POLÍCIA MARÍTIMA IRÁ TER MAIS EFETIVOS EM 2021

O número de efetivos da Polícia Marítima vai aumentar em mais de 10% no início de 2021, com a prevista abertura de um concurso para admitir 25 novos agentes, disse hoje o ministro da Defesa Nacional.

O número de efetivos da Polícia Marítima vai aumentar em mais de 10% no início de 2021, com a prevista abertura de um concurso para admitir 25 novos agentes, disse hoje o ministro da Defesa Nacional.

“Nós vamos recrutar mais 25 pessoas, vamos abrir concurso, depois há o curso que é de cerca de 15 meses e essas pessoas, que estarão no efetivo no início de 2021, vão-se somar aos 39 que recentemente entraram ao serviço”, disse João Gomes Cravinho.

O governante, que falava no final da cerimónia comemorativa do centenário da Polícia Marítima, em Quarteira, no concelho de Loulé, sublinhou que estas novas admissões acontecem “pela primeira vez em dez anos”, permitindo aumentar em mais de 10% os efetivos da Polícia Marítima.

“Temos cerca de 530, 540 efetivos atualmente e, ao absorver 60 e tal novos, estamos a aumentar em 10% os efetivos da Polícia Marítima”, quantificou João Gomes Cravinho, depois de assistir a um desfile de meios náuticos daquela força policial na praia de Quarteira.

Quanto à eventual alteração dos estatutos desta força, equiparando-a, em termos de carreira, às outras polícias, o ministro da Defesa disse apenas que “de tempos a tempos” é necessário “fazer ajustamentos”, e que há um “conjunto de ideias” preparadas nesse sentido.

“Temos um conjunto de ideias que irão fazer parte de uma nova lei orgânica da Polícia Marítima para os tempos mais próximos e vamos evoluindo com o tempo”, referiu, admitindo que é preciso fazer um “investimento grande” na Polícia Marítima, quer em equipamentos, quer em recursos humanos.

O ministro indicou ainda que o novo Posto Marítimo e Estação Salva-Vidas de Quarteira deverão estar a funcionar até ao início de 2020, colmatando uma “área que estava desguarnecida”, entre Portimão e Olhão, e que não tinha nenhuma base da Polícia Marítima.

Às novas infraestruturas, que vão ficar instaladas no porto de pesca de Quarteira, num espaço cedido pela Docapesca, que gere os portos e lotas portugueses, soma-se a reconversão do antigo edifício dos faroleiros, no centro da cidade, em cinco apartamentos para alojar a tripulação necessária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.