Ligue-se a nós

REGIÕES

LISBOA: TRÊS MULHERES EM PRISÃO PREVENTIVA SUSPEITAS DE BURLA QUALIFICADA

Três mulheres ficaram em prisão preventiva depois de terem sido detidas na semana passada, por serem suspeitas da prática do crime de burla qualificada, tendo provocado um prejuízo patrimonial superior a 400 mil euros, anunciou esta quarta-feira a PSP.

Online há

em

Três mulheres ficaram em prisão preventiva depois de terem sido detidas na semana passada, por serem suspeitas da prática do crime de burla qualificada, tendo provocado um prejuízo patrimonial superior a 400 mil euros, anunciou esta quarta-feira a PSP.

De acordo com o Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis), as detenções ocorreram em06 de novembro, em Lisboa, no âmbito de uma operação de investigação criminal com o objetivo de terminar com a prática de diversas burlas qualificadas, praticadas por quatro reclusos de um estabelecimento prisional.

“Os polícias apuraram que os reclusos contavam com colaboradores, normalmente familiares em liberdade, onde se incluem as ora detidas, sendo estes os responsáveis por receber, guardar e vender os artigos adquiridos de forma ilícita”, pode ler-se num comunicado.

Com idades compreendidas entre os 24 e os 38 anos, as mulheres são suspeitas de burlar várias empresas nacionais com o objetivo de adquirir os mais variados produtos para vender no “mercado negro”.

“O modo de atuação desta estrutura criminal era selecionado consoante o tipo de produto que era procurado para vender, trabalho que era desenvolvido pelos mentores da organização criminosa — quatro reclusos, que se encontram a cumprir pena de prisão efetiva pelo mesmo tipo de crime”, referiu o Cometlis.

Publicidade

A PSP salientou que os reclusos se intitulavam como engenheiros ou administradores de “conceituadas empresas nacionais”, quando faziam contactos junto de empresários.

“Para concretizar as burlas, falsificavam os documentos de transferências bancárias levando a acreditar que já tinham executado o pagamento”, adiantaram as autoridades.

Segundo o Cometlis, os suspeitos também contactavam com empresas transportadoras ou táxis para a recolha dos materiais encomendados no mais curto espaço de tempo possível.

A investigação durou aproximadamente seis meses e permitiu identificar dezenas de burlas cometidas pelos reclusos e pelas mulheres em todo o território nacional, de acordo com a PSP.

Acreditando na existência de outros ofendidos, a PSP lembrou que os suspeitos adquiriram artigos como televisores, computadores, telemóveis, bicicletas, ferramentas de bricolagem, geradores, máquinas de lavar e secar, produtos alimentares, máscaras, álcool gel, entre outros.

Publicidade

Na sequência da operação foram ainda realizadas buscas domiciliárias nas residências das mulheres, bem como às celas dos quatro reclusos.

A PSP apreendeu 80 latas de conservas, 49 perfumes, 3.890 euros em numerário, 25 munições de calibre.22, 24 telemóveis, 23 televisões; 19 eletrodomésticos, 17 colunas de som, nove computadores portáteis, seis bicicletas, três viaturas, três suportes de bicicletas, quatro ‘tablets’, três caixas de telemóveis vazias, três aparelhos de ar condicionado, três amplificadores de som, três telecomandos, duas caixas de vinho com seis garrafas, duas caixas de máscaras descartáveis, dois suportes de coluna, dois skates elétricos, um GPS, uma máquina fotográfica, uma máquina de barbear, uma garrafa de licor, uma caixa de relógio, uma caixa com câmara de vídeo, um gerador a diesel, um auscultador sem fios, várias ferramentas e diversos documentos.

O Cometlis lembrou que continuará a envidar esforços no sentido de chegar a todas as pessoas que foram vítimas deste esquema, de forma a poder responsabilizar os seus autores.

Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

VILA REAL: IDOSA MORRE EM INCÊNDIO NUMA HABITAÇÃO EM VILARINHO

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Online há

em

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Orlando Matos afirmou à agência Lusa que a irmã da vítima ficou em estado de choque, foi considerada ferida ligeira e transportada para observação ao Hospital de Vila Real.

O comandante referiu que a vítima mortal tem uma idade compreendida entre os 70 e os 80 anos e que o óbito foi declarado no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), do INEM.

O alerta para o incêndio foi dado pela irmã da idosa pelas 01:30 e, segundo Orlando Matos, quando os meios chegaram ao local a habitação estava tomada pelas chamas.

O fogo, acrescentou, terá tido início no quarto da vítima, onde esta foi encontrada pelos bombeiros, e as causas que estiveram na sua origem vão ser investigadas pela Polícia Judiciária (PJ), que esteve no local durante a madrugada.

Publicidade

Para o combate ao incêndio foram mobilizados 16 bombeiros da Cruz Branca, com cinco viaturas, e ainda militares da GNR.

A aldeia de Vilarinho pertence à União de Freguesias de Pena, Quintã e Vila Cova, no concelho de Vila Real.

LER MAIS

REGIÕES

MIRANDELA: ACIDENTE DE TRABALHO MATA HOMEM “SOTERRADO” EM BETÃO

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

Online há

em

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

“Foi um acidente de trabalho às 15:12. Era um trabalhador da fábrica Pavimir. Supostamente terá caído numa máquina de receção de betão, tendo ficado submerso. Aliás, o alerta foi para um soterrado, o trabalhador ficou submerso com o betão”, indicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Mirandela, Luís Soares.

O comandante adiantou ainda que foram os colegas a encontrar o homem, que estranharam a ausência prolongada da vítima. À chegada do socorro, o trabalhador foi retirado da máquina pelos bombeiros, já em paragem cardiorrespiratória.

O óbito foi declarado ainda na empresa pela equipa médica do helicóptero do INEM de Macedo de Cavaleiros, chamada também para a ocorrência.

Luís Soares explicou ainda que se trata de uma estrutura recetora de betão, com alguma dimensão.

Publicidade

Foi ativado apoio psicológico para colegas e familiares.

A Guarda Nacional Republicana esteve local, tendo comunicado os factos ao tribunal e à Autoridade para as Condições de Trabalho.

LER MAIS

MAIS LIDAS