Ligue-se a nós

MAGAZINE

HÁBITOS ‘ONLINE’ CAUSAM ANSIEDADE NOS JOVENS – PAIS NÃO RECONHECEM

Quase metade dos adolescentes portugueses admitem sofrer de ansiedade devido aos seus hábitos ‘online’, mas apenas 17% dos pais o reconhecem, revela hoje uma análise da revista Deco Proteste.

Online há

em

Quase metade dos adolescentes portugueses admitem sofrer de ansiedade devido aos seus hábitos ‘online’, mas apenas 17% dos pais o reconhecem, revela hoje uma análise da revista Deco Proteste.

“Há uma discrepância muito grande entre aquilo que são os sintomas que os jovens sentem pela sua atividade” e as “respostas dos progenitores”, realçou à Lusa Marta Mesquita, porta-voz da revista da associação de consumidores.

A Deco Proteste enviou um questionário ‘online’ a mais de 1.400 pessoas entre maio e julho de 2022, obtendo 937 respostas válidas relativamente ao universo dos pais.

“Nós enviámos dois questionários. O inquérito para os adolescentes enviámos em setembro e outubro de 2022. Tivemos uma validação de 487 respostas”, disse Marta Mesquita.

Segundo a porta-voz da Deco Proteste, o teste foi também desenvolvido na Bélgica, Itália e Espanha.

“Quando questionados, 65% dos adolescentes reconhecem sofrer, pelo menos, de um problema causado, parcialmente, pelos hábitos ‘online'”, sustenta o estudo.

Além da disparidade verificada na ansiedade, 34% dos jovens também já reconheceu mudanças de humor, contudo só 18% dos pais as identificaram.

“Globalmente, os pais atribuem 8,4 pontos em 10, à saúde mental dos descendentes, mas estes ficam-se pelos 6,8 pontos”, sublinha.

No estudo, a Deco Proteste explica que, na saúde física e na qualidade de vida, a diferença é menor, apontando que “as raparigas aparentam viver piores condições, nas dimensões referidas, do que os rapazes”.

Também sustenta que a grande maioria dos jovens acede à Internet através do telemóvel, “um em quatro não tem computador para qualquer atividade ‘online’ e 11% nem possuem um dispositivo partilhado”.

“No tempo que os jovens despendem mergulhados no mundo virtual, não existem grandes diferenças entre a visão dos pais e a dos filhos: de ambos os lados, estimam a mesma duração de segunda a sexta e aos fins de semana: em média, respetivamente, 02:47 e 03:40 [horas]”, refere.

Em relação ao tempo passado ‘online’ e àquele que é gasto nos estudos, a diferença é de apenas de 10%.

“A Internet é a fachada conhecida para outros exercícios que não escolares. Embora haja uma margem de crédito da parte dos pais, a diferença é superior a 10% entre o tempo que pensam que os filhos consagram aos estudos e aquele que realmente passam a fazê-lo: 88% contra 75%, respetivamente”, indica.

“Se os rapazes usam a internet sobretudo para jogar em grupo, as raparigas preferem-na para fazer compras. Os jovens também visitam mais ‘sites’ para adultos”, frisa.

De acordo com a análise, a maioria dos adolescentes usa cerca de quatro redes sociais, mas a “consciência desse número só atinge cerca de um terço dos pais, contra mais de metade dos jovens”.

“O que se julga conhecer sobre as redes visitadas é dissemelhante em 30%, no caso, por exemplo, da Discord. Com a mesma percentagem de “desafinação”, a presença no Facebook é sobrevalorizada pelos pais, uma vez que os jovens, na realidade, migraram para outras redes. A média diária de permanência nas redes sociais supera as duas horas para 61% dos adolescentes”, anota.

Relativamente a mensagens eróticas via telemóvel — sexting, abreviação de sex e texting –, 48% dos progenitores “pais afirmam ter abordado o assunto, enquanto só 27% dos adolescentes confirmaram essa conversa”.

“Face ao tempo passado online, e que, de acordo com 40% dos adolescentes, aumentou durante a pandemia, não admirará a exposição a tais perigos”, sublinha.

