Connect with us

ECONOMIA & FINANÇAS

FMI AVISA PORTUGAL: “ESTÃO NA DIRECÇÃO ERRADA”

O Orçamento de Portugal “vai na direcção errada”, alerta o Fundo Monetário Internacional (FMI) no relatório sobre a Zona Euro, onde deixa também avisos quanto ao preço dos imóveis e a ideia de que “os bons tempos da Europa estão a acabar”.

Data:

em

O Orçamento de Portugal “vai na direcção errada”, alerta o Fundo Monetário Internacional (FMI) no relatório sobre a Zona Euro, onde deixa também avisos quanto ao preço dos imóveis e a ideia de que “os bons tempos da Europa estão a acabar”.

O relatório do FMI sobre a Zona Euro, que foi publicado esta quinta-feira, alerta o Governo português para a necessidade de exercer um maior controle sobre o Orçamento, face à realidade de “alto endividamento”, com o rácio da dívida pública portuguesa situado acima dos 120% do Produto Interno Bruto.

O Fundo nota que “vários países com dívidas elevadas, incluindo Itália, Portugal e Espanha, continuarão a ajustar-se apenas pouco ou nada este ano”.

“Lamentavelmente, os planos orçamentais nacionais estão a fazer muito pouco ou vão na direcção errada“, lê-se no relatório citado pela Agência Lusa.

O FMI defende que Portugal não se pode desviar da consolidação orçamental, e que deve criar almofadas financeiras, aproveitando os dias de “vacas gordas” e antecipando um abrandamento económico em toda a Zona Euro.

A entidade nota que “se a normalização da política monetária coincidir com a percepção de que países vulneráveis não estão a fazer o suficiente para lidar com os problemas subjacentes, ou se, de facto, pretendem reverter reformas ou implementar políticas que prejudiquem a sustentabilidade da dívida, os prémios de risco poderão, de novo, subir abruptamente com possíveis efeitos de contágio, impondo perdas de valorização aos investidores em toda a zona do euro”.

Esse cenário “poderia forçar a ajustamentos orçamentais acentuados, tornando a situação ainda pior“, alerta o FMI.

Criticando também a Comissão Europeia por ter abrandado a vigilância aos Estados-membro, o FMI avisa também os países com maior potencial financeiro, como Alemanha e Holanda, para a “cautela excessiva” que impede um crescimento económico mais rápido.

Por outro lado, o FMI alerta para o risco de uma “bolha” imobiliária perante o “disparo na valorização dos preços dos imóveis para habitação e comércio” em certos países da Europa, como é o caso de Portugal.

LUSA | ZAP | RR

AS MAIS LIDAS