Ligue-se a nós

DESPORTO

ACADÉMICA ENTREGOU PEDIDO DE INSOLVÊNCIA E PLANO DE RECUPERAÇÃO

A Académica – Organismo Autónomo de Futebol (OAF) entregou esta semana um pedido de insolvência e reestruturação no Juízo de Comércio do Tribunal Judicial da Comarca de Coimbra, disse hoje à agência Lusa o presidente da direção.

Online há

em

blank

A Académica – Organismo Autónomo de Futebol (OAF) entregou esta semana um pedido de insolvência e reestruturação no Juízo de Comércio do Tribunal Judicial da Comarca de Coimbra, disse hoje à agência Lusa o presidente da direção.

Segundo Miguel Ribeiro, o clube apresenta dívidas vencidas superiores a 5,6 milhões de euros, dos quais 1,9 milhões ao Estado, e contabiliza 3,1 milhões de incumprimento a fornecedores e prestadores de serviços.

“O presente é dramático, de facto, e o estado das finanças económico-financeiras do clube exige o pedido de insolvência. Com oito milhões de euros de capital negativo, não tínhamos outra solução”, sublinhou o dirigente, que tomou posse em junho.

O presidente da direção salientou que aqueles montantes “são resultado de dívidas que se acumularam ao longo dos anos, sendo que se entrou em incumprimento generalizado no primeiro trimestre deste ano”.

Do lado da receita, Miguel Ribeiro chamou a atenção para a antecipação de mais de 500 mil euros de rendas, algumas até 2029 e 2032, dos quais 350 mil euros são referentes a este triénio, e 160 mil relativos a esta época desportiva.

A descida à Liga 3, no final da época transata, pela primeira vez na história do clube, implicou também a perda de receitas na ordem de 1,5 milhões de euros, relativas a transmissões televisivas, aposta online e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

“A Académica não preenchia os requisitos para se avançar com um Plano Especial de Recuperação [PER], pelo que só restou a solução de pedir a declaração de insolvência”, adiantou o presidente da direção.

De acordo com o dirigente, a ‘Briosa’ tem cumprido com o pagamento dos ordenados aos trabalhadores, que mesmo assim são credores de quase 350 mil euros de salários e subsídios em atraso, de impostos (incluindo o IVA referente a abril e maio de 2022, IRS e Segurança Social referentes a maio 2022) e contribuições vencidas entre 15 de junho de 2022 e 25 de setembro de 2022.

Desde que tomou posse, a nova direção afirma ter efetuado pagamentos que ascendem a mais de 800 mil euros, dos quais 250 mil euros para salários em atraso.

Miguel Ribeiro vê na aprovação do pedido de insolvência com plano de recuperação a “salvação” do emblema dos ‘estudantes’, salientando que a constituição de uma Sociedade Anónima Desportiva (SAD), que está a ser trabalhada, “não iria contribuir em nada para o clube ficar solvente”.

“O modelo de uma futura SAD será apresentado aos sócios, previsivelmente até ao final do ano. Estamos a trabalhar nesse sentido, para depois no próximo ano avançarmos com todo o processo de constituição”, adiantou.

Salientando que o futuro passa pela criação da SAD, o presidente da Académica acredita que o futuro modelo societário permita “captar investimento para a equipa de futebol e para modernização de infraestruturas, de forma que a Académica possa almejar a subida de divisão, que trará mais receita”.

O pedido de insolvência deverá ter uma decisão judicial dentro de quatro a cinco meses, de acordo com Miguel Ribeiro. Caso seja declarada a insolvência, será aberto um prazo para os credores reclamarem os seus créditos, seguindo-se depois a apresentação e votação do plano de recuperação pela assembleia de credores.

DESPORTO

MUNDIAL 2022: A VITÓRIA SOFRIDA DE PORTUGAL SOBRE O GANA (3-2)

Portugal entrou hoje a vencer no Mundial2022 de futebol, por 3-2, diante do Gana, mas, depois de dois minutos de absoluta eficácia, quase permitiu que duas desatenções estragassem a estreia no Grupo H.

Online há

em

blank

Portugal entrou hoje a vencer no Mundial2022 de futebol, por 3-2, diante do Gana, mas, depois de dois minutos de absoluta eficácia, quase permitiu que duas desatenções estragassem a estreia no Grupo H.

Cristiano Ronaldo adiantou a seleção portuguesa de penálti, aos 65 minutos, tornando-se no primeiro futebolista a marcar em cinco mundiais, só que o experiente André Ayew repôs a igualdade, aos 73, antes de João Félix, aos 78, e Rafael Leão, aos 80, praticamente consumarem a vitória lusa.

