ALIMENTAÇÃO: OITO EM CADA DEZ PORTUGUESES QUEREM COMER MAIS PEIXE

Oito em cada 10 portugueses querem comer mais peixe do que atualmente, com 66% a afirmarem que já consomem este produto duas ou mais vezes por semana, revelou o índice de consumidores de produtos do mar.

De acordo com o estudo, realizado pela Kantar TNS em nome do Norwegian Seafood Council, “80% dos inquiridos em Portugal, o país com maior consumo ‘per capita’ de produtos do mar, afirmaram que gostariam de comer peixe mais regularmente”.

Por sua vez, nove em cada 10 consumidores na China e na Tailândia gostariam de consumir mais produtos do mar e 81% em Itália partilham da mesma perspetiva em relação ao peixe.

Em Portugal, 83% dos inquiridos referiram comer peixe uma ou mais vezes por semana, 66% duas ou mais vezes e 5% consome este produto uma vez por mês.

“É interessante que nos mercados e nas faixas etárias onde as pessoas já consomem muitos produtos do mar, queiram consumir ainda mais. Em todos os mercados, 81% dos que pertencem à faixa etária entre 50 e 65 anos referem que querem comer mais produtos do mar, contra 73% dos 20 aos 34 anos”, apontou, citado em comunicado, o analista Lars Moksness do Norwegian Seafood Council.

Conforme destacou o mesmo responsável, o estudo reflete já o impacto da pandemia de covid-19 nos hábitos diários, destacando-se, por exemplo, um maior foco na alimentação saudável.

“As razões para se consumir mais produtos do mar diferem em muitos mercados. A saúde e o sabor são, em geral, os motivos mais importantes para o seu consumo, mas também vemos uma crescente importância na sustentabilidade e no rigor na segurança alimentar”, acrescentou.

O índice de consumidores de produtos do mar analisa as preferências e comportamentos dos consumidores em 25 mercados, contando com mais de 25 mil inquiridos. Em Portugal foram inquiridas 1000 pessoas, uma amostra representativa da população (baseada em idade, sexo, localização).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.