LEGISLATIVAS: INICIATIVA LIBERAL NÃO APOIA GOVERNO PS

O presidente do Iniciativa Liberal, Carlos Guimarães Pinto, manifestou-se hoje contra a indigitação do secretário-geral do PS como primeiro-ministro e, por isso, não lhe dará apoio parlamentar, mas admite que “não havia qualquer alternativa”.

“Não havia qualquer alternativa, e nós entendemos isso, à indigitação de António Costa como é evidente. Obviamente que não lhe daremos apoio parlamentar”, afirmou o líder do IL à saída da audiência com o Presidente da República, que decorreu no Palácio de Belém, em Lisboa.

Notando que “neste momento existem seis partidos a concorrer” para dar apoio parlamentar a um Governo do PS, Carlos Guimarães Pinto apontou que existiu “até agora uma ‘geringonça'”, mas parece que no futuro dará lugar a “uma ‘aranhonsa’ de seis partidos”.

“A Iniciativa Liberal não fará parte desta ‘aranhonsa’ […] não apoiaremos a solução de Governo”, salientou, justificando que o partido é “uma clara oposição ao socialismo” e, como tal, não podiam apoiar “um Governo deste tipo”.

“Claramente somos um partido liberal, de oposição ao socialismo, uma posição clara e ideológica, nunca apoiaremos” um Governo do PS”, vincou.

Aos jornalistas, o presidente do Iniciativa Liberal lamentou, por várias vezes, a forma como decorreu o processo eleitoral no estrangeiro, dado que ainda não há resultados dos círculos da emigração e, por isso, há quatro mandatos que ainda não foram atribuídos.

Carlos Guimarães Pinto e João Cotrim Figueiredo, o deputado eleito no domingo, e outros dois dirigentes do Iniciativa Liberal estiveram reunido com o Presidente da República durante cerca de 15 minutos.

Marcelo Rebelo de Sousa recebe hoje os 10 partidos com representação parlamentar saídos das eleições legislativas de domingo, com vista à indigitação do primeiro-ministro. O Livre foi a primeira força política a ser recebida e o PS será a última, por ordem de votação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.