Ligue-se a nós

DESPORTO

BENFICA DESPEDE-SE DA CHAMPIONS LEAGUE PELA “PORTA PEQUENA”

O Benfica ficou hoje fora da luta pelo acesso aos oitavos de final da Liga dos Campeões em futebol, ao ser goleado por 5-1 no reduto do Bayern Munique, que se qualificou, na quinta jornada do Grupo E.

Online há

em

O Benfica ficou hoje fora da luta pelo acesso aos oitavos de final da Liga dos Campeões em futebol, ao ser goleado por 5-1 no reduto do Bayern Munique, que se qualificou, na quinta jornada do Grupo E.

Arjen Robben, aos 13 e 30 minutos, Robert Lewandowski, aos 36 e 51, e Franck Ribéry, aos 76, apontaram os tentos dos bávaros, enquanto Gedson Fernandes, aos 46, faturou para os ‘encarnados’, que seguem para a Liga Europa.

Na classificação, em que falta só determinar quem será o primeiro classificado, os bávaros lideram, com 13 pontos, contra 11 do Ajax, quatro do Benfica e nenhum do AEK Atenas, que visita a Luz na última ronda, em jogo para ‘cumprir calendário’.

O Bayern goleou, esta terça-feira, o Benfica por 5-1 em Munique e os encarnados estão fora da próxima fase da Liga dos Campeões.

Rui Vitória relembrou, e bem, na antevisão da partida com o Bayern que o Benfica precisava de aproveitar de melhor forma as ocasiões que tinha tido ao seu alcance nesta edição da Liga dos Campeões: Nomeadamente nas partidas frente ao Ajax. Pedia-se então um Benfica em Munique com um maior poder de fogo, num terreno só de si trágico para os emblemas portugueses. Estavam frescas na memória as goleadas sofridas por Sporting e FC Porto em tempos recentes.

O momento até parecia o indicado para defrontar os bávaros. Os alemães vinham de uma sequência negativa, depois de um empate e uma derrota na Bundesliga e com o líder Dortmund já à distância de nove pontos. O Benfica sem o peso de ter que garantir um lugar na Liga Europa – O Ajax tinha vencido o AEK por 2-0 – poderia entrar, em teoria, de uma forma descomprometida num terreno madrasto. Para ainda sonhar com o apuramento precisaria de vencer, no mínimo, o Bayern por 2-0 para depois fazer ‘figas’ na última jornada para o Ajax vencer os germânicos.

Para o onze inicial, Rui Vitória recuperou o 4-3-3, com Gabriel e Pizzi junto a Fedja e Cervi e Rafa no apoio a Jonas. Conti foi chamado para ocupar o lugar do castigado Jardel.

O jogo começou morno, com as duas equipas as estudarem-se mutuamente e com dificuldade em ligar o seu jogo. Era preciso um ‘abanão’ para a partida ganhar vida. E foi o que sucedeu logo ao minuto 12. Jogada clássica de Robben – diagonal da direita para a esquerda do holandês, antes de disparar com o melhor pé para o fundo da baliza. Sem querer perder o ‘norte’, o Benfica tentou colocar gelo no jogo, numa tentativa de impedir os alemães de fazer o que melhor sabem: Atacar de forma avassaladora, imprimindo uma velocidade e intensidade que sufoca os adversários.

Mas ao minuto 30′, a defesa encarnada mostrou que não aprendeu com o lance que deu o primeiro golo dos bávaros. Robben voltou a fazer das suas, trocando as voltas a Conti e Rúben Dias, e fez o segundo – Não marcava um golo desde 25 de setembro.

Como um ‘peixe na água’, os alemães encostaram os encarnados às cordas e só Vlachodimos impediu que o resultado virasse goleada ainda antes do intervalo. Na retina, fica uma defesa a remate de Lewandowski e a um cabeceamento de Muller. Porém, foi impotente para travar o terceiro do Bayern, por intermédio do internacional polaco. Depois de um canto curto, Kimmitch cruzou para o coração da área e Lewandowski cabeceou para o terceiro da partida.

O único fogacho do Benfica na primeira parte saiu do pé direito de André Almeida, ao minuto 44, num remate que passou próximo da baliza de Neuer.

O reinício da segunda parte não poderia ter sido melhor para o Benfica. A troca de Pizzi por Gedson Fernandes resultou em cheio, já que foi o jovem médio que reduziu o marcador logo no primeiro minuto da segunda parte. Grande jogada de entendimento do conjunto português, com Gedson a combinar com Jonas e depois a finalizar de melhor forma.

