RÁDIO REGIONAL
NACIONAL

EDUARDO CABRITA DIZ SOBRE ACIDENTE MORTAL QUE ‘ESCLARECIMENTO DOS FACTOS TEM DE SER FEITO’

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O ministro da Administração Interna disse hoje que era “passageiro” quando o carro em que seguia provocou um acidente mortal na A6, sublinhando que “o esclarecimento dos factos tem de ser feito” sem cair num “repugnante aproveitamento político de uma tragédia pessoal”.

“Eu sou passageiro. É o estado de direito a funcionar. Temos de confiar no estado de direito, ninguém está acima da lei”, disse a jornalistas Eduardo Cabrita, ao ser questionado sobre o despacho de acusação do Ministério Público visando o motorista do automóvel em que seguia o ministro.

Eduardo Cabrita sustentou que “o esclarecimento dos factos tem de ser feito” sem se recorrer a um “repugnante aproveitamento político de uma tragédia pessoal”.

O motorista do carro onde seguia o ministro da Administração Interna e que atropelou mortalmente um trabalhador na A6 foi acusado de homicídio por negligência, segundo despacho de acusação do Ministério Público hoje divulgado.

VEJA AINDA:

ERC RECORRE À JUSTIÇA CONTRA UM CIDADÃO ‘AMEAÇADOR E ABUSIVO’

Lusa

GOVERNO VAI SIMPLIFICAR OS PEDIDOS DE EMISSÃO DE CERTIFICADO CRIMINAL

Lusa

FELGUEIRAS: QUATRO ANOS DE PRISÃO EFETIVA A CASAL QUE EXPLORAVA CASA DE ALTERNE

Lusa

TRIBUNAL DE CONTAS ALERTA QUE HÁ 350 MIL COMPUTADORES QUE NÃO CHEGARAM ÀS ESCOLAS

Lusa

PORTUGUÊS PROCESSA A APPLE E A GOOGLE POR VIOLAÇÃO DO DIREITO DA CONCORRÊNCIA

Lusa

NEYMAR RESPONDE EM TRIBUNAL ENTRE 17 E 31 DE OUTUBRO

Lusa