebra, em 11 de junho, e Portugal assegurou desde logo o apuramento para os ‘quartos’, ao vencer a República Checa por 3-1, depois de já ter superado a Turquia por 2-0.

Deco deu vantagem à seleção das ‘quinas’, logo aos oito minutos, Libor Sionko restabeleceu a igualdade, aos 17, mas, na segunda parte, o ‘onze’ de Scolari chegou ao triunfo, com golos de Cristiano Ronaldo, aos 63, e Ricardo Quaresma, aos 90+1.

A seleção das ‘quinas’ ficou-se pelos ‘quartos’, ao perder com a Alemanha por 3-2, enquanto os checos não ultrapassaram a fase de grupos, já que foi a Turquia que acompanhou Portugal no apuramento, como segunda do Grupo A.

No Europeu seguinte, em 2012, as duas seleções voltaram a encontrar-se, mas desta vez num embate a eliminar, nos quartos de final, em Varsóvia, na Polónia.

Após superar o Grupo B, com Alemanha (0-1), Dinamarca (3-2) e Países Baixos (2-1), a formação das ‘quinas’ derrotou os checos por 1-0, em 21 de junho, graças a um tento de Cristiano Ronaldo, apontado já perto do final do encontro, aos 79 minutos.

Antes destes três jogos, Portugal mediu forças em 10 ocasiões com a Checoslováquia – a República Checa é herdeira dos seus resultados -, somando três vitórias, quatro empates e três derrotas, com sete golos marcados e 11 sofridos.

O quinto encontro entre Portugal e a República Checa, da quinta jornada do Grupo A2 da Liga das Nações 2022/23, está marcado para sábado, na Fortuna Arena, em Lisboa, a partir das 19:45 (em Lisboa), com arbitragem do sérvio Srdjan Jovanovic.

LER MAIS

DESPORTO

LIGA NAÇÕES: PEPE DISPENSADO DA SELEÇÃO PORTUGUESA DEVIDO A PROBLEMAS FÍSICOS

Pepe foi dispensado da seleção portuguesa por “motivos de ordem física” e vai falhar os últimos encontros do Grupo A2 da Liga das Nações, com República Checa e Espanha, revelou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Online há

em

nbsp| RÁDIO REGIONAL

Pepe foi dispensado da seleção portuguesa por “motivos de ordem física” e vai falhar os últimos encontros do Grupo A2 da Liga das Nações, com República Checa e Espanha, revelou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

O defesa-central do FC Porto, de 39 anos, ainda não tinha participado nos trabalhos da equipa com vista aos dois encontros, agendados para os dias 24 e 27, diante de checos e espanhóis, em Praga e Braga, respetivamente, tendo ficado a realizar trabalho de recuperação no ginásio.

“O defesa-central foi avaliado pela Unidade de Saúde e Performance da FPF e dispensado do estágio da Seleção por motivos de ordem física”, pode ler-se no curto comunicado do organismo, que não adiantou se o selecionador Fernando Santos irá convocar um substituto.

Pepe é o terceiro jogador a deixar os trabalhos da equipa das ‘quinas’, depois do avançado Rafa, do Benfica, que renunciou à seleção e nem chegou e treinar-se com o grupo, tendo sido rendido pelo estreante Gonçalo Ramos, e do lesionado Raphaël Guerreiro (Borussia Dortmund), substituído pelo também lateral-esquerdo Mário Rui (Nápoles).

Concluídas quatro jornadas da Liga das Nações, Portugal está no segundo posto do Grupo A2, com sete pontos, depois de ter superado a Suíça (4-0) e a República Checa (2-0), em Lisboa, empatado com a Espanha (1-1), em Sevilha, e perdido perante os helvéticos (1-0), em Genebra.

A Espanha é quem lidera a ‘poule’, com oito pontos, enquanto a República Checa é terceira, com quatro, e a Suíça última, com três.

A formação das ‘quinas’, vencedora da primeira edição da Liga das Nações, em 2019, ao bater na final os Países Baixos, precisa de vencer o agrupamento para chegar à ‘final four’ da terceira edição, sendo que a segunda foi conquistada pela França, numa final com a Espanha, em 2021.

Os quatro vencedores dos grupos da Liga A qualificam-se para a fase final, que inclui meias-finais, final e partida de atribuição do terceiro lugar. A ‘final four’ da terceira edição da prova será realizada em junho de 2023.

Lista dos 25 convocados:

Guarda-redes: Rui Patrício (Roma, Ita), Diogo Costa (FC Porto) e José Sá (Wolverhampton, Ing).

Defesas: Diogo Dalot (Manchester United, Ing), João Cancelo (Manchester City, Ing), Rúben Dias (Manchester City, Ing), Tiago Djaló (Lille, Fra), Danilo Pereira (Paris Saint-Germain, Fra), Mário Rui (Nápoles, Ita) e Nuno Mendes (Paris Saint-Germain, Fra).

Médios: Rúben Neves (Wolverhampton, Ing), Vitinha (Paris Saint-Germain), Bruno Fernandes (Manchester United, Ing), João Mário (Benfica), Matheus Nunes (Wolverhampton, Ing), William Carvalho (Betis, Esp), Palhinha (Fulham, Ing) e Bernardo Silva (Manchester City, Ing).

Avançados: Pedro Neto (Wolverhampton, Ing), João Félix (Atlético de Madrid, Esp), Diogo Jota (Liverpool, Ing), Ricardo Horta (Sporting de Braga), Cristiano Ronaldo (Manchester United, Ing), Rafael Leão (AC Milan, Ita) e Gonçalo Ramos (Benfica).

LER MAIS

MAIS LIDAS