Mas acabou por ser um esforço inglório, o Bayern matou o jogo quatro minutos depois. Robert Lewandowski no primeiro andar, bisou e aumentou a contagem para 4-1.

O Benfica sentiu o golo e voltou a estar alheado do jogo, mostrando-se incapaz de construir e de chegar próximo da baliza adversária. Contudo, foi na segunda parte que o Benfica mais se aproximou da baliza dos alemães. Jonas assustou Neuer, depois de um bom trabalho do brasileiro. Já Vlachodimos voltou a brilhar, respondendo da melhor forma a um remate de Goretzka.

A noite de pesadelo dos encarnados ficou confirmada com o quinto golo dos alemães apontado por Ribéry, aos 76´. Cruzamento atrasado de Alaba, a bola sobrou para o francês que não perdoou.

Nada dizer: Vitória sem espinhas do Bayern perante um Benfica que continua à procura de melhores dias. Os encarnados estão fora da Liga dos Campeões.

JOGO AO MINUTO:

92′ + 2 Termina a partida! Triunfo do Bayern Munique por 5-1 frente ao SL Benfica, resultado que deixa a equipa de Rui Vitória de fora da luta pela permanência na Liga dos Campeões. A equipa encarnada segue para a Liga Europa.
90′ Dois minutos de compensação.
87′ SL Benfica: Cartão amarelo para Alfa Semedo.
86′ Seferovic aparece com perigo na área do Bayern, mas Neuer a segurar.
81′ Bayern M.: Entra Jeong Woo-Yeong e sai T. Müller.
78′ Bayern M.: Entra S. Wagner e sai F. Ribéry.
76′ Bayern M.: Golo de F. Ribéry! Passe atrasado de Alaba, a meter para a área onde aparece Ribéry a finalizar à vontade.
76′ SL Benfica: Entra Alfa Semedo e sai Fejsa.
74′ Rui Vitória vai lançar Alfa Semedo.
72′ Bayern M.: Entra Renato Sanches e sai A. Robben.
70′ Defende Odysseas! Remate de Goretzka de fora da área, a obrigar o guarda-redes dos encarnados a aplicar-se na defesa.
67′ Outra vez Ribéry, desta vez a defesa encarnada resolve.
65′ Alaba estava a pedir a bola a Ribéry, mas o passe do francês sai mal.
62′ Remate de Rafa contra o corpo de Alaba.
59′ SL Benfica: Entra Seferovic e sai Jonas.
55′ Remate perigoso de Jonas, a bola ainda sofre um desvio e quase enganava Neuer, que ainda assim conseguiu segurar.
52′ Canto batido por Cervi, afasta a defesa bávara.
51′ Bayern M.: Golo de Lewandowski! Golo em tudo semelhante ao anterior do avançado polaco que, na sequência de um canto, aparece a cabecear nas alturas e a estabelecer o 4-1.
50′ Terceira grande defesa de Odysseas, a negar o golo a Ribéry e a ceder canto.
46′ SL Benfica: Golo de Gedson! Entrada de rompante dos encarnados, com Jonas a tabelar com Gedson que foge a Boateng e atira de forma intencional para o fundo das redes de Neuer.
46′ Recomeça a partida.
46′ SL Benfica: Entra Gedson e sai Pizzi.
45′ Tempo de descanso, as equipas recolhem aos balneários.
44′ Remate de pé esquerdo de André Almeida, a bola saiu pela linha de fundo, mas muito perto do poste da baliza de Neuer.
42′ Falta de André Almeida sobre Kimmich.
38′ Vida difícil para a equipa portuguesa nesta altura.
36′ Bayern M.: Golo de Lewandowski! Canto batido por Kimmich, a bola descreve um arco e chega ao segundo poste onde Lewandowski desvia de cabeça para o fundo das redes.
36′ Grande defesa de Odysseas! Robben cruza para Muller, este cabeceia, mas o guarda-redes encarnado voa para a bola e tira por cima da barra. Canto para os alemães.
33′ Bayern M.: F. Ribéry recebe cartão amarelo. Entrada dura do francês sobre André Almeida.
30′ Bayern M.: Golo de A. Robben! Outra vez um grande trabalho do holandês, que recebeu de Muller, meteu pelo centro do terreno e atirou novamente forte e colocado, a bater Odysseas pela segunda vez esta noite.
28′ Canto já batido por Pizzi, Conti a cabecear, mas por cima do alvo.
27′ Cruzamento de Pizzi, a obrigar a defesa bávara a tirar para canto.
26′ Mais um remate de Robben, agora acertou em Conti.
25′ Bayern M.: A. Robben recebe cartão amarelo. O holandês travou Gabriel em falta.
24′ Defende Odysseas! Remate em arco de Lewandowski, a obrigar o guarda-redes encarnado a uma defesa apertada.
23′ Robben a bater o livre, tira Conti. Os encarnados saem em contra-ataque, mas agora foi Neuer que saiu da sua área e desarmou Rafa.
22′ Jonas faz falta sobre Kimmich, livre para os alemães.
22′ Robben novamente a aparecer com perigo depois de passe de Lewandowski, mas Odysseas atento a sair da sua área e a afastar na antecipação.
19′ Remate de Ribéry, a sair fraco para as mãos de Odysseas.
15′ Depois da vitória do Ajax no terreno do AEK por 2-0 esta tarde, só um triunfo interessa à equipa portuguesa, se quiser seguir para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões.
13′ Bayern M.: Golo de A. Robben! Que grande golo de Robben! O holandês passa por três jogadores do SL Benfica, na área tira mais dois da frente e atira forte e colocado, a inaugurar o marcador.
10′ Cruzamento de Alaba, para as mãos de Odysseas.
5′ Livre a favor da formação alemã, Kimmich a levantar para a área, Conti afastou.
3′ Remate cruzado de Robben, a sair ao lado.
2′ Fora-de-jogo assinalado a Ribéry.
2′ O SL Benfica joga hoje com calções pretos e camisola branca, enquanto o Bayern enverga o tradicional camisola e calções encarnados.
1′ Arranca a partida!
0′ Bayern Munique (Suplentes): Ulreich, Wagner, Javi Martínez, Jeong, Meier, Renato Sanches e Shabani.
0′ Bayern Munique (Onze inicial): Neuer, Alaba, Sule, Boateng, Rafinha, Goretzka, Kimmich, Muller, Ribery, Lewandowski e Robben.
0′ SL Benfica (Suplentes): Svilar, Seferovic, Alfa Semedo, Zivkovic, Krovinovic, Castillo e Gedson Fernandes.
0′ SL Benfica (Onze inicial): Odysseas, André Almeida, Rúben Dias, Conti, Grimaldo, Fejsa, Gabriel, Pizzi, Rafa, Cervi e Jonas.
0′ Para a deslocação a Munique, Rui Vitória convocou: Svilar, Bruno Varela, Odysseas, Conti, Grimaldo, Rúben Dias, Corchia, Lema, André Almeida, Fejsa, Gabriel, Cervi, Alfa Semedo, Zivkovic, Krovinovic, Pizzi, Rafa, João Félix, Gedson, Jonas, Seferovic e Castillo.
0′ Equipas em campo!
0′ Daniele Orsato foi o árbitro nomeado para dirigir o encontro entre Bayern Munique e SL Benfica, partida da 4.ª jornada da Liga dos Campeões. O italiano contará com os compatriotas Lorenzo Manganelli, Fabiano Preti e Alessandro Costanzo.

