Connect with us

DESPORTO

CREDORES DO SPORTING A “ARDER”

SAD leonina quer adiar o reembolso da dívida que vence no próximo dia 25 de maio, uma decisão que vai afetar mais de 4.000 investidores que emprestaram 30 milhões de euros à sociedade.

Data:

em

SAD leonina quer adiar o reembolso da dívida que vence no próximo dia 25 de maio, uma decisão que vai afetar mais de 4.000 investidores que emprestaram 30 milhões de euros à sociedade.

A SAD leonina quer adiar o pagamento da dívida que vence já no próximo dia 25 de maio para uma data posterior, isto por causa da turbulência que se vive no clube desde a passada quinta-feira. Presidente e jogadores e sócios estão de costas voltadas na sequência da troca de acusações nas redes sociais e o clima de guerra instalado em Alvalade veio prejudicar a oferta de obrigações que estava para ser lançada no próximo mês — era com este dinheiro que o Sporting ia pagar a emissão antiga que vence agora.

Sem uma nova operação para refinanciamento da dívida, a actual administração liderada por Bruno de Carvalho pretende agora chamar os obrigacionistas para uma assembleia geral onde vai propor que eles sejam reembolsados não no dia 25 de maio mas numa data nunca antes de Novembro de 2018.

Em causa estão obrigações no montante de 30 milhões de euros que foram emitidas há três anos. Na altura, foram 4.241 investidores que participaram na oferta pública de subscrição. Cinco deles aplicaram mais de 500 mil euros. A maioria ficou-se por investimentos abaixo dos 5.000 euros. Mas como estas obrigações podem ser negociadas em mercado secundário, estes títulos podem ter mudado de mãos entretanto — pese embora a fraca liquidez destas obrigações leoninas.

Estes títulos pagam juros todos os semestres. Apresentam uma taxa de juro bruta de 6,25% por ano — oferecendo, em termos líquidos de impostos, uma rentabilidade a rondar os 4,5% anualmente.

Sporting já fez cinco emissões obrigacionistas:

Se o Sporting retiver este dinheiro por mais tempo (mais seis meses, pelo menos), tal como vai propor aos obrigacionistas, estes investidores arriscam a perder dinheiro referente aos juros que teriam a receber por causa do prolongamento do prazo.

No comunicado enviado esta terça-feira ao mercado, a SAD de Alvalade não refere que pretende continuar a remunerar os obrigacionistas para lá do dia 25 de maio. Apenas diz que vai tentar o adiamento do reembolso porque a nova oferta obrigacionista está em risco devido à crise no clube e já não deverá ficar fechada a tempo de refinanciar o vencimento desta dívida.

“O Conselho de Administração irá solicitar ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sporting SAD que promova uma convocatória de uma assembleia geral de obrigacionistas (…) a fim de deliberar sobre a prorrogação do prazo de reembolso final desta emissão para nunca antes de Novembro de 2018”, referem os responsáveis leoninos.

Publicação do: ECO

AS MAIS LIDAS