Contudo, Bukari, aos 89 minutos, devolveu a esperança aos ganeses, que quase chegaram ao empate nos derradeiros momentos do encontro, mas Iñaki Williams foi incapaz de aproveitar uma distração nada comum em Diogo Costa e viu ‘fugir’ uma oportunidade de ‘ouro’.

Portugal, que volta a entrar em campo na segunda-feira, frente ao Uruguai, alcançou, assim, a vitória na estreia no Campeonato do Mundo, algo que não acontecia desde 2006, quando um golo do ‘açor’ Pauleta ‘derrotou’ Angola (1-0), no arranque do Mundial da Alemanha.

A formação comandada por Fernando Santos lidera o Grupo H, com três pontos, à frente de Coreia do Sul, treinada por Paulo Bento, e Uruguai, ambos com um ponto, depois do ‘nulo’ que registaram hoje. O Gana é último da ‘poule’, sem pontos.

As dúvidas que poderiam persistir sobre a condição ideal de Pepe para a estreia ficaram dissipadas quando se soube que Rúben Dias teria como companheiro de eixo defensivo Danilo, o mesmo sucedendo do lado esquerdo, tendo em conta que Nuno Mendes nem foi ao banco de suplentes e permitiu a titularidade de Raphaël Guerreiro.

No resto, Fernando Santos fez o que era expetável, juntando João Félix a Bruno Fernandes (50.º jogo pela seleção) e Bernardo Silva no apoio a Cristiano Ronaldo, enquanto Otávio e Rúben Neves protegiam as ‘costas’ do quarteto ofensivo e ajudavam a ‘libertar’ os laterais Cancelo e Guerreiro.

Na verdade, eram mesmo esses os únicos jogadores que tentaram o jogo exterior, numa equipa repleta de médios e avançados que procuram ter a bola no pé e que ‘afunilam’ qualquer estratégia. No entanto, se Cancelo gosta de explorar a linha, Guerreiro é um lateral mais de toque e sem a ‘explosão’ de Nuno Mendes.

Apesar da enorme oportunidade que Otávio ofereceu a Cristiano Ronaldo, o capitão demonstrou estar algo preso de movimentos e a receção — outrora decisiva nos mais de 700 golos que tem na carreira — apenas contribuiu para a saída eficaz do guarda-redes ganês.

Ronaldo voltaria a tentar, sem sucesso, de cabeça, e Félix estava sem pontaria para alvejar a baliza de Ati, sendo cada vez mais notória a incapacidade lusa para ‘furar’ o bloco ganês, fosse em triangulações, fosse em lances de 1×1.

Fernando Santos tinha prometido, na véspera, uma equipa muito dinâmica, mas nada disso se viu no relvado do Estádio 974. Foi, aliás, o oposto: uma formação sem sequer um ‘fogacho’ de criatividade ou capacidade desequilibradora, muito lenta nas ações, o que a levou a insistir inúmeras vezes em cruzamentos de três quartos do campo.

Tão conhecida pelos inúmeros extremos de valor que foi formando, a ‘escola’ portuguesa apresentou-se no Qatar sem qualquer jogador verdadeiramente de linha e isso fez-se notar neste jogo.

Quando o rapidíssimo Kudus ‘desbravou’ caminho no segundo tempo e ficou a centímetros de inaugurar o marcador, ‘ecoaram’ alertas por toda a equipa lusa, que acabaria por ser tranquilizada com uma grande penalidade assinalada pelo árbitro Ismail Elfath.

Ronaldo foi derrubado por Salisu dentro da grande área e ele próprio rematou com sucesso da marca dos 11 metros, adiantando a seleção nacional, só que o Gana tem uma ‘pérola’ em ‘mãos’, Mohammed Kudus. O jogador do Ajax ameaçou Diogo Costa, primeiro, e logo de seguida fugiu a Cancelo para oferecer o empate a André Ayew.

Foi precisamente a partir deste momento que Portugal ‘despertou’ e se lançou para um triunfo que parecia estar a escapar-se, tudo graças à visão, capacidade de passe e inteligência de Bruno Fernandes em dois lances separados por dois minutos.

João Félix aproveitou a ‘oferta’ do médio e não perdoou no ‘cara a cara’ com Ati, tal como Rafael Leão, que, lançado três minutos antes, finalizou com enorme ‘classe’ e assegurou uma vantagem confortável para a equipa das ‘quinas’.