 

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

DESPORTO

EURO 2024: ESPANHA VENCE INGLATERRA (2-1) E CONQUISTA O “TETRA”

A Espanha tornou-se hoje a primeira seleção a chegar aos quatro títulos de campeã da Europa de futebol, ao bater a Inglaterra, que continua em ‘branco’, por 2-1, na final da 17.ª edição, no Estádio Olímpico de Berlim.

Online há

em

A Espanha tornou-se hoje a primeira seleção a chegar aos quatro títulos de campeã da Europa de futebol, ao bater a Inglaterra, que continua em ‘branco’, por 2-1, na final da 17.ª edição, no Estádio Olímpico de Berlim.

Nico Williams, aos 47 minutos, e Mikel Oyarzabal aos 86, marcaram os golos da ‘Roja’, que repetiu os cetros de 1964, 2008 e 2012, enquanto Cole Palmer apontou, aos 73, o tento dos ingleses.

A formação espanhola, que também conta no seu palmarés o Mundial de 2010, isolou-se na liderança do ranking, deixando para trás a tricampeã Alemanha (1972, 1980 e 1996), enquanto a Inglaterra perdeu a segunda final consecutiva, três anos depois.

LER MAIS

DESPORTO

EURO 2024: ESPANHA E INGLATERRA NA GRANDE FINAL DE DOMINGO

A Espanha vai tentar provar, uma última vez, que é a melhor equipa do Euro20024 de futebol, frente a um conjunto de craques apostados em evitar que a Inglaterra perca uma segunda final consecutiva, no domingo, em Berlim.

