VINHAIS APRESENTA A “CAPITAL DO FUMEIRO”

A Feira do Fumeiro de Vinhais, um dos mais antigos certames do género, deverá atingir este ano um número recorde de visitantes e chegar aos 80 mil por coincidir com o fim de semana e mini-férias de Carnaval.

As expectativas foram avançadas pelos promotores, a Câmara de Vinhais em colaboração com a Associação de Criadores de Suínos da Raça Bísara, que têm nos tradicionais enchidos uma das principais fileiras económicas, a seguir à castanha, neste concelho do distrito de Bragança.

Com aproximadamente três mil habitantes na vila e aproximadamente dez mil habitantes no concelho, anualmente a vila de Vinhais chama dezenas de milhares de visitantes ao certame que conta 38 anos e que é uma montra do potencial dos produtos regionais com destaque para o fumeiro com todas as peças certificadas e o porco bísaro, também com protecção comunitária e o responsável pelas características que distinguem este fumeiro.

Atendendo a que a edição deste ano da feira acontece no fim de semana de Carnaval, de 08 a 11 de Fevereiro, o presidente da Câmara de Vinhais, Luís Fernandes, acredita que, associado às férias escolares e mini-férias de algumas famílias, “será mais um facto para as pessoas se deslocarem a Vinhais, não só do país e do estrangeiro”.

“É a feira mais antiga do fumeiro do país, já tem todo um caminho feito, mas que nós, todos os anos, tentamos sempre melhorar, sendo certo que aquilo que mais queremos continuar a valorizar é a qualidade dos produtos de excelência que esta feira tem, sobretudo o fumeiro”, sublinhou o autarca, na apresentação do programa.

Este ano, também haverá “mais produtores e expositores na feira”, num total de cerca de 500, dos quais “entre 70 a 80 produtores de fumeiro”.

No programa há também debate com as habituais jornadas técnicas para produtores e agricultores e diversão com um cartaz de espetáculos com Cuca Roseta e David Carreira.

“É o momento mais marcante em termos de visitas, não só para o concelho, mas para a própria região porque há grandes dificuldades a nível de hotelaria para conseguir arranjar um quarto já nesta altura. Além disso, serve também como incentivo e como chamariz para todo o Turismo, que felizmente tem vindo a aumentar durante todo o ano”, indicou o presidente.

O investimento no evento é “entre 150, 200 mil euros”, um valor que o autarca considera “útil porque ajuda as pessoas, a economia do concelho” e tem “o devido retorno de uma fileira com um volume de negócios estimado acima dos seis milhões de euros”.

A diretora da feira, Carla Alves, explicou que os produtores presentes na feira são da área geográfica de proteção do fumeiro de Vinhais e que permite que os enchidos sejam confecionados para além daquele concelho, “desde que sejam feitos com as mesmas regras”.

As principais exigências são “o tempero, a lenha com que é fumado o enchido e com a carne de porco bísaro”, também certificado.

As entidades locais continuam a trabalhar com investigadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e do Instituto Politécnico de Bragança para desenvolver novos produtos e uma das novidades em estudo é o salpicão fatiado ou a chouriça para a assar em fresco.

“A “roupagem” ou apresentação é uma forma de valorizar o produto e prova disso, segundo a diretora da feira, que desenvolveu e acompanhou todo o processo de certificação desta fileira, é conseguir vender “a 20 euros o quilo de um lombo de porco bísaro através de um caixa muito bonita”.

O concelho tem em curso um projeto para valorizar a fileira e estimular novos empreendedores.

Nos últimos anos, segundo Carla Alves, o número de produtores de fumeiro está a aumentar com mais gente a trabalhar no setor, o que quer dizer que a raça bísara tem crescido, com quase seis mil porcas reprodutoras.

Quando foi iniciado este processo de reconhecimento comunitário para a certificação, “quase não havia a raça”, que estava em vias de extinção.

VEJA AQUI O PROGRAMA DO EVENTO (clicar para aumentar):

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.