Quando parecia que o encontro estava decidido, os ganeses ainda foram buscar forças para relançar os minutos finais, beneficiando também da noite desastrosa de João Cancelo, que, depois de ter sido ultrapassado no primeiro golo, voltou a facilitar e permitiu que a bola fosse cruzada para o cabeceamento certeiro de Bukari.

O ‘susto’ esteve perto de se tornar em ‘pesadelo’ no derradeiro lance da partida, numa distração quase cómica de Diogo Costa: o guarda-redes não reparou que Iñaki Williams estava nas suas costas, colocou a bola no chão e foi surpreendido pelo avançado, que só não fez o empate porque acabou por escorregar.

LER MAIS

DESPORTO

MUNDIAL 2022: PORTUGAL SOFREU MAS VENCEU O GANA NA ESTREIA

A seleção portuguesa estreou-se hoje no Mundial do Qatar, com um triunfo por 3-2 sobre o Gana, em encontro da primeira jornada do Grupo H, no Estádio 974, em Doha.

Online há

em

blank

A seleção portuguesa estreou-se hoje no Mundial do Qatar, com um triunfo por 3-2 sobre o Gana, em encontro da primeira jornada do Grupo H, no Estádio 974, em Doha.

Cristiano Ronaldo, aos 65 minutos, de penálti, João Félix, aos 78, e Rafael Leão, aos 80, apontaram os tentos da formação das ‘quinas’, enquanto André Ayew, aos 73, e Osman Bukari, aos 89, faturaram para os africanos.

No primeiro jogo do agrupamento, Coreia do Sul, comandada pelo treinador português Paulo Bento, e Uruguai empataram sem golos, pelo que Portugal, que na segunda-feira enfrenta os sul-americanos, já lidera isolado o grupo, com três pontos.


VEJA AINDA: MUNDIAL 2022: PORTUGAL 3 – 2 GANA (VEJA AQUI OS GOLOS)

LER MAIS

DESPORTO

MUNDIAL 2022: PORTUGAL 3 – 2 GANA (VEJA AQUI OS GOLOS)

A seleção portuguesa estreou-se hoje no Mundial do Qatar, com um triunfo por 3-2 sobre o Gana, em encontro da primeira jornada do Grupo H, no Estádio 974, em Doha.

Online há

em

blank

A seleção portuguesa estreou-se hoje no Mundial do Qatar, com um triunfo por 3-2 sobre o Gana, em encontro da primeira jornada do Grupo H, no Estádio 974, em Doha.

Cristiano Ronaldo, aos 65 minutos, de penálti, João Félix, aos 78, e Rafael Leão, aos 80, apontaram os tentos da formação das ‘quinas’, enquanto André Ayew, aos 73, e Osman Bukari, aos 89, faturaram para os africanos.

No primeiro jogo do agrupamento, Coreia do Sul, comandada pelo treinador português Paulo Bento, e Uruguai empataram sem golos, pelo que Portugal, que na segunda-feira enfrenta os sul-americanos, já lidera isolado o grupo, com três pontos.

VEJA AQUI OS GOLOS

VÍDEOS TVI

PORTUGAL 1 – 0 GANA

PORTUGAL 1 – 1 GANA

PORTUGAL 2 – 1 GANA

PORTUGAL 3 – 1 GANA

PORTUGAL 3 – 2 GANA

LER MAIS

DESPORTO

MUNDIAL 2022: URUGUAI E COREIA DO SUL EMPATAM NA ESTREIA DO GRUPO H

O Uruguai e a Coreia do Sul, orientado pelo técnico luso Paulo Bento, empataram hoje a zero, em encontro da primeira jornada do Grupo H do Mundial de futebol de 2002, que inclui Portugal.

Online há

em

blank

O Uruguai e a Coreia do Sul, orientado pelo técnico luso Paulo Bento, empataram hoje a zero, em encontro da primeira jornada do Grupo H do Mundial de futebol de 2002, que inclui Portugal.

Num embate disputado em Al Rayyan, uruguaios, ‘carrascos’ da formação das ‘quinas’ nos oitavos de final da edição de 2018, e sul-coreanos selaram o quarto jogo sem golos na prova.

O outro embate do agrupamento disputa-se ainda hoje, entre Portugal e o Gana, no Estádio 974, em Doha, com início às 19:00 locais (16:00 em Lisboa).

LER MAIS

JORNAL ONLINE

blank

DESPORTO DIRETO

MUSICBOX

EMISSÃO NACIONAL





EMISSÃO REGIONAL










WEBRÁDIOS TEMÁTICAS MUSICAIS










LINHA CANCRO

PAGAMENTO PONTUAL

KEYWORDS

MAIS LIDAS