ECONOMIA & FINANÇAS

CRISE: DESEMPREGADOS NOS CENTROS DE EMPREGO SUBIU 30% EM NOVEMBRO

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego aumentou 30,2% em novembro em termos homólogos e diminuiu 1,3% face a outubro, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

De acordo com o IEFP, no final de novembro, estavam registados nos serviços de emprego do continente e regiões autónomas 398.287 desempregados. Este número representa 69,6% de um total de 571.866 pedidos de emprego.

Em novembro, o desemprego registado aumentou na generalidade das regiões, com exceção para os Açores, onde caiu 0,5%.

Dos aumentos homólogos, o mais pronunciado deu-se na região do Algarve (com mais 67,6%), isto é, mais do dobro da média nacional.

O total de desempregados registados no país foi superior ao verificado no mesmo mês de 2019 (mais 92.326 ou 30,2%) e inferior face ao mês anterior (menos 5.267 ou 1,3%).

Para o aumento do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2019, contribuíram todos os grupos de desempregados, com destaque para as mulheres, adultos com idade igual ou superior a 25 anos, os inscritos há menos de um ano, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o ensino secundário.

No que respeita à atividade económica de origem do desemprego, dos 339.138 desempregados que, no final de novembro estavam inscritos como candidatos a novo emprego, 72,6% tinham trabalhado em atividades do setor dos serviços, com destaque para as atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio (28,3%), enquanto 20,5% eram provenientes do setor secundário, com particular relevo para a construção (6,2%) e ao setor agrícola pertenciam 4,1% dos desempregados.

O desemprego aumentou nos três setores de atividade económica face ao mês homólogo de 2019.

Este aumento registou maior expressão no setor dos serviços (com mais 35%).

A desagregação deste setor de atividade económica permite observar que as subidas percentuais mais acentuadas se verificaram nas atividades de alojamento, restauração e similares (59%), transportes e armazenagem (47%) e atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio (43,7%).

As ofertas de emprego por satisfazer, no final de novembro, totalizavam as 13.868, o que corresponde a uma redução anual (2.737 ou menos 16,5%) e a uma diminuição mensal (1.426 ou menos 9,3%) das ofertas nos ficheiros do IEFP.

VEJA AINDA:

PRESIDENCIAIS: VOTO VAI SER RECOLHIDO EM LARES, MAS IDOSOS TÊM DE SE INSCREVER NA PLATAFORMA DO VOTO ANTECIPADO

Lusa

COVID-19: PARLAMENTO NA MADEIRA COM NOVAS MEDIDAS DE COMBATE À PANDEMIA

Lusa

COVID-19: SUPERMERCADOS SEM RESTRIÇÕES DE HORÁRIOS E COSTA PEDE QUE NÃO HAJA ‘CORRIDAS’

Lusa

MADEIRA: INÍCIA HOJE RECOLHER OBRIGATÓRIO DEVIDO À PANDEMIA DE COVID-19

Lusa

COVID-19: PORTUGAL COM 57 CONCELHOS EM RISCO EXTREMO, MAIS DO DOBRO DA ANÁLISE ANTERIOR

Lusa

LISBOA: CENTRO HOSPITALAR CENTRAL AVANÇA PARA O ÚLTIMO NÍVEL DE CONTINGÊNCIA

Lusa