MAGAZINE

SÓ 19% DOS PORTUGUESES CONHECE OS SEUS DIREITOS NAS VIAGENS DE AVIÃO

Só 19% dos inquiridos portugueses num Eurobarómetro hoje divulgado, abaixo dos 30% da média da União Europeia (UE), afirma conhecer bem os seus direitos no transporte aéreo, situação que preocupa a Comissão Europeia, que divulgou diretrizes.

Online há

em

Só 19% dos inquiridos portugueses num Eurobarómetro hoje divulgado, abaixo dos 30% da média da União Europeia (UE), afirma conhecer bem os seus direitos no transporte aéreo, situação que preocupa a Comissão Europeia, que divulgou diretrizes.

Num Eurobarómetro sobre direitos dos passageiros na UE, hoje publicado, Bruxelas conclui que só 19% dos portugueses inquiridos (num total de 26.601 entrevistas feitas em janeiro e fevereiro deste ano) se sentem bem informados quando viajam avião, o que compara com 30% no total dos 27 países.

Pior só no que toca ao transporte por navio/ferry (14%, que compara com 16% na UE) e melhor sobre o transporte ferroviário (20%, 33% na UE) e de autocarro (23%, 27% na UE).

Em comunicado, a Comissão Europeia refere que “os passageiros necessitam de mais informações sobre os seus direitos”, razão pela qual publica hoje diretrizes interpretativas revistas sobre os direitos dos passageiros aéreos, que visam facilitar o cumprimento da regulamentação e harmonizarão a aplicação pelos organismos nacionais.

“Desde 2016, a Comissão tem vindo a fornecer orientações para dar resposta às preocupações comuns suscitadas pelos organismos nacionais de execução, pelos passageiros e suas associações e pelos representantes do setor. A revisão de hoje tem nomeadamente em conta os acórdãos do Tribunal de Justiça proferidos desde 2016 que clarificam determinadas disposições, permitindo uma aplicação mais eficaz e coerente das regras”, assinala.

A UE é o único espaço no mundo em que os passageiros estão protegidos por um conjunto completo de direitos, quer viajem de avião, comboio, navio ou autocarro.

Estes direitos visam a não discriminação, informação exata, atempada e acessível e a assistência imediata e proporcionada, nomeadamente perante situações como voos cheios (‘overbooking’), cancelados, atrasados, que como recorda hoje Bruxelas obrigam a indemnizações por parte das companhias aéreas.

A informação, publicada no ‘site’ do executivo comunitário e dirigida aos prestadores de serviços de transporte e aos organismos nacionais, surge em época alta da aviação.

Na sexta-feira, uma falha global informática no sistema da Microsoft causou constrangimentos nos aeroportos ao nível mundial, provocando atrasos e cancelamento de voos e problemas com as bagagens.

LER MAIS

MAGAZINE

TUDO O QUE PRECISA DE SABER SOBRE RODADAS GRÁTIS

Os casinos online estão em alta e desde 2015, com a sua legalização em Portugal, que fazem as delícias de muitos apostadores que já não precisam de fazer quilómetros e longas viagens para visitar um casino físico. A tecnologia mudou a forma como interagimos, comunicamos e, claro, a forma como apostamos.

Online há

em

Os casinos online estão em alta e desde 2015, com a sua legalização em Portugal, que fazem as delícias de muitos apostadores que já não precisam de fazer quilómetros e longas viagens para visitar um casino físico. A tecnologia mudou a forma como interagimos, comunicamos e, claro, a forma como apostamos.

Com o aumento do número de apostadores e, consequentemente, do número de casinos há algo que vem associado e não deixa ninguém indiferente: os bónus de casino onde as rodadas grátis, também conhecidas como free spins ou giros extras, se destacam. Venha daí enquanto exploramos este tipo de bónus.

O que são Rodadas Grátis?

O nome parece muito óbvio, mas há mais para saber do que imagina. Se já jogou num casino online sabe que é apanágio do casino oferecer bónus aos seus apostadores onde as rodadas grátis se destacam por serem o tipo de bónus onde é possível obter uns ganhos consideráveis. Como tal, trata-se de um tipo de bónus que permite ao apostador carregar em “girar”, mas de forma totalmente gratuita. Dependendo do tipo de slot que estiver a jogar, existem algumas combinações que deve obter para usufruir de tal bónus.