Online há

em

A Espanha vai tentar provar, uma última vez, que é a melhor equipa do Euro20024 de futebol, frente a um conjunto de craques apostados em evitar que a Inglaterra perca uma segunda final consecutiva, no domingo, em Berlim.

Vencedora já de um recorde de seis jogos, a “Roja” chega à capital alemã como a equipa que transporta o futebol bonito, a estética, e tem provado, jogo a jogo, que é possível ganhar pela positiva, sendo considerada favorita a inédito quarto título, apesar de do outro lado estarem Bellingham, Kane, Foden ou Saka.

Precisamente na casa da outra tricampeã continental, a Espanha pode fazer história e tornar-se a primeira a chegar ao “tetra”, repetindo 1964, 2008 e 2012, sendo Jesús Navas, agora como então suplente, o único sobrevivente de há 12 anos.

Se triunfar, ganhará a equipa que, desde o dia 1, encantou, pela qualidade do seu futebol, manifestada em todos os jogos, mesmo quando Luis de la Fuente mudou toda a equipa no fecho da fase de grupos (1-0 à Albânia, após 3-0 à Croácia e 1-0 à Itália).

A Espanha não teve, porém, vida fácil, sobretudo a eliminar, sendo que esteve a perder com a Geórgia (4-1), nos “oitavos”, só se desembaraçou da Alemanha (2-1) aos 119 minutos, nos “quartos”, e, nas “meias”, voltou a estar em desvantagem, com a França (2-1).

Mas, nos seis jogos, os espanhóis nunca perderam a compostura, nunca duvidaram, nunca abdicaram de uma certa maneira de jogar que apaixonou, culpa também dos “miúdos” Lamine Yamal, que cumpre no sábado 17 anos, e Nico Williams, de 21.

Depois, há também Rodri, Fabián Ruiz, Dani Olmo, que, na peugada de Busquets, Xavi e Iniesta, não deixam a Espanha jogar mal, numa equipa que, na máxima força, também poderia ter na final Rodri e Gavi, ambos lesionados, o primeiro nos ‘quartos’.

Atrás, o guarda-redes Unai Simón, mesmo não escapando a alguns lapsos, também dá garantias, enquanto Carvajal, Le Normand, Nacho, Laporte e Cucurella conferem experiência.

O capitão é Álvaro Morata, um ponta de lança que é sempre um perigo e ainda há Merino, o do grande golo à Alemanha, Oyarzabal, Grimaldo ou Ferran Torres, todos sempre prontos a conferir qualidade ao jogo espanhol.

Ainda falta, porém, uma última batalha, frente a uma Inglaterra que terá sido uma das equipas mais criticadas durante a competição, face a um futebol que adormeceu mais do que encantou em muitos momentos.

Ingleses de duas faces

Os ingleses começaram com um triunfo (1-0 à Sérvia) e prosseguiram com duas igualdades (1-1 com a Dinamarca e 0-0 com a Eslovénia), que fizeram “disparar os alarmes”.

A formação dos “três leões” entrou para o “mata mata” repleta de pontos de interrogação e confirmou-os nos “oitavos”, em que, perante a Eslováquia, esteve em desvantagem desde os 25 minutos e até quase ao final dos descontos.

Quando o adeus parecia certo, uma “bicicleta” de Jude Bellingham, aos 90+5 minutos, num dos momentos mais belos do Euro2024, a par do golo de Yamal à França, salvou o conjunto de Gareth Southgate, depois apurado com um tento de Harry Kane (91).

Também num jogo em que esteve a perder, a Inglaterra precisou dos penáltis para afastar a Suíça (5-3, após 1-1), na redenção de Saka, nos “quartos”, e, nas “meias”, bateu os Países Baixos (2-1) com nova reviravolta, concretizada nos descontos, pelo suplente Ollie Watkins.

Foi complicado, sofrido, o futebol chegou a ser “sonolento”, mas a Inglaterra está de novo a um triunfo do segundo grande título, para juntar ao Mundial de 1966, arrebatado em casa.

Três anos depois, Pickford, Walker, Stones, Trippier, Shaw, Rice, Saka, e Kane podem repetir a presença na final, sendo que, para o capitão Kane, é mais uma oportunidade para, aos 30 anos, conquistar, finalmente, o primeiro título coletivo da carreira.

Espanha e Inglaterra disputam no domingo, pelas 20h00 em Lisboa, a final Euro2024, em Berlim, com arbitragem do francês François Letexier, de 35 anos, o mais jovem árbitro a ajuizar o jogo decisivo da prova.

LER MAIS

MAIS LIDAS