NACIONAL

FUNCIONÁRIOS DA FNAC PODERÃO FAZER GREVE

Os trabalhadores das lojas da FNAC vão realizar plenários na próxima semana para discutir a possibilidade de uma greve em defesa de aumentos salariais, foi hoje decidido.

A decisão foi tomada num plenário realizado pelo trabalhadores do armazém da FNAC, em Alverca, Vila Franca de Xira, que contestaram o bloqueio negocial.

“Os trabalhadores repudiaram a situação negocial, que não tem avançado porque a empresa não quer aumentar os salários, que estão congelados desde 2009, e manifestaram disponibilidade para continuar a luta, admitindo até a realização de uma greve”, disse à agência Lusa Alvaro Gonçalves, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).

Os trabalhadores da FNAC reivindicam aumentos de 40 euros para todos e 25 dias de férias, entre outras coisas.

O plenário de hoje no armazém da FNAC integra uma quinzena de luta iniciada na segunda-feira nas empresas de distribuição, em defesa de aumentos salariais.

O calendário de ações foi convocado pelo CESP.

De acordo com o sindicato, com esta quinzena de luta, os trabalhadores do setor da distribuição pretendem a revisão do contrato coletivo de trabalho, sem redução do valor pago pelo trabalho suplementar, trabalho em dia feriado e sem banco de horas, bem como o aumento dos salários de todos os trabalhadores.

Os funcionários reivindicam ainda a equiparação da carreira profissional dos operadores de armazém à carreira dos operadores de loja, com a respetiva equiparação salarial.

A quinzena de luta prossegue na quarta-feira com o primeiro dia de greve ao trabalho suplementar dos trabalhadores do Lidl.

O protesto dos trabalhadores da distribuição terá continuidade com uma greve em todas as empresas do setor no 1º de Maio, data para a qual reivindicam o direito ao gozo deste feriado, considerado internacionalmente como o Dia do Trabalhador.

LUSA

VEJA AINDA:

ALFÂNDEGA DA FÉ: NÃO HÁ REGISTO DE NOVOS CASOS COVID-19 NAS ESCOLAS

Lusa

VILA VIÇOSA: 14 INFETADOS COM COVID-19 NOS SERVIÇOS DA MISERICÓRDIA

Lusa

AVEIRO: 13 ANOS DE PRISÃO PARA HOMEM QUE MATOU A MÃE

Lusa

AÇORES: SITUAÇÃO DE CALAMIDADE PROLONGADA ATÉ 23 DE OUTUBRO

Lusa

MONTIJO: INCÊNDIO NUMA EMPRESA CAUSA DOIS FERIDOS

Lusa

ALVAIÁZERE: SETE UTENTES E DOIS FUNCIONÁRIOS DE LAR INFETADOS COM COVID-19

Vítor Fernandes