Este tipo de bónus normalmente não exige qualquer restrição para depois fazer o levantamento de um possível prémio e é um dos fatores que o torna tão apetecível. Adicionalmente, ver a slot a girar de forma gratuita é algo que, por si só, já torna este tipo de bónus tão espetacular não deixando ninguém indiferente. Descubra os bónus de rodadas grátis oferecido pela askgamblers.com/pt/bonus-de-cassino/rodadas-gratis que não exige qualquer requisito para fazer o levantamento de um possível ganho.

Se é um apostador mais experiente, é provável que se esteja a questionar “Há diferença entre Rodadas Grátis e Rodadas Bónus?” A resposta é simples: não, não há! São a mesma coisa e é apenas um termo novo introduzido recentemente devido a questões legais e de regulamentação.

Quais as vantagens das Rodadas Grátis?

Bem, vamos ao que interessa?

Não há obrigatoriedade de fazer um depósito: Imagine que recebe um bónus deste tipo quando faz o registo. Há uma grande probabilidade de conseguir usufruir do bónus sem fazer depósito, tornando-se assim num 2 em 1: bónus sem depósito e bónus de rodadas grátis.

Melhor maneira de testar: Sim, ir testando os diferentes jogos é importante para ter um conhecimento aprofundado dos mesmos. Com as rodadas grátis pode fazer essa experimentação com o add on de ter a possibilidade de ainda ganhar algo monetário com isso.

Estão disponíveis em todo o lado: Seja qual for o casino que eleja para fazer as suas apostas, os free spins estão em todo o lado e não há nenhum casino que não tenha este tipo de bónus.

Diferentes bónus de casinos com rodadas grátis

As rodadas grátis não são todas iguais e podem ir, por exemplo, desde 10 rodadas grátis até 250 rodadas grátis. Para além do número de rodadas, há também outras condições e peculiaridades que as tornam diferentes entre si e é isso que vamos explicar de seguida.

Rodadas Grátis com Depósito

Se for presenteado com este tipo de bónus significa que quando fizer um depósito, imagine de 10 €, fica com a possibilidade de usufruir de rodadas grátis com um número, normalmente pré-definido de spins adicionais. Pode ir em jeito de bónus de boas-vindas, bónus de recarga ou rodadas bónus.

Rodadas Grátis sem Depósito

Este é o tipo de bónus mais apetecível. Porquê? Porque não precisa de fazer qualquer depósito, ou seja, investir do seu próprio dinheiro. Este bónus faz os olhos de qualquer apostador que vai fazer a sua primeira aposta brilhar porque lhe permite experimentar um casino online sem investir dinheiro.

Estes dois tipos de bónus podem parecer semelhantes. E são. Contudo, no primeiro há uma maior probabilidade de obter um maior retorno, pelo que, é fantástico que os utilizadores possam obter um bónus sem investir dinheiro, mas não espere ganhos tão elevados quanto no bónus com depósito.

Coisas a ter em consideração ao escolher casinos com Rodadas Grátis

Parece estranho, mas existem algumas coisas a ter em consideração. A primeira é que alguns bónus podem exigir alguns requisitos para o levantamento e isso é algo que deve estar atento. Todos os bónus têm “termos e condições” e é importante que os leia para evitar surpresas. Outro ponto importante é o período pelo qual pode utilizar o bónus.

Assim como os produtos do supermercado têm prazos de validade, também estes bónus têm prazo e se não os jogar no tempo certo pode ficar sem eles. Verifique também o limite de ganhos permitido pelo bónus porque alguns bónus podem ter esta restrição. A retirada máxima é algo utilizado pelos casinos para limitar os ganhos dos apostadores.

Para terminar, o conselho principal é que faça as suas apostas de forma responsável para que este universo tão divertido não tenha qualquer implicação negativa na sua vida.

LER MAIS

MAIS LIDAS