Ligue-se a nós

REGIÕES

MUSEU DO DOURO VAI TER ENTRADAS GRÁTIS

Museu do Douro com entrada gratuita aos sábados para famílias da região, uma iniciativa que visa divulgar e retribuir o contributo do território para o funcionamento da unidade museológica.

Online há

em

O Museu do Douro, no Peso da Régua, instituiu a entrada gratuita aos sábados para os residentes da Região Demarcada do Douro, uma iniciativa que visa divulgar e retribuir o contributo do território para o funcionamento da unidade museológica.

“O museu não é nosso, é de quem o usa e existe para a população. Temos que ter uma atenção redobrada com a população residente e foi nesse sentido que resolvemos abrir gratuitamente aos sábados para quem mora na região”, afirmou hoje à agência Lusa o diretor da instituição, Fernando Seara.

O Museu do Douro foi o primeiro museu de território construído em Portugal. Foi criado na sequência de uma lei aprovada por unanimidade na Assembleia da República e abriu as portas em dezembro de 2008.

Fernando Seara disse ainda que a entrada gratuita ajuda as pessoas que vivem na região a “sentirem que o museu é delas”.

“Percebemos também que o esforço financeiro das famílias do Douro se tinha agravado nos últimos anos. O bilhete não é caro mas (…) multiplicado por quatro ou cinco numa só família tem um peso considerável”, salientou ainda.

O bilhete individual custa seis euros.

O museu é gerido pela Fundação do Museu do Douro, que junta instituições particulares e públicas, muitas dos quais autarquias da região demarcada.

“Faz sentido que quem aqui vive possa visitar uma coisa que é deles e que eles também contribuem todos os anos para que exista”, salientou o director.

Entre janeiro e quinta-feira, 09 de novembro, entraram cerca de 41.000 pessoas que pagaram bilhete no Museu do Douro.

Fernando Seara referiu que, nos últimos anos, o número de visitantes na instituição tem crescido consecutivamente.

Ali chegam milhares de visitantes provenientes de muitos países, com destaque para os Estados Unidos da América, Brasil, Austrália e europeus, como França, Bélgica ou Luxemburgo.

Com a estrutura já montada e preparada para receber milhares de pessoas por dia, Fernando Seara disse que as entradas gratuitas para as famílias durienses não trazem “mais despesa” para museu, mas “trazem mais gente”.

“Se traz mais gente, quer dizer que cumprimos melhor a nossa função”, frisou.

O Museu do Douro quer ser “uma porta de entrada” para uma viagem pela região, pelo rio, barragens, socalcos, quintas e vinhos que caracterizam o património mundial.

A exposição permanente “Douro, Matéria e Espírito” funciona como um roteiro contínuo que o visitante pode ir fazendo à medida que a vai visitando”.

Ou seja, pretende dar as ferramentas para que cada um crie o seu guião de visita ao Douro, a primeira região demarcada e regulamentada do mundo que foi classificada como Património Mundial da Unesco em 2001.

REGIÕES

PORTO: OBRAS DO METRO CORTAM TRÂNSITO NA RUA DAS DEVESAS ATÉ 2027

A Rua Barão do Corvo, nas Devesas, em Gaia, estará cortada ao trânsito a partir de segunda-feira e até janeiro de 2027 devido às obras da Linha Rubi do Metro do Porto, informou o município.

Online há

em

A Rua Barão do Corvo, nas Devesas, em Gaia, estará cortada ao trânsito a partir de segunda-feira e até janeiro de 2027 devido às obras da Linha Rubi do Metro do Porto, informou o município.

Em causa está uma interrupção do trânsito automóvel na Rua Barão do Corvo, entre a Rua Visconde das Devesas e a Rua José Mariani (aproximadamente a 100 metros para nascente desse arruamento), bem como na Rua Felizardo Lima, junto à Rua Barão do Corvo.

Segundo informação disponível do ‘site’ da autarquia, a interrupção de trânsito deverá entrar em vigor na segunda-feira e durar até 16 de janeiro de 2027.

A Linha Rubi ligará Santo Ovídio à Casa da Música através de uma nova ponte sobre o Douro, e contará com uma estação nas Devesas, que fará ‘interface’ com o comboio e autocarros, tendo de estar pronta até final de 2026.

Já desde esta semana estão em vigor mudanças de sentido de trânsito nas ruas Mouzinho de Albuquerque, entre o cruzamento com a Rua Alexandre Braga e a Rua Visconde das Devesas, de sentido sul/norte para sentido norte/sul, e na Rua Heliodoro Salgado, entre a Rua Conselheiro Veloso da Cruz e a Rua Professor Manuel Pires Veloso, de sentido sul/norte para sentido norte/sul.

Também vários arruamentos de sentido único foram adaptadas a dois sentidos, casos das ruas José Mariani, entre o cruzamento da Rua Carlos Guedes de Amorim e a Rua Visconde das Devesas/Rua José Fontana, Rua Barão do Corvo, para nascente da Rua José Mariani, até à zona de obra, para acesso a habitações/lojas, e Rua Felizardo Lima, para norte no cruzamento com a Travessa Visconde das Devesas.

Já na Rua Professor Manuel Pires Veloso dá-se uma mudança de dois sentidos para um único (norte-sul).

Quanto a desvios pedonais, será sempre garantido acesso pedonal pela Rua Barão do Corvo, de acordo com a fase de execução dos trabalhos, de demolição e escavação da Estação das Devesas, bem como o atravessamento da Rua Felizardo Lima através de passadeira, encaminhando para a Travessa Visconde das Devesas.

Será ainda proibido o estacionamento na Rua Heliodoro Salgado.

O valor global de investimento da Linha Rubi (Casa da Música – Santo Ovídio, incluindo nova ponte sobre o rio Douro) é de 435 milhões, um investimento financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

A Linha Rubi, com 6,4 quilómetros e oito estações, inclui uma nova travessia sobre o Douro, a ponte D. Antónia Ferreira, a Ferreirinha, que será exclusivamente reservada ao metro e à circulação pedonal e de bicicletas.

Em Gaia, as estações previstas para a Linha Rubi são Santo Ovídio, Soares dos Reis, Devesas, Rotunda, Candal e Arrábida, e no Porto Campo Alegre e Casa da Música.

A empreitada tem de estar concluída até ao final de 2026.

LER MAIS

REGIÕES

CARRAZEDA DE ANSIÃES: HOMEM CONSTITUÍDO ARGUIDO POR PROVOCAR INCÊNDIO

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou hoje a autoridade.

Online há

em

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou hoje a autoridade.

O caso remonta a 16 deste mês, no distrito de Bragança. A investigação conduzida pela GNR permitiu perceber que a ignição aconteceu durante a realização de atividades agrícolas com uma motorroçadora, de forma negligente, num terreno junto a uma mancha florestal.

A GNR conseguiu identificar o responsável pelos trabalhos que estavam em curso, onde não foram mantidos os cuidados necessários de vigilância. Os factos foram remetidos para o tribunal de Vila Flor.

A Guarda relembrou que a Linha SOS Ambiente e Território – 808 200 520 – funciona em permanência, para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

LER MAIS

MAIS LIDAS