VILA REAL: OPERAÇÃO DE EVACUAÇÃO DE UM LAR ENVOLVE 50 OPERACIONAIS E 25 VIATURAS

Cerca de 50 operacionais e 25 viaturas foram mobilizados para transferir hoje os 53 idosos com covid-19 do lar de Vila Real para um hospital privado, na “maior operação sanitária de sempre” realizada neste concelho.

No domingo, foi detetado o primeiro utente com o novo coronavírus no Lar de Nossa Senhora das Dores, localizado no centro da cidade de Vila Real.

Ao longo da semana o número de infetados ascendeu aos 88, entre funcionários e utentes, e hoje, depois de dias de impasse, concretiza-se a evacuação da instituição particular de solidariedade social.

Os 53 utentes vão para o Trofa Saúde Hospital em Vila Real.

As duas primeiras ambulâncias que transportavam os idosos saíram do lar pelas 21:15, escoltadas por motas da polícia, dando início a uma ação que foi classificada pelo presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, como “a maior operação sanitária de sempre” no concelho.

No total, segundo informou a autarquia, foram mobilizados 50 operacionais e 25 viaturas, entre bombeiros, PSP, Cruz Vermelha Portuguesa, Exército e Proteção Civil.

Só dos bombeiros foram acionados 21 homens, 11 viaturas e dois carros de comando das duas corporações do concelho de Vila Real: Cruz Banca e Cruz Verde.

Os operacionais com contacto mais próximo com os idosos usaram os devidos equipamentos de proteção individual, como fatos, luvas, máscaras, toucas e viseiras, constatou a Lusa no local.

O Trofa Saúde, em Vila Real, disse estar a “mobilizar todos os recursos técnicos e humanos, em parceria com o Serviço Nacional de Saúde (SNS), para se constituir como o primeiro hospital privado da região a receber doentes com covid-19”.

“A nossa prioridade passa por garantir a continuidade da prestação de cuidados de saúde a estes idosos, como também evitar a propagação da infeção”, salientou em comunicado a unidade hospitalar.

Os utentes terão um acompanhamento clínico por parte das equipas do Trofa Saúde, que serão apoiados por profissionais do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD).

Rui Santos disse que, neste momento, o hospital privado está “sem ocupação”, o que “permitirá que os utentes possam lá estar durante o tempo necessário para que o lar possa ser desinfetado e recuperado”.

“O que é importante é ter os utentes em boas condições, em segurança e a serem bem tratados”, salientou.

Depois da evacuação do lar, no sábado será feita a desinfeção da instituição por uma equipa do Exército.

Os nove funcionários que saem também esta noite do lar vão para as suas casas cumprir o isolamento profilático decretado pela delegada de saúde.

Esta operação resulta, de acordo com Rui Santos, de um esforço conjunto entre o Ministério da Saúde, através do CHTMAD e do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Marão e Douro Norte, dos ministérios da Segurança Social e da Defesa, através do Exército, dos bombeiros, Cruz Vermelha Portuguesa e das forças de segurança.

Devido à cadeia de contacto identificada no Lar de Nossa Senhora das Dores, a câmara acionou na terça-feira o plano de emergência municipal.

A autarquia explicou que esta ativação decorreu essencialmente da “necessidade de aprofundar a articulação entre as várias entidades com um papel na pandemia de covid-19 e de centralizar a informação sobre todas as questões relacionadas com o combate”.

Portugal regista hoje 76 mortes associadas à covid-19, mais 16 do que na quinta-feira, e o número de infetados subiu para 4.268, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 572 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 26